Economia Titulo Facilidade
Santo André dá largada para o conceito de ‘cidade 15 minutos'

Com 23 corredores comerciais, intenção é que morador possa suprir as necessidades no próprio bairro

Nilton Valentim
Do Diário do Grande ABC
20/08/2023 | 10:26
Compartilhar notícia
Avenida Itamarati é o corredor comercial com maior número de estabelecimentos; são 359 atividades instaladas de uma ponta a outra da via (FOTO: André Henriques)


O conceito de ‘cidade 15 minutos’ prevê que neste tempo as pessoas possam ter acesso a tudo o que necessitam sem precisar tirar o carro da garagem. Esse princípio norteou a Prefeitura de Santo André a mapear e ampliar o número de corredores comerciais, que passaram de 14 para 23, espalhados por diversos bairros e também pela Vila Ferroviária de Paranapiacaba (confira os endereços na arte abaixo)

Ao todo, São 3.763 atividades em setores como saúde, beleza, alimentação, serviços automotivos, moda e lazer, entre outros. 

O mapeamento foi realizada por meio da Secretaria de Planejamento Estratégico e Licenciamento, que é comandada por Acácio Miranda, e faz parte da revisão do Plano Diretor da cidade, que está em andamento.

“É um pouco daquele conceito de cidade 15 minutos, que hoje existe nos grandes centros no mundo. Todas as atividades necessárias a 15 minutos da residência da pessoa. Então, com isso você evita uma série de coisas, inclusive o trânsito. A lógica dos corredores partiu disso. O morador tem todas as atividades comerciais, entretenimento, saúde, educação... Sem que haja necessidade de grandes deslocamentos, isso vira um estímulo para que ele não precise tirar o carro da garagem”, afirma Acácio.

O levantamento foi feito a partir dos dados obtidos pela Fipe (Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas). Os pesquisadores apontaram a Avenida Itamarati com a maior densidade de estabelecimentos (359), seguida pela Oratório (319) e Rua Carijós (291). Entre as atividades, o segmento de saúde, beleza e bem estar é o primeiro, com 775 pontos, seguido por alimentação (709) e produtos e serviços alimentícios (556).

“O segundo subdistrito surpreendeu por conta da quantidade de eixos comerciais”, aponta Acácio. São cinco, que juntos, reúnem 1.195 negócios. “O viaduto (Complexo Viário Santa Terezinha) vai facilitar a mobilidade e eles (moradores do segundo subdistrito) ficarão ainda mais inseridos nesse contexto”, aponta o secretário, destacando que até pouco tempo era comum que as pessoas daquela região dissessem que ‘iam a Santo André’ quando precisavam resolver alguma coisa no Centro da cidade.

Segundo o secretário, mapear os corredores comerciais e manter a informação atualizada nos registros é fundamental para o desenvolvimento de ações de planejamento e políticas públicas que contribuam para o desenvolvimento econômico e urbano da cidade.

EMPREGO E RENDA

Além disso, o mapeamento dos corredores com alta concentração de comércios e serviços facilita as ações para desenvolvimento de ações que visem o emprego, consumo e renda nos bairros.

“Nosso foco, após o mapeamento destes endereços, é definir estes corredores como Zeics (Zonas Especiais de Interesse Comercial) no Plano Diretor. Na lógica de tornar estes corredores como Zeics, utilizaremos recursos da outorga onerosa do direito de construir, provenientes da expansão do mercado imobiliário para aplicação em projetos e qualificações de infraestrutura destas áreas”, explica Diego Cabral, diretor do DDPU ( Departamento de Desenvolvimento e Projetos Urbanos). 

A definição dos corredores levou em consideração também as informações que foram passadas pelos moradores, durante as consultas que foram feitas durante a elaboração do Plano Diretor. “Uma das questões era onde a população consumia. Então, houve uma orientação por parte do próprio munícipe que disse ‘eu moro no território ‘X’ e faço compras nessa nessa via’”, ilustrou.

O mapeamento com os 23 corredores foi exposto aos empresários na Acisa (Associação Comercial e Industrial de Santo André) na última segunda-feira pelo secretário Acácio Miranda.




Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


;