Fechar
Publicidade

Domingo, 23 de Fevereiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Política

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

Delegado da PF na Lava Jato quer ouvir Filippi

Ari Paleta/DGABC  Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Ex-prefeito de Diadema foi citado por Josélio Sousa em mesmo documento que Lula e Rui Falcão


Leandro Baldini
Do Diário do Grande ABC

18/09/2015 | 07:00


A PF (Polícia Federal) quer ouvir, na Operação Lava Jato, o ex-prefeito de Diadema José de Filippi (PT) por seu trabalho como tesoureiro nas campanhas presidenciais de Luiz Inácio Lula da Silva (PT), em 2006, e de Dilma Rousseff (PT), em 2010.

A investigação da PF busca apurar denúncia de corrupção na Petrobras, entre 2004 e 2014, em esquema de arrecadação de propina para abastecer campanhas eleitorais do PT.

O documento já encaminhado ao STF (Supremo Tribunal Federal) é o mesmo que pede o depoimento de Lula. O nome o presidente do PT, Rui Falcão, também consta no relatório.

O pedido foi feito pelo delegado Josélio Sousa, que integra a força-tarefa da Lava Jato perante o STF. A PF estabeleceu prazo de 80 dias para aprofundar as investigações, justificando que o período se dá por conta “das dimensões dos fatos e a quantidade de investigado nos autos”.

Apurações sentenciaram a prisão do ex-tesoureiro do PT João Vaccari Neto, em 15 de abril, por suspeita de corrupção e lavagem de dinheiro. O petista nega ter participado de esquema.

Procurado pela equipe do Diário, o ex-prefeito diademense anunciou que “não vai se pronunciar, pois até o momento não foi notificado oficialmente”.

Em junho, Filippi foi convocado a prestar depoimento na CPI da Petrobras, em requerimento apresentado pelo deputado federal Bruno Covas (PSDB-SP). A convocação do ex-prefeito de Diadema se deu após Ricardo Pessoa, presidente da UTC Engenharia, incluir seu nome no rol de suspeitos de terem recebido dinheiro público desviado da Petrobras. O petista nega as acusações.

Na quinta-feira, reportagem do Diário mostrou que Filippi retirou seu nome como representante do PT na corrida pelo Paço de Diadema, no ano que vem. Em reunião com petistas, o ex-prefeito assegurou que a decisão não estava atrelada à citação na Lava Jato. Garantiu tratar-se de posição firmada junto à família.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Delegado da PF na Lava Jato quer ouvir Filippi

Ex-prefeito de Diadema foi citado por Josélio Sousa em mesmo documento que Lula e Rui Falcão

Leandro Baldini
Do Diário do Grande ABC

18/09/2015 | 07:00


A PF (Polícia Federal) quer ouvir, na Operação Lava Jato, o ex-prefeito de Diadema José de Filippi (PT) por seu trabalho como tesoureiro nas campanhas presidenciais de Luiz Inácio Lula da Silva (PT), em 2006, e de Dilma Rousseff (PT), em 2010.

A investigação da PF busca apurar denúncia de corrupção na Petrobras, entre 2004 e 2014, em esquema de arrecadação de propina para abastecer campanhas eleitorais do PT.

O documento já encaminhado ao STF (Supremo Tribunal Federal) é o mesmo que pede o depoimento de Lula. O nome o presidente do PT, Rui Falcão, também consta no relatório.

O pedido foi feito pelo delegado Josélio Sousa, que integra a força-tarefa da Lava Jato perante o STF. A PF estabeleceu prazo de 80 dias para aprofundar as investigações, justificando que o período se dá por conta “das dimensões dos fatos e a quantidade de investigado nos autos”.

Apurações sentenciaram a prisão do ex-tesoureiro do PT João Vaccari Neto, em 15 de abril, por suspeita de corrupção e lavagem de dinheiro. O petista nega ter participado de esquema.

Procurado pela equipe do Diário, o ex-prefeito diademense anunciou que “não vai se pronunciar, pois até o momento não foi notificado oficialmente”.

Em junho, Filippi foi convocado a prestar depoimento na CPI da Petrobras, em requerimento apresentado pelo deputado federal Bruno Covas (PSDB-SP). A convocação do ex-prefeito de Diadema se deu após Ricardo Pessoa, presidente da UTC Engenharia, incluir seu nome no rol de suspeitos de terem recebido dinheiro público desviado da Petrobras. O petista nega as acusações.

Na quinta-feira, reportagem do Diário mostrou que Filippi retirou seu nome como representante do PT na corrida pelo Paço de Diadema, no ano que vem. Em reunião com petistas, o ex-prefeito assegurou que a decisão não estava atrelada à citação na Lava Jato. Garantiu tratar-se de posição firmada junto à família.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;