Fechar
Publicidade

Segunda-Feira, 25 de Outubro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

economia@dgabc.com.br | 4435-8057

Pesquisa de preço é fundamental na compra de hortifrúti

Orlando Filho/DGABC  Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Valor do tomate é 31,1% mais barato na feira, enquanto a alface custa 15,6% mais nas barracas


Renato Gerbelli
Especial para o Diário

22/08/2014 | 07:28


Os hortifrúti são mais baratos no supermercado ou na feira livre? Se os consumidores tiverem tempo de sobra para pesquisar, o mais viável é ir aos dois locais para conseguir economizar o máximo possível.

A equipe do Diário comparou os preços de cinco produtos na feira do bairro Jardim, em Santo André, com a pesquisa divulgada ontem pela Craisa (Companhia Regional de Abastecimento Integrado de Santo André), que analisa os valores praticados nos supermercados da região, e constatou que o tomate e a laranja são mais baratos no mercado a céu aberto, já a cebola, batata e alface saem mais em conta nos estabelecimentos. No geral, porém, a feira livre apresentou pequena vantagem econômica.

O quilo da cebola foi o que mais variou de preço. No supermercado, sai em média por R$ 2,28, enquanto na feira foi encontrado a R$ 3 – 31,5% mais caro. O quilo do tomate, por sua vez, estava 31,1% mais em conta nas barracas (R$ 2,50) do que no mercado (R$ 3,63).

A unidade da alface e o quilo da batata mostraram menor variação. Enquanto as folhas custavam em média R$ 1,73 no supermercado, na feira saíam por R$ 2, preço 15,6% maior. Já a batata apresentou o mesmo valor da verdura no mercado a céu aberto, 14,94% mais caro que o R$ 1,74 cobrado nos estabelecimentos.

No caso da dúzia da laranja-pera, na feira ela era oferecida por R$ 3. As seis unidades, porém, equivalem a cerca de 2,5 quilos do produto. Em outras palavras, o quilo custava R$ 1,20. De acordo com a pesquisa da Craisa, o item era cotado a R$ 1,64 o quilo nos supermercados. Ou seja, economia de 26,8% para quem foi à feira livre.

CONCLUSÃO - Apesar de três dos cinco produtos analisados estarem mais baratos nos supermercados, somando todos os valores, a compra nas tradicionais barracas de rua sairiam por R$ 10,70, enquanto nos estabelecimentos se pagaria R$ 11,02, diferença de apenas R$ 0,32.

Além da pequena vantagem no preço, o presidente do Sindicato dos Feirantes do ABDMRP, Odair Roberto Loureiro, destacou a qualidade dos itens oferecidos no mercado a céu aberto. “Nas feiras livres, o consumidor pode ter certeza que vai comprar um produto fresco. Já no supermercado, ele corre o risco de adquirir algum hortifrúti que está no balcão há alguns dias”, afirmou. 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;