Fechar
Publicidade

Domingo, 23 de Janeiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

economia@dgabc.com.br | 4435-8057

Greve na GM expõe racha com sindicato

Arthur Gandini Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Entidade defendeu o fim da paralisação, mas metalúrgicos decidiram pela continuidade


Arthur Gandini
Especial para o Diário

15/10/2021 | 00:01


As duas assembleias de trabalhadores realizadas ontem na GM (General Motors) de São Caetano, no período da manhã e da tarde, decidiram pela continuidade da greve em curso desde o dia 1º. A direção do Sindicato dos Metalúrgicos de São Caetano defende o fim da paralisação.

O TRT-2 (Tribunal Regional do Trabalho da 2ª Região) definiu na quarta-feira que a greve deveria ser encerrada e que seria classificada como abusiva a partir de ontem. O Tribunal indeferiu o pedido do sindicato de fixação de vale-alimentação, devido a não haver cláusula no acordo coletivo da categoria que dê embasamento à solicitação. A determinação é de que a entidade sindical deverá pagar uma multa diária de R$ 50 mil caso os metalúrgicos não retornem aos seus postos. 

Segundo o presidente do Sindicato dos Metalúrgicos de São Caetano, Aparecido Inácio da Silva, o Cidão, em torno de 90% dos trabalhadores já tinham retornado na tarde de ontem. Dois metalúrgicos ouvidos pela reportagem estipularam um percentual de 50% e disseram que é difícil estimar com precisão.

“A surpresa é que, além da multa, decretaram (a Justiça) abusividade. A empresa pode demitir (a partir de agora). Essa é a nossa preocupação”, defendeu Cidão em discurso aos trabalhadores. 

Houve vaias durante a assembleia da tarde. No momento da votação do encaminhamento, a maior parte dos trabalhadores levantou a mão em favor da continuidade da greve. Após o fim da reunião, houve bate-boca e princípio de agressão entre alguns metalúrgicos e a direção da entidade.

“O sindicato está aqui para defender os nossos direitos e não para ficar jogando um contra o outro. A gente sabe que o pessoal tem medo de perder emprego. Uma parte dos funcionários retornou ao trabalho por pressão do RH (Recursos Humanos) e de lideranças (supervisores)”, reclamou Leandro Toledo, 47 anos, um dos trabalhadores presentes na assembleia.

Em entrevista ao Diário, Cidão afirmou que o sindicato vai seguir a vontade dos trabalhadores. Contudo, apontou que a maioria permaneceu no expediente após a assembleia e que a continuidade da greve depende do engajamento dos metalúrgicos. Ele diz que uma pequena parcela dos funcionários estimulou os demais a votarem pela continuidade da paralisação. “Isso atrapalha a luta, a organização dos trabalhadores”, defendeu.

A GM, em nota, disse que aguarda o retorno da operação integral após a decisão da Justiça. “Diante do atual cenário econômico e dos impactos provocados pela pandemia, a GM tem feito todos os esforços possíveis para manter a produção e os empregos”.



Quer receber em primeira mão as notícias das sete cidades do Grande ABC?

Entre no nosso grupo de WhatsApp. 
Clique aqui.
 

Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;