Fechar
Publicidade

Sábado, 16 de Janeiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Política

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

Câmaras adotam medidas drásticas contra coronavírus

André Henriques Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Santo André e Diadema têm procedimentos mais enérgicos para evitar proliferação da doença


Daniel Tossato
Do Diário do Grande ABC

16/03/2020 | 16:31


Atualizada à 0h25

As câmaras do Grande ABC decidiram adotar medidas preventivas para evitar aglomeração de pessoas e a ameaça de transmissão do novo coronavírus, mas em duas cidades as mudanças na rotina serão mais drásticas. O Legislativo de Santo André vai realizar sessão apenas uma vez por semana, às terças-feiras pela manhã – medida que vale até 5 de abril em um primeiro momento. As plenárias às quinta-feiras ficam suspensas no período. Já em Diadema, a casa dispensou vereadores com mais de 60 anos ou que façam parte dos grupos de risco, como asmáticos e hipertensos, porém, com justificativa, até o dia 30 de abril.

De acordo com o presidente do Legislativo andreense, Pedrinho Botaro (PSDB), a intenção é resguardar o maior número de pessoas, evitando o contato direto. “As sessões ordinárias ocorrerão às terças-feiras e serão restritas apenas a vereadores, funcionários, estagiários e imprensa. O público poderá acompanhar as transmissões por meio do site da Câmara”, disse o tucano.

Além disso, funcionários com mais de 60 anos ou que estejam nos grupos de risco deverão optar por trabalhar em esquema de home office, desde que haja controle da jornada de trabalho. “Em um primeiro momento vamos até o dia 5 de abril nessa rotina. Mas devo lembrar que os funcionários não poderão sair de sua cidade de residência”, salientou Pedrinho.

Na Câmara de Diadema, a ordem também se estende aos funcionários com mais de 60 anos ou que estejam nos grupos de risco. “Vereadores com mais de 60 anos ou pertencentes aos grupos de risco ficam dispensados, com justificativa, de participação, votação nas sessões ordinárias e eventuais extraordinárias”, diz nota oficial do Legislativo. A casa também adotou sessão a portas fechas, sem a presença dos munícipes.

Em Mauá, o acesso de munícipes, assim como servidores que se enquadrem nos grupos de risco, também será restrito. A rotina adotada pela casa deverá vigorar até dia 31 de março. O Legislativo recomendou que o contato com gabinetes seja realizado, preferencialmente, através de telefone ou e-mail.

As sessões de Ribeirão Pires também ocorrerão com portas fechadas ao público, somente com a presença de funcionários e dos vereadores. A decisão, conforme vereadores ouvidos pelo Diário, “é até segunda ordem”.

Já as câmaras de São Bernardo, São Caetano e Rio Grande da Serra deverão anunciar hoje mudanças na rotina legislativa. Extraoficialmente, São Bernardo deverá seguir as outras casas e restringir acesso do público e dispensar funcionários em grupos de risco.

Vereadores de São Caetano confirmaram que haverá sessão hoje à tarde, mas também com restrição de acesso por parte do público. Sessões solenes e audiências também estão canceladas. Presidente da Câmara de Rio Grande da Serra, Claudinho Monteiro (PSB) declarou que irá restringir acesso dos munícipes.

Prefeituras também mudam rotina

As prefeituras do Grande ABC também anunciaram procedimentos preventivos que visam evitar aglomerações e expor colaboradores que fazem parte do grupo de risco ao contágio do coronavírus.

Santo André, por exemplo, afastou os servidores com mais de 60 anos, as gestantes, portadores de doenças crônicas e doenças imunossuprimidas até 5 de abril. A condição dependerá de comprovação por meio de relatório médico. A medida não se aplica aos servidores da Saúde, conforme nota da Prefeitura.

Em São Bernardo, os funcionários com mais de 60 anos deverão realizar suas funções via home office. A restrição não se estende aos colaboradores de saúde e segurança, que também tiveram férias e folgas suspensas pelo Executivo.

A Prefeitura de São Caetano liberou os servidores a partir de 65 anos, gestantes e portadores de doenças crônicas até dia 31 de março.

Já em Diadema, servidores que retornaram de viagem do Exterior, bem como os que tiveram contato habitual em ambiente domiciliar com viajantes, deverão adotar home office, mesmo que não tenham sintomas da doença. A dispensa se estende aos funcionários com mais de 60 anos e que façam parte do grupo de risco, menos aos funcionários da saúde e de segurança.

Mauá e Ribeirão Pires também adotaram medidas restritivas aos funcionários com mais de 60 anos e que façam parte do grupo de risco.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Câmaras adotam medidas drásticas contra coronavírus

Santo André e Diadema têm procedimentos mais enérgicos para evitar proliferação da doença

Daniel Tossato
Do Diário do Grande ABC

16/03/2020 | 16:31


Atualizada à 0h25

As câmaras do Grande ABC decidiram adotar medidas preventivas para evitar aglomeração de pessoas e a ameaça de transmissão do novo coronavírus, mas em duas cidades as mudanças na rotina serão mais drásticas. O Legislativo de Santo André vai realizar sessão apenas uma vez por semana, às terças-feiras pela manhã – medida que vale até 5 de abril em um primeiro momento. As plenárias às quinta-feiras ficam suspensas no período. Já em Diadema, a casa dispensou vereadores com mais de 60 anos ou que façam parte dos grupos de risco, como asmáticos e hipertensos, porém, com justificativa, até o dia 30 de abril.

De acordo com o presidente do Legislativo andreense, Pedrinho Botaro (PSDB), a intenção é resguardar o maior número de pessoas, evitando o contato direto. “As sessões ordinárias ocorrerão às terças-feiras e serão restritas apenas a vereadores, funcionários, estagiários e imprensa. O público poderá acompanhar as transmissões por meio do site da Câmara”, disse o tucano.

Além disso, funcionários com mais de 60 anos ou que estejam nos grupos de risco deverão optar por trabalhar em esquema de home office, desde que haja controle da jornada de trabalho. “Em um primeiro momento vamos até o dia 5 de abril nessa rotina. Mas devo lembrar que os funcionários não poderão sair de sua cidade de residência”, salientou Pedrinho.

Na Câmara de Diadema, a ordem também se estende aos funcionários com mais de 60 anos ou que estejam nos grupos de risco. “Vereadores com mais de 60 anos ou pertencentes aos grupos de risco ficam dispensados, com justificativa, de participação, votação nas sessões ordinárias e eventuais extraordinárias”, diz nota oficial do Legislativo. A casa também adotou sessão a portas fechas, sem a presença dos munícipes.

Em Mauá, o acesso de munícipes, assim como servidores que se enquadrem nos grupos de risco, também será restrito. A rotina adotada pela casa deverá vigorar até dia 31 de março. O Legislativo recomendou que o contato com gabinetes seja realizado, preferencialmente, através de telefone ou e-mail.

As sessões de Ribeirão Pires também ocorrerão com portas fechadas ao público, somente com a presença de funcionários e dos vereadores. A decisão, conforme vereadores ouvidos pelo Diário, “é até segunda ordem”.

Já as câmaras de São Bernardo, São Caetano e Rio Grande da Serra deverão anunciar hoje mudanças na rotina legislativa. Extraoficialmente, São Bernardo deverá seguir as outras casas e restringir acesso do público e dispensar funcionários em grupos de risco.

Vereadores de São Caetano confirmaram que haverá sessão hoje à tarde, mas também com restrição de acesso por parte do público. Sessões solenes e audiências também estão canceladas. Presidente da Câmara de Rio Grande da Serra, Claudinho Monteiro (PSB) declarou que irá restringir acesso dos munícipes.

Prefeituras também mudam rotina

As prefeituras do Grande ABC também anunciaram procedimentos preventivos que visam evitar aglomerações e expor colaboradores que fazem parte do grupo de risco ao contágio do coronavírus.

Santo André, por exemplo, afastou os servidores com mais de 60 anos, as gestantes, portadores de doenças crônicas e doenças imunossuprimidas até 5 de abril. A condição dependerá de comprovação por meio de relatório médico. A medida não se aplica aos servidores da Saúde, conforme nota da Prefeitura.

Em São Bernardo, os funcionários com mais de 60 anos deverão realizar suas funções via home office. A restrição não se estende aos colaboradores de saúde e segurança, que também tiveram férias e folgas suspensas pelo Executivo.

A Prefeitura de São Caetano liberou os servidores a partir de 65 anos, gestantes e portadores de doenças crônicas até dia 31 de março.

Já em Diadema, servidores que retornaram de viagem do Exterior, bem como os que tiveram contato habitual em ambiente domiciliar com viajantes, deverão adotar home office, mesmo que não tenham sintomas da doença. A dispensa se estende aos funcionários com mais de 60 anos e que façam parte do grupo de risco, menos aos funcionários da saúde e de segurança.

Mauá e Ribeirão Pires também adotaram medidas restritivas aos funcionários com mais de 60 anos e que façam parte do grupo de risco.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;