Fechar
Publicidade

Sexta-Feira, 7 de Agosto

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Nacional

nacional@dgabc.com.br | 4435-8301

Promotor que matou jovem é suspenso, mas segue recebendo salário


Do Diário OnLine

02/03/2005 | 08:18


O promotor Thales Ferri Schodell, 26 anos, foi afastado do cargo pelo Conselho Superior do Ministério Público, mas continuará recebendo o salário de R$ 5,8 mil. No dia 30 de dezembro, o promotor matou o jogador de basquete Diego Mendes, 20 anos, e feriu Felipe Siqueira da Cunha, 20, durante um luau na Riviera de São Lourenço, em Bertioga (litoral de São Paulo).

O Ministério Público tem 60 dias para definir se o promotor, que confessou o crime, vai ser exonerado. Se a decisão acontecer, Thales ainda poderá recorrer para continuar recebendo salários.

O amigo de Diego, Felipe, sobreviveu depois de permanecer dias hospitalizado. Em seu depoimento, ele afirmou que não mexeu com a namorada de Thales, como foi alegado pela defesa do promotor. Thales Ferri Schoedl afirma que agiu em legítima defesa. Ele teria discutido com os jovens depois que os dois fizeram brincadeiras com sua namorada.

O assassino está em liberdade provisória, concedida pelos desembargadores do órgão especial do TJ-SP (Tribunal de Justiça de São Paulo).



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Promotor que matou jovem é suspenso, mas segue recebendo salário

Do Diário OnLine

02/03/2005 | 08:18


O promotor Thales Ferri Schodell, 26 anos, foi afastado do cargo pelo Conselho Superior do Ministério Público, mas continuará recebendo o salário de R$ 5,8 mil. No dia 30 de dezembro, o promotor matou o jogador de basquete Diego Mendes, 20 anos, e feriu Felipe Siqueira da Cunha, 20, durante um luau na Riviera de São Lourenço, em Bertioga (litoral de São Paulo).

O Ministério Público tem 60 dias para definir se o promotor, que confessou o crime, vai ser exonerado. Se a decisão acontecer, Thales ainda poderá recorrer para continuar recebendo salários.

O amigo de Diego, Felipe, sobreviveu depois de permanecer dias hospitalizado. Em seu depoimento, ele afirmou que não mexeu com a namorada de Thales, como foi alegado pela defesa do promotor. Thales Ferri Schoedl afirma que agiu em legítima defesa. Ele teria discutido com os jovens depois que os dois fizeram brincadeiras com sua namorada.

O assassino está em liberdade provisória, concedida pelos desembargadores do órgão especial do TJ-SP (Tribunal de Justiça de São Paulo).

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;