Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 18 de Janeiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

Sem diálogo com a EMTU, gestão Filippi vislumbra integração própria

Divulgação/PMD Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Governo projeta já para 2021 itinerários que liguem Diadema à Capital


Raphael Rocha
Júnior Carvalho
Do Diário do Grande ABC

12/10/2021 | 00:43


O governo do prefeito de Diadema, José de Filippi Júnior (PT), tem projetado iniciar ainda neste ano a implantação de linhas intermunicipais que liguem o município à Capital. A ideia é uma resposta à resistência da EMTU (Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos) em negociar o fim da cobrança da integração nos terminais da cidade.

Ao Diário, o secretário José Evaldo Gonçalves (Transportes) revelou que o município colocará em operação a alternativa “entre o fim deste ano e o início de 2022”. A ideia é a de que sejam construídos outros terminais para os itinerários. Segundo o secretário, o processo está em fase de análise do espaço físico que abrigará a estação, além das avaliações sobre as viabilidades técnicas do projeto, como a questão da disparidade das tarifas e das diferenças das duas cidades do formato da integração. Além de a passagem em Diadema ser mais cara – R$ 4,65, contra R$ 4,40 na Capital –, a baldeação diademense é mais restrita do que a praticada em território paulistano. Em Diadema, o cartão Sou (Sistema de Ônibus Urbano) permite apenas um outro embarque – após o pagamento da primeira passagem – nas linhas municipais no período de 50 minutos, enquanto que o Bilhete Único dá direito a três novas viagens no intervalo de três horas. “O desafio (de implementar a ideia) implica fazer estrutura física mínima, além de ter de existir um validador comum que consiga operar a integração. O validador e o formado de remuneração (entre Diadema e Capital) são diferentes. Do ponto de vista de tecnologia não é complicado. Mas (é preciso encontrar convergências) sobre os valores e o tempo de integração”, frisou Evaldo, ao citar como necessária a análise sobre a capacidade financeira do município para arcar com possíveis subsídios.

A construção de outros terminais e a implantação de linhas próprias que liguem Diadema à Capital são alternativas projetadas por Filippi para esvaziar os terminais da EMTU depois de a empresa se recusar a debater o fim da cobrança da integração nos terminais Diadema e Piraporinha. A gestão petista tem se debruçado para encontrar soluções porque a retirada das catracas foi uma das principais promessas de campanha de Filippi no pleito do ano passado e o fracasso pode dar dores de cabeça em uma possível reeleição.

Atualmente, o usuário tem de acessar os terminais da EMTU, no Centro, para embarcar nos trólebus e ir até a Capital (Estação Jabaquara, Linha 1-Azul do Metrô).



Quer receber em primeira mão as notícias das sete cidades do Grande ABC?

Entre no nosso grupo de WhatsApp. 
Clique aqui.
 

Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;