Fechar
Publicidade

Quarta-Feira, 20 de Novembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Política

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

Mauá tem primeira-dama destemida


Gislayne Jacinto
Do Diário do Grande ABC

22/05/2005 | 09:42


“Quem é casada com Diniz não tem medo de nada”, diz a primeira-dama de Mauá, Luzia Custódio Lopes, 39 anos. A frase é para ressaltar a “coragem” necessária para seguir ao lado do marido, Diniz Lopes (PL), prefeito interino da cidade. “Diniz não tem medo de nada, é corajoso, luta por seus objetivos.”

Luzia, em tom de brincadeira, diz que a harmonia do casal só é quebrada quando o assunto é futebol. Nesse ponto não há consenso. Ao se denominar “corintiana roxa”, Luzia é apoiada pela filha Bruna Tatiane Lopes, 14 anos, enquanto Diniz, fanático torcedor do Santos, tem como aliado o filho Diniz Lopes dos Santos Júnior, que, inclusive, treina na escolinha do time de coração. “É a maior briga quando se trata de Corinthians e Santos”, afirma a primeira-dama, que de vez em quando freqüenta estádios de futebol.

Mesmo não estando diretamente envolvida nas questões políticas, Luzia Lopes confessa dar conselhos ao marido sobre a administração de Mauá e diz que o papel da primeira-dama é atuar como conselheira nos momentos mais críticos. “Meu marido é um bom ouvinte, por isso não temos nenhuma dificuldade nesse sentido.”

Homens e mulheres ocupam igual proporção entre os integrantes da família Diniz. Mas, ‘sexo frágil’ domina certas tarefas em casa. Por exemplo: quem escolhe as roupas do prefeito interino de Mauá é a filha Bruna. “A estilista da família é minha filha. Então, não preciso me preocupar”, orgulha-se Luzia.

A primeira-dama, nascida em Goio-Erê, cidade no interior do Paraná, em 12 de setembro de 1965, chegou a Mauá em 1974 e casou-se com o liberal Diniz Lopes em 1988, quatro anos depois de terem se conhecido. “Eu trabalhava como perfumista em uma farmácia da qual ele era cliente. Aí pintou um clima e estamos juntos até hoje, há 21 anos.”

Luzia trabalhou como funcionária pública durante 14 anos (Setor de Rendas Mobiliárias e Junta Militar), mas, por ser celetista, foi demitida há mais de um ano pela gestão passada. Desde então, se dedica ao lar, mas não gosta de ser chamada de dona-de-casa. “Administro o lar”, prefere.

A primeira-dama, que cursou até o terceiro ano de Psicologia, diz que dos afazeres domésticos o que mais gosta é preparar o café da manhã. “Esse é o momento que a família faz questão de estar unida.” Luiza também gosta de cozinhar, confidenciando que o prato predileto do prefeito interino é grão-de-bico. “Somos muito simples, a felicidade dele é quando faço grão-de-bico.”

Para manter a forma física, Luzia anda em esteira elétrica uma hora, todos os dias, em casa. E diz que faria cirurgia plástica. “O estético pode não ser o principal, mas sou totalmente a favor da mulher que também deseja estar de bem com seu visual”, afirma.

Quanto à politica, a primeira-dama refuta totalmente a idéia de um dia candidatar-se a um cargo. “Sempre atuei ao lado de meu marido na vida pública. Isso é o que gosto de fazer. Não é necessário estar em cargo público para ser atuante.”

Nomeada a menos de uma semana (dia 17) como presidente do Fundo Social de Solidariedade, Luzia diz que iniciará as atividades com campanha do agasalho para ajudar moradores carentes. Ela não sabe quanto tempo permanecerá no cargo – Diniz Lopes é prefeito-tampão, porque a eleição da cidade está subjudice –, ela diz que vai usar o tempo que tiver para atuar em questões sociais. “Estou pronta para desenvolver meu trabalho social com responsabilidade, independentemente do tempo de mandato do prefeito Diniz Lopes.”

Ao ser questionada porque não participou das reuniões das primeiras-damas dos sete municípios do Grande ABC, ela conta que passou por alguns problemas – cirurgia na boca –, mas que na quinta-feira já foi ao primeiro encontro.

Luzia diz que apesar de a Prefeitura possuir uma Coordenadoria da Mulher que cuida das vítimas de violência doméstica, irá apoiar e incentivar este trabalho. “Isso é de grande importância”, afirma a primeira-dama que diz que sua melhor qualidade é a sinceridade. Já quanto ao defeito, dispara: “Como uma boa virginiana, sou perfeccionista”.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Mauá tem primeira-dama destemida

Gislayne Jacinto
Do Diário do Grande ABC

22/05/2005 | 09:42


“Quem é casada com Diniz não tem medo de nada”, diz a primeira-dama de Mauá, Luzia Custódio Lopes, 39 anos. A frase é para ressaltar a “coragem” necessária para seguir ao lado do marido, Diniz Lopes (PL), prefeito interino da cidade. “Diniz não tem medo de nada, é corajoso, luta por seus objetivos.”

Luzia, em tom de brincadeira, diz que a harmonia do casal só é quebrada quando o assunto é futebol. Nesse ponto não há consenso. Ao se denominar “corintiana roxa”, Luzia é apoiada pela filha Bruna Tatiane Lopes, 14 anos, enquanto Diniz, fanático torcedor do Santos, tem como aliado o filho Diniz Lopes dos Santos Júnior, que, inclusive, treina na escolinha do time de coração. “É a maior briga quando se trata de Corinthians e Santos”, afirma a primeira-dama, que de vez em quando freqüenta estádios de futebol.

Mesmo não estando diretamente envolvida nas questões políticas, Luzia Lopes confessa dar conselhos ao marido sobre a administração de Mauá e diz que o papel da primeira-dama é atuar como conselheira nos momentos mais críticos. “Meu marido é um bom ouvinte, por isso não temos nenhuma dificuldade nesse sentido.”

Homens e mulheres ocupam igual proporção entre os integrantes da família Diniz. Mas, ‘sexo frágil’ domina certas tarefas em casa. Por exemplo: quem escolhe as roupas do prefeito interino de Mauá é a filha Bruna. “A estilista da família é minha filha. Então, não preciso me preocupar”, orgulha-se Luzia.

A primeira-dama, nascida em Goio-Erê, cidade no interior do Paraná, em 12 de setembro de 1965, chegou a Mauá em 1974 e casou-se com o liberal Diniz Lopes em 1988, quatro anos depois de terem se conhecido. “Eu trabalhava como perfumista em uma farmácia da qual ele era cliente. Aí pintou um clima e estamos juntos até hoje, há 21 anos.”

Luzia trabalhou como funcionária pública durante 14 anos (Setor de Rendas Mobiliárias e Junta Militar), mas, por ser celetista, foi demitida há mais de um ano pela gestão passada. Desde então, se dedica ao lar, mas não gosta de ser chamada de dona-de-casa. “Administro o lar”, prefere.

A primeira-dama, que cursou até o terceiro ano de Psicologia, diz que dos afazeres domésticos o que mais gosta é preparar o café da manhã. “Esse é o momento que a família faz questão de estar unida.” Luiza também gosta de cozinhar, confidenciando que o prato predileto do prefeito interino é grão-de-bico. “Somos muito simples, a felicidade dele é quando faço grão-de-bico.”

Para manter a forma física, Luzia anda em esteira elétrica uma hora, todos os dias, em casa. E diz que faria cirurgia plástica. “O estético pode não ser o principal, mas sou totalmente a favor da mulher que também deseja estar de bem com seu visual”, afirma.

Quanto à politica, a primeira-dama refuta totalmente a idéia de um dia candidatar-se a um cargo. “Sempre atuei ao lado de meu marido na vida pública. Isso é o que gosto de fazer. Não é necessário estar em cargo público para ser atuante.”

Nomeada a menos de uma semana (dia 17) como presidente do Fundo Social de Solidariedade, Luzia diz que iniciará as atividades com campanha do agasalho para ajudar moradores carentes. Ela não sabe quanto tempo permanecerá no cargo – Diniz Lopes é prefeito-tampão, porque a eleição da cidade está subjudice –, ela diz que vai usar o tempo que tiver para atuar em questões sociais. “Estou pronta para desenvolver meu trabalho social com responsabilidade, independentemente do tempo de mandato do prefeito Diniz Lopes.”

Ao ser questionada porque não participou das reuniões das primeiras-damas dos sete municípios do Grande ABC, ela conta que passou por alguns problemas – cirurgia na boca –, mas que na quinta-feira já foi ao primeiro encontro.

Luzia diz que apesar de a Prefeitura possuir uma Coordenadoria da Mulher que cuida das vítimas de violência doméstica, irá apoiar e incentivar este trabalho. “Isso é de grande importância”, afirma a primeira-dama que diz que sua melhor qualidade é a sinceridade. Já quanto ao defeito, dispara: “Como uma boa virginiana, sou perfeccionista”.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;