Fechar
Publicidade

Domingo, 5 de Abril

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Cultura & Lazer

cultura@dgabc.com.br | 4435-8364

Geraldo de Barros fundamental


Everaldo Fioravante
Do Diário do Grande ABC

08/12/2005 | 08:38


A fundamental obra de Geraldo de Barros (1923-1998) é assunto na galeria paulistana Brito Cimino da próxima segunda-feira (dia 12) até 4 de fevereiro com a mostra A(s)simetrias, que tem entrada franca. A curadoria é do pesquisador de fotografia Rubens Fernandes Junior.

Segundo o curador, o principal da exposição são as 79 obras da série Sobras – a metade desse conjunto é inédita. São obras desenvolvidas por Barros entre 1996 e 1998, já no fim da vida e sofrendo por conta de isquemias cerebrais – o que limitou seus movimentos corporais. Outra série fotográfica exposta é a Fotoformas, realizada entre 1946 e 1951.

“Geraldo de Barros é um nome emblemático da fotografia da modernidade, responsável por uma ruptura. No Brasil, é o primeiro a desafiar os cânones estabelecidos. Ele inaugura no país novas possibilidades do fazer fotográfico com as Fotoformas, rompe com a fotografia vinculada ao registro da realidade”, diz Fernandes Junior.

Nas Fotoformas, Barros fez interferências diretamente nos negativos, entre elas desenhos a ponta-seca e recortes, além da sobreposição dos mesmos. A maioria é de obras abstratas, com acentuado aspecto concreto.

Barros, junto a nomes como o do andreense Luiz Sacilotto (1924-2003) e Waldemar Cordeiro (1925-1973), é pioneiro do movimento concretista no Brasil, no início dos anos 50.

Já Sobras é uma série mais introspectiva, na qual Barros utilizou por exemplo fotos familiares (negativos e positivos) e colagem. “Em relação às Fotoformas, nas Sobras as intervenções são mais radicais”, afirma o curador.

A mostra traz ainda obras de outros gêneros e períodos da produção de Barros e rende também um livro, a ser lançado no período em cartaz.

A(s)simetrias – Exposição. Na Galeria Brito Cimino – r. Gomes de Carvalho, 842, São Paulo. Tel.: 3842-0635. Abertura: segunda-feira (dia 12), das 19h às 23h. De terça a sexta, das 11h às 19h, e sábados, das 11h às 17h. Entrada franca. Até 4 de fevereiro.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Geraldo de Barros fundamental

Everaldo Fioravante
Do Diário do Grande ABC

08/12/2005 | 08:38


A fundamental obra de Geraldo de Barros (1923-1998) é assunto na galeria paulistana Brito Cimino da próxima segunda-feira (dia 12) até 4 de fevereiro com a mostra A(s)simetrias, que tem entrada franca. A curadoria é do pesquisador de fotografia Rubens Fernandes Junior.

Segundo o curador, o principal da exposição são as 79 obras da série Sobras – a metade desse conjunto é inédita. São obras desenvolvidas por Barros entre 1996 e 1998, já no fim da vida e sofrendo por conta de isquemias cerebrais – o que limitou seus movimentos corporais. Outra série fotográfica exposta é a Fotoformas, realizada entre 1946 e 1951.

“Geraldo de Barros é um nome emblemático da fotografia da modernidade, responsável por uma ruptura. No Brasil, é o primeiro a desafiar os cânones estabelecidos. Ele inaugura no país novas possibilidades do fazer fotográfico com as Fotoformas, rompe com a fotografia vinculada ao registro da realidade”, diz Fernandes Junior.

Nas Fotoformas, Barros fez interferências diretamente nos negativos, entre elas desenhos a ponta-seca e recortes, além da sobreposição dos mesmos. A maioria é de obras abstratas, com acentuado aspecto concreto.

Barros, junto a nomes como o do andreense Luiz Sacilotto (1924-2003) e Waldemar Cordeiro (1925-1973), é pioneiro do movimento concretista no Brasil, no início dos anos 50.

Já Sobras é uma série mais introspectiva, na qual Barros utilizou por exemplo fotos familiares (negativos e positivos) e colagem. “Em relação às Fotoformas, nas Sobras as intervenções são mais radicais”, afirma o curador.

A mostra traz ainda obras de outros gêneros e períodos da produção de Barros e rende também um livro, a ser lançado no período em cartaz.

A(s)simetrias – Exposição. Na Galeria Brito Cimino – r. Gomes de Carvalho, 842, São Paulo. Tel.: 3842-0635. Abertura: segunda-feira (dia 12), das 19h às 23h. De terça a sexta, das 11h às 19h, e sábados, das 11h às 17h. Entrada franca. Até 4 de fevereiro.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;