Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 12 de Novembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Setecidades

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

População do Jd.Zaíra 4 sofre com córrego


Angela Martins
Especial para o Diário

11/04/2006 | 07:59


Os moradores do Jardim Zaíra 4, em Mauá, estão revoltados com a falta de capinagem e limpeza do córrego Corumbé. Segundo a comunidade, pedidos para que se faça manutenção do local têm sido encaminhados desde dezembro passado, mas a Prefeitura ignoraria os apelos.

"O mato alto traz ratos, baratas e pernilongos para dentro das casas. Isso é um descaso", diz a aposentada Maria Inês de Oliveira, 53 anos. Os moradores também estão acompanhando a transformação das margens do córrego em depósito de lixo, bem ao lado da Escola Municipal Maria Rosemary de Azevedo. "O pessoal joga até sofá velho. Não me conformo em ver essa sujeira, ainda mais porque está ao lado de uma escola", aponta Maria Inês. A aposentada garante que já procurou a Prefeitura, mas a resposta não foi satisfatória. "Disseram para que nós mesmos puséssemos veneno para ratos".

A comunidade tem ainda de conviver com outro problema. Quando chove muito, o córrego transborda, trazendo a água poluída para a porta das casas. "Tudo vira um lamaçal", afirma a vendedora Rosana da Silva Rosa, 37 anos. O principal inimigo, porém, são os ratos. "Rato? Mais parecem coelhos, de tão grandes!", corrige Cláudia Cristina de Oliveira, 28, operadora de caixa.

A dona-de-casa Neusa Henrique, 48 anos, mantém uma ratoeira a postos para pegar os roedores, mas avisa que não está conseguindo vencer a guerra. "Se na minha casa entra rato desse jeito, imagine na escola". Os pernilongos também infernizam a vida de quem vive às margens do córrego. "Meu filho de quatro anos é alérgico a picadas de pernilongos. Outro dia, tive de levá-lo de madrugada ao hospital, pois estava passando mal devido às picadas que levou por todo o corpo", completa Cláudia Oliveira.

Infestação –Ratos e baratas não são privilégios do Zaíra 4. No Jardim Rosina, os bichos também proliferam junto a entulho, mato e lixo. Na travessa Bem-Te-Vi, há cerca de um ano, a Prefeitura realizou um serviço na tubulação de esgoto, mas deixou buracos no asfalto. "Ficou tudo quebrado. Quando chove, isso vira um lamaçal", diz Raul Veríssimo Alves, 52 anos, técnico de manutenção. Por causa da lama e do entulho, o local está infestado de ratos e baratas.

Nas praças Otávio Lorenceti e Messias Veríssimo Alves, o mato e o lixo são abrigos de roedores e insetos. "Até cobra já apareceu por lá. Estamos indignados, já procuramos a Prefeitura várias vezes para fazer a manutenção", lamenta Raul Alves.

Sobre as reclamações dos moradores do Zaíra 4, a Secretaria de Serviços Urbanos informa que já iniciou a limpeza da região do Córrego Corumbé. A capinação e raspagem seguirá até a rua Hugo Scachetti, de acordo com cronograma. A Prefeitura afirma ainda que está sendo realizado levantamento sobre todos os córregos da cidade, para que sejam estudadas as providências a serem adotadas, inclusive a respeito da canalização do córrego Corumbé. Sobre a manutenção das praças e da travessa Bem-te-vi, no Jardim Rosina, a Prefeitura promete começar a manutenção nesta terça-feira. (Supervisão de Adriana Gomes)



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

População do Jd.Zaíra 4 sofre com córrego

Angela Martins
Especial para o Diário

11/04/2006 | 07:59


Os moradores do Jardim Zaíra 4, em Mauá, estão revoltados com a falta de capinagem e limpeza do córrego Corumbé. Segundo a comunidade, pedidos para que se faça manutenção do local têm sido encaminhados desde dezembro passado, mas a Prefeitura ignoraria os apelos.

"O mato alto traz ratos, baratas e pernilongos para dentro das casas. Isso é um descaso", diz a aposentada Maria Inês de Oliveira, 53 anos. Os moradores também estão acompanhando a transformação das margens do córrego em depósito de lixo, bem ao lado da Escola Municipal Maria Rosemary de Azevedo. "O pessoal joga até sofá velho. Não me conformo em ver essa sujeira, ainda mais porque está ao lado de uma escola", aponta Maria Inês. A aposentada garante que já procurou a Prefeitura, mas a resposta não foi satisfatória. "Disseram para que nós mesmos puséssemos veneno para ratos".

A comunidade tem ainda de conviver com outro problema. Quando chove muito, o córrego transborda, trazendo a água poluída para a porta das casas. "Tudo vira um lamaçal", afirma a vendedora Rosana da Silva Rosa, 37 anos. O principal inimigo, porém, são os ratos. "Rato? Mais parecem coelhos, de tão grandes!", corrige Cláudia Cristina de Oliveira, 28, operadora de caixa.

A dona-de-casa Neusa Henrique, 48 anos, mantém uma ratoeira a postos para pegar os roedores, mas avisa que não está conseguindo vencer a guerra. "Se na minha casa entra rato desse jeito, imagine na escola". Os pernilongos também infernizam a vida de quem vive às margens do córrego. "Meu filho de quatro anos é alérgico a picadas de pernilongos. Outro dia, tive de levá-lo de madrugada ao hospital, pois estava passando mal devido às picadas que levou por todo o corpo", completa Cláudia Oliveira.

Infestação –Ratos e baratas não são privilégios do Zaíra 4. No Jardim Rosina, os bichos também proliferam junto a entulho, mato e lixo. Na travessa Bem-Te-Vi, há cerca de um ano, a Prefeitura realizou um serviço na tubulação de esgoto, mas deixou buracos no asfalto. "Ficou tudo quebrado. Quando chove, isso vira um lamaçal", diz Raul Veríssimo Alves, 52 anos, técnico de manutenção. Por causa da lama e do entulho, o local está infestado de ratos e baratas.

Nas praças Otávio Lorenceti e Messias Veríssimo Alves, o mato e o lixo são abrigos de roedores e insetos. "Até cobra já apareceu por lá. Estamos indignados, já procuramos a Prefeitura várias vezes para fazer a manutenção", lamenta Raul Alves.

Sobre as reclamações dos moradores do Zaíra 4, a Secretaria de Serviços Urbanos informa que já iniciou a limpeza da região do Córrego Corumbé. A capinação e raspagem seguirá até a rua Hugo Scachetti, de acordo com cronograma. A Prefeitura afirma ainda que está sendo realizado levantamento sobre todos os córregos da cidade, para que sejam estudadas as providências a serem adotadas, inclusive a respeito da canalização do córrego Corumbé. Sobre a manutenção das praças e da travessa Bem-te-vi, no Jardim Rosina, a Prefeitura promete começar a manutenção nesta terça-feira. (Supervisão de Adriana Gomes)

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;