Fechar
Publicidade

Quinta-Feira, 4 de Junho

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

soraiapedrozo@dgabc.com.br | 4435-8057

Litro do leite subirá cerca de 10% até setembro

Tiago Silva/DGABC  Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Alexandre Melo
Do Diário do Grande ABC

16/07/2011 | 07:30


A queda na produção de leite nas regiões produtoras no País levará o litro da bebida vendida em caixinha ficar entre 5% e 10% mais caro até setembro. A forte redução na temperatura aliada à valorização da matéria-prima pressionam os custos dos produtores, principalmente na região Sul.

Um pequeno reajuste no preço já foi detectado pela pesquisa semanal realizada pela Companhia Regional de Abastecimento Integrado de Santo André. O produto encerrou junho vendido por R$ 1,97, aumento de 0,18% na comparação com o mês anterior. Entretanto, nesta semana, a variação foi negativa, tanto que o litro do leite longa vida recuou 1,02%, custando R$ 1,94 nos supermercados da região.

A Associação Brasileira de Leite Longa Vida diz que a tendência é que neste mês o consumidor note peso maior no bolso ao comprar esse item. Em maio, o produtor vendeu o litro para a indústria por R$ 0,86, em média, R$ 0,03 mais caro que o valor praticado em abril. A entidade justifica ainda que as baixas temperaturas e a falta de chuvas prejudicam as pastagens, principal fonte de alimento para o gado leiteiro.

"Estamos observando valorização contínua da matéria-prima em todas as regiões do País, o que obriga a indústria a rever suas previsões e repassar esses custos ao comércio, para que o negócio continue viável", destaca Laércio Barbosa, presidente da ABLV.

Nessa época do ano é período de safra no Sul e de entressafra no Sudeste e no Centro-Oeste, que tem uma representatividade maior na produção de leite.

DIEESE - Na cesta básica verificada pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos, o preço do alimento registrou variação de 8% em junho. Das 17 capitais pesquisadas, a bebida encareceu em oito. A manteiga, derivada desse laticínio, seguiu o mesmo caminho ao ficar 4,56% mais cara.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Litro do leite subirá cerca de 10% até setembro

Alexandre Melo
Do Diário do Grande ABC

16/07/2011 | 07:30


A queda na produção de leite nas regiões produtoras no País levará o litro da bebida vendida em caixinha ficar entre 5% e 10% mais caro até setembro. A forte redução na temperatura aliada à valorização da matéria-prima pressionam os custos dos produtores, principalmente na região Sul.

Um pequeno reajuste no preço já foi detectado pela pesquisa semanal realizada pela Companhia Regional de Abastecimento Integrado de Santo André. O produto encerrou junho vendido por R$ 1,97, aumento de 0,18% na comparação com o mês anterior. Entretanto, nesta semana, a variação foi negativa, tanto que o litro do leite longa vida recuou 1,02%, custando R$ 1,94 nos supermercados da região.

A Associação Brasileira de Leite Longa Vida diz que a tendência é que neste mês o consumidor note peso maior no bolso ao comprar esse item. Em maio, o produtor vendeu o litro para a indústria por R$ 0,86, em média, R$ 0,03 mais caro que o valor praticado em abril. A entidade justifica ainda que as baixas temperaturas e a falta de chuvas prejudicam as pastagens, principal fonte de alimento para o gado leiteiro.

"Estamos observando valorização contínua da matéria-prima em todas as regiões do País, o que obriga a indústria a rever suas previsões e repassar esses custos ao comércio, para que o negócio continue viável", destaca Laércio Barbosa, presidente da ABLV.

Nessa época do ano é período de safra no Sul e de entressafra no Sudeste e no Centro-Oeste, que tem uma representatividade maior na produção de leite.

DIEESE - Na cesta básica verificada pelo Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos, o preço do alimento registrou variação de 8% em junho. Das 17 capitais pesquisadas, a bebida encareceu em oito. A manteiga, derivada desse laticínio, seguiu o mesmo caminho ao ficar 4,56% mais cara.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;