Fechar
Publicidade

Sexta-Feira, 27 de Novembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Setecidades

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

Água parada impede passagem de pedestres em Ribeirão

Nario Barbosa/DGABC Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Trecho da Avenida Francisco Monteiro, no bairro Santa Luzia, tem problema de drenagem


Yasmin Assagra
Do Diário do Grande ABC

08/01/2020 | 07:00


 Pedestres que circulam pela Avenida Francisco Monteiro, no bairro Santa Luzia, em Ribeirão Pires, estão impedidos de caminhar pela calçada em trecho de 20 metros localizado na altura do número 1.600. Isso porque a área está tomada por água proveniente das chuvas do fim de semana e que não foi escoada pelas galerias. Além de impedir a passagem das pessoas, o problema, que é recorrente, conforme moradores, também causa mau cheiro e preocupação em relação à dengue.

O autônomo Roberto Vicentino, 44 anos, ressalta que demora em média dez dias para a água escoar após as chuvas. “Água parada pode ser foco de dengue. A gente acaba torcendo para que não chova”, comenta o morador.

Na semana passada, reportagem do Diário mostrou que o Grande ABC encerrou 2019 com 1.758 casos de dengue, o equivalente a cinco por dia, além de dois óbitos. O número é 2.152,56%, ou 22 vezes, maior do que o observado em 2018, quando 78 pessoas foram diagnosticadas e nenhuma morreu em decorrência da doença.

A equipe do Diário esteve no local na tarde de ontem e presenciou a dificuldade de pedestres para circular pela área. Caso da auxiliar de limpeza Valdenoura da Conceição, 49, que precisa caminhar pelo local diariamente para ir e voltar do trabalho. “Não existe calçada por aqui. Infelizmente, já acostumamos com essa realidade”, lamenta a moradora, obrigada a circular pela rua. 

O estudante de informática Vinícius Amorim, 18, destaca que, na semana passada, dois comerciantes da região tiveram as motos danificadas por estarem estacionadas no trecho. “Eles (motociclistas) não sabiam que esse pedaço alaga. Entrou água no motor”, comenta. 

Por meio de nota, a Prefeitura de Ribeirão Pires informou que “foi identificado um problema em galeria de captação de água pluvial” no trecho citado e que a Secretaria de Serviços Urbanos realizará intervenções no local para garantir a correta vazão da água. Não foram especificados, entretanto, prazos. 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Água parada impede passagem de pedestres em Ribeirão

Trecho da Avenida Francisco Monteiro, no bairro Santa Luzia, tem problema de drenagem

Yasmin Assagra
Do Diário do Grande ABC

08/01/2020 | 07:00


 Pedestres que circulam pela Avenida Francisco Monteiro, no bairro Santa Luzia, em Ribeirão Pires, estão impedidos de caminhar pela calçada em trecho de 20 metros localizado na altura do número 1.600. Isso porque a área está tomada por água proveniente das chuvas do fim de semana e que não foi escoada pelas galerias. Além de impedir a passagem das pessoas, o problema, que é recorrente, conforme moradores, também causa mau cheiro e preocupação em relação à dengue.

O autônomo Roberto Vicentino, 44 anos, ressalta que demora em média dez dias para a água escoar após as chuvas. “Água parada pode ser foco de dengue. A gente acaba torcendo para que não chova”, comenta o morador.

Na semana passada, reportagem do Diário mostrou que o Grande ABC encerrou 2019 com 1.758 casos de dengue, o equivalente a cinco por dia, além de dois óbitos. O número é 2.152,56%, ou 22 vezes, maior do que o observado em 2018, quando 78 pessoas foram diagnosticadas e nenhuma morreu em decorrência da doença.

A equipe do Diário esteve no local na tarde de ontem e presenciou a dificuldade de pedestres para circular pela área. Caso da auxiliar de limpeza Valdenoura da Conceição, 49, que precisa caminhar pelo local diariamente para ir e voltar do trabalho. “Não existe calçada por aqui. Infelizmente, já acostumamos com essa realidade”, lamenta a moradora, obrigada a circular pela rua. 

O estudante de informática Vinícius Amorim, 18, destaca que, na semana passada, dois comerciantes da região tiveram as motos danificadas por estarem estacionadas no trecho. “Eles (motociclistas) não sabiam que esse pedaço alaga. Entrou água no motor”, comenta. 

Por meio de nota, a Prefeitura de Ribeirão Pires informou que “foi identificado um problema em galeria de captação de água pluvial” no trecho citado e que a Secretaria de Serviços Urbanos realizará intervenções no local para garantir a correta vazão da água. Não foram especificados, entretanto, prazos. 

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;