Fechar
Publicidade

Quarta-Feira, 12 de Dezembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Nacional

nacional@dgabc.com.br | 4435-8301

Pistoleiro confessa que matou prefeita de Mundo Novo


Do Diário do Grande ABC

08/12/1999 | 17:30


O pistoleiro Getúlio Machado confessou que matou a prefeita de Mundo Novo (MS), Dorcelina de Oliveira Folador, de 36 anos. A confissao foi feita no início da noite desta terça, ao delegado do Grupo Armado de Repressao a Roubos, Assaltos e Seqüestros (Garra) Marcelo Vargas. Machado confirmou que recebeu R$ 20 mil do despachante Roldao Teixeira de Carvalho e, no dia 30 de novembro, receberia mais R$ 15 mil.

O total de R$ 35 mil seria pago pelo secretário da Fazenda da prefeitura de Mundo Novo, Jusmar Martins da Silva, acusado de ser o mandante do crime.

Machado disse que, pouco depois das 23 horas de 30 de outubro, descarregou o pente de uma automática calibre 380 sobre a vítima.

Para tanto, usou uma escada de madeira para subir no muro dos fundos da casa de Dorcelina. Ela conversava com o marido e com uma das duas filhas na varanda, de costas para o muro. Quando o marido, César Folador, foi até a frente da residência, Dorcelina foi baleada.

Acertaram as costas dela seis tiros e dois ficaram cravados na parede da casa. Depois do assassinato, Machado foi para Guaíra (PR), na divisa com Mundo Novo, Extremo Sul de Mato Grosso do Sul. Ao passar sobre a ponte do Rio Paraná, jogou a arma na água, de acordo com o que comentou ao delegado.

Silva ficou decepcionado com a prefeita porque gastou muito dinheiro na campanha política de Dorcelina em 1996 e, quando ganhou dela o cargo de secretário de Agricultura, foi exonerado pela prefeita no início de 1997.

Naquele mesmo ano, deixou o PT, que era o mesmo partido de Dorcelina, e filiou-se ao PMN, cujo diretório municipal é presidido atualmente por Martins da Silva, que também trabalhou na campanha de Dorcelina, sob a promessa de que teria um cargo na prefeitura, mas a prefeita nao cumpriu o que prometeu. Por meio de outro correligionário do PMN, Maurício Fernandes da Silva, Jusmar Martins da Silva contratou o pistoleiro Manoel José Idalgo, preso no fim de novembro, em Altônia, Norte do Paraná, a quem pagou R$ 2.500,00 e deu uma arma para matar Dorcelina.

Porém, Idalgo desapareceu na época. No fim da campanha política de 1998, a prefeita descobriu que Carvalho estava panfletando em Mundo Novo com ofensas ao PT e a ela.

Dorcelina foi juntamente com outras pessoas no escritório do despachante, que levou uma surra. Conforme consta no Boletim de Ocorrência da Delegacia de Policia de Mundo Novo, houve graves lesoes nos testículos de Carvalho. O despachante disse ao delegado que Dorcelina, durante a briga, desfechou-lhe um chute no meio das pernas, deixando-o até agora, impotente. A partir desse episódio, ficou com raiva da prefeita e, por isso, resolveu contratar outro pistoleiro para Jusmar Martins da Silva.

Foi apresentado por Fernandes da Silva a Machado, que assassinou a prefeita. O vice-prefeito na época, Kleber Corrêa, expulso do PMDB, a exemplo do cunhado Martins da Silva, por causa do assassinato de Dorcelina, assumiu o cargo de prefeito e nomeou o cunhado secretário da Fazenda.

Martins da Silva, antes da posse na secretaria, teria contado ao prefeito que havia pago um pistoleiro para matar Dorcelina e, mesmo assim, assumiu o cargo. A decisao do prefeito criou uma crise política em Mundo Novo, onde, há quatro dias consecutivos, dezenas de populares impedem a entrada de Corrêa, pedindo intervençao na prefeitura ou impeachment. Os vereadores estao aguardando a decisao final da Justiça para tomar uma decisao sobre o assunto.

O governador do Mato Grosso do Sul, José Orcírio Miranda dos Santos, o Zeca do PT, também aguarda a Justiça. Nesta quarta, a Comissao Executiva Regional do PT publicou comunicado nos jornais locais, afirmando estar acreditando na Justiça e ressaltando que o assassinato da prefeita está totalmente esclarecido. O juiz de Mundo Novo, Cléber José Corsato, expediu liminar quebrando sigilo bancário de Martins da Silva e pedindo o recolhimento de todos os cheques emitidos por ele durante o período que ocupou o cargo de secretário de Fazenda. A medida é para confirmar ou nao noticias de que os R$ 20 mil pagos para Machado saíram dos cofres da prefeitura.

Ainda nesta quarta, cinco mergulhadores do Corpo de Bombeiros iniciaram o trabalho para tentar recuperar a arma usada pelo pistoleiro.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Pistoleiro confessa que matou prefeita de Mundo Novo

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, acesse com:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;