Fechar
Publicidade

Segunda-Feira, 14 de Outubro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Esportes

esportes@dgabc.com.br | 4435-8384

Jogadores do Boca sao recebidos como heróis na Argentina


Do Diário do Grande ABC

22/06/2000 | 11:38


Centenas de torcedores romperam nesta quinta-feira o cordao de isolamento no aeroporto internacional de Ezeiza (32 km ao Sul da capital Buenos Aires) na chegada dos jogadores do Boca Juniors, depois da conquista, na noite de quarta-feira, da Taça Libertadores da América, em Sao Paulo, contra o Palmeiras, nos pênaltis.

A Polícia Aeronáutica nao pôde conter os torcedores que tentavam se aproximar de seus ídolos, na chegada do aviao ao aeroporto pela manha.

Por causa da confusao, os jogadores e a comissao técnica tiveram que se refugiar novamente na Aduana do terminal aéreo, mas uma hora depois, quando chegaram mais guardas, o grupo saiu por outra passagem.

O treinador Carlos Bianchi conseguiu dizer brevemente à imprensa que seus jogadores "nao se sentiram pressionados" e destacou que "o público nao joga, quem joga sao os jogadores".

Na madrugada desta quinta-feira, os festejos de milhares de torcedores pelas ruas de Buenos Aires deixaram um saldo de três feridos, um deles um policial, assim como saques e depredaçao de lojas, além de uma dezena de detençoes, informou a polícia.

Em torno do Obelisco de Buenos Aires, cenário tradicional dos festejos esportivos, onde se reuniram cerca de quatro mil 'xeneizes', grupos de torcedores depredaram as vitrines de uma agência bancária, uma discoteca, um restaurante e um posto de venda de jornais. Caravanas de automóveis engarrafaram o centro da capital, com torcedores cantando músicas que depreciavam o arqui-rival River Plate.

As comemoraçoes se estenderam por quase todas as cidades do país. No balneário de Mar del Plata (400 km ao Sul) também se registraram distúrbios, com um saldo de 14 presos, por causa do saque ao comércio.

Esta manha, as comemoraçoes continuavam em frente ao estádio do Boca, com torcedores que haviam regressado de Sao Paulo, onde assistiram à partida que os argentinos ganharam na noite de quarta-feira, em decisao por pênaltis (4 a 2), depois do empate sem gols no tempo regulamentar e 2 a 2 na partida de ida em Buenos Aires.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Jogadores do Boca sao recebidos como heróis na Argentina

Do Diário do Grande ABC

22/06/2000 | 11:38


Centenas de torcedores romperam nesta quinta-feira o cordao de isolamento no aeroporto internacional de Ezeiza (32 km ao Sul da capital Buenos Aires) na chegada dos jogadores do Boca Juniors, depois da conquista, na noite de quarta-feira, da Taça Libertadores da América, em Sao Paulo, contra o Palmeiras, nos pênaltis.

A Polícia Aeronáutica nao pôde conter os torcedores que tentavam se aproximar de seus ídolos, na chegada do aviao ao aeroporto pela manha.

Por causa da confusao, os jogadores e a comissao técnica tiveram que se refugiar novamente na Aduana do terminal aéreo, mas uma hora depois, quando chegaram mais guardas, o grupo saiu por outra passagem.

O treinador Carlos Bianchi conseguiu dizer brevemente à imprensa que seus jogadores "nao se sentiram pressionados" e destacou que "o público nao joga, quem joga sao os jogadores".

Na madrugada desta quinta-feira, os festejos de milhares de torcedores pelas ruas de Buenos Aires deixaram um saldo de três feridos, um deles um policial, assim como saques e depredaçao de lojas, além de uma dezena de detençoes, informou a polícia.

Em torno do Obelisco de Buenos Aires, cenário tradicional dos festejos esportivos, onde se reuniram cerca de quatro mil 'xeneizes', grupos de torcedores depredaram as vitrines de uma agência bancária, uma discoteca, um restaurante e um posto de venda de jornais. Caravanas de automóveis engarrafaram o centro da capital, com torcedores cantando músicas que depreciavam o arqui-rival River Plate.

As comemoraçoes se estenderam por quase todas as cidades do país. No balneário de Mar del Plata (400 km ao Sul) também se registraram distúrbios, com um saldo de 14 presos, por causa do saque ao comércio.

Esta manha, as comemoraçoes continuavam em frente ao estádio do Boca, com torcedores que haviam regressado de Sao Paulo, onde assistiram à partida que os argentinos ganharam na noite de quarta-feira, em decisao por pênaltis (4 a 2), depois do empate sem gols no tempo regulamentar e 2 a 2 na partida de ida em Buenos Aires.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;