Fechar
Publicidade

Sexta-Feira, 14 de Maio

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Setecidades

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

Cufa São Bernardo promove ação de doação de sangue neste sábado

Pixabay Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Entidade montou estrutura na sede, no Jardim Las Palmas; estoque da região está 30% abaixo do necessário


Bia Moço
Do Diário do Grande ABC

19/02/2021 | 17:28


A Cufa (Central Única das Favelas) de São Bernardo realiza neste sábado (20) a campanha Cufa Sangue Bom, que prevê arrecadar mais de 100 de bolsas de sangue. A ação será realizada em parceria com o hemocentro São Lucas, da Capital, a partir das 9h na sede da entidade, na Estrada Poney Clube, 2.087, no Jardim Las Palmas, em São Bernardo.

Essa é a primeira vez que a Cufa são-bernardense realiza o evento, que tem como objetivo disseminar a campanha de doação sanguínea, também, nas favelas do Grande ABC. A participação, no entanto, é aberta a todo o público que tiver interesse em ajudar.

Será montada no pátio da entidade uma estrutura semelhante as salas de doação de sangue, com sete poltronas e toda aparelhagem necessária. O hemocentro São Lucas será responsável pela entrevista pré-doação, coleta e distribuição das bolsas de sangue arrecadadas.

Até esta sexta-feira (19), cerca de 150 pessoas se inscreveram para participar da doação. Segundo o presidente da Cufa São Bernardo, Alex Camburão, como as favelas recebem quantidade alta de doações da entidade, a expectativa é de que a maior parte dos doares seja das comunidades atendidas.

“Depois de um 2020 tão difícil onde a Cufa sempre esteve na linha de frente ajudando mais de 5.000 favelas, notamos que os hemocentros do país estão praticamente zerados e, então, resolvemos fazer essa ação para mostrar que não existe dificuldade quando o bem se une, seja para levar alimentos ou até mesmo o próprio sangue”, afirmou Camburão.

Para doar basta apresentar documento com foto, estar alimentado e em bom estado de saúde. Todas as pessoas passarão por triagem. A idade mínima é de 16 anos, e máxima de 60. Além disso, os doadores tem de pesar mais de 50 kg e não podem ter passado por procedimentos cirúrgicos ou vacinação recente.

NA REGIÃO
Segundo a Colsan (Associação Beneficente de Coleta de Sangue), responsável por quatro pontos de coleta na região (dois em Santo André, um em São Bernardo e um em São Caetano), o estoque do banco de sangue de fevereiro está 30% abaixo do necessário. Até esta sexta-feira (19) a entidade havia recebido 3.926 doadores – o mínimo necessário para o mês seria de 8.684. Além disso, há falta de bolsas de fator RH negativo e de plaquetas (cuja validade é de cinco dias).

Gerente administrativa da regional da Colsan no Grande ABC, Solange Rios contou que a demanda de bolsas nos hospitais está maior, sobretudo de novembro para cá, quando as cirurgias eletivas foram retomadas. “Até outubro, por conta da pandemia, muitos procedimentos ficaram parados e o consumo de sangue foi um pouco mais baixo. Esse mês, especialmente, nosso estoque está muito abaixo do necessário”, lamentou.

Para doar, basta agendar pelo aplicativo Colsan – Doe Sangue, Doe Vidas, disponível para Android e iOS, ou pelo site (https://agendamento-colsan.doevidas.com.br/web).
 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Cufa São Bernardo promove ação de doação de sangue neste sábado

Entidade montou estrutura na sede, no Jardim Las Palmas; estoque da região está 30% abaixo do necessário

Bia Moço
Do Diário do Grande ABC

19/02/2021 | 17:28


A Cufa (Central Única das Favelas) de São Bernardo realiza neste sábado (20) a campanha Cufa Sangue Bom, que prevê arrecadar mais de 100 de bolsas de sangue. A ação será realizada em parceria com o hemocentro São Lucas, da Capital, a partir das 9h na sede da entidade, na Estrada Poney Clube, 2.087, no Jardim Las Palmas, em São Bernardo.

Essa é a primeira vez que a Cufa são-bernardense realiza o evento, que tem como objetivo disseminar a campanha de doação sanguínea, também, nas favelas do Grande ABC. A participação, no entanto, é aberta a todo o público que tiver interesse em ajudar.

Será montada no pátio da entidade uma estrutura semelhante as salas de doação de sangue, com sete poltronas e toda aparelhagem necessária. O hemocentro São Lucas será responsável pela entrevista pré-doação, coleta e distribuição das bolsas de sangue arrecadadas.

Até esta sexta-feira (19), cerca de 150 pessoas se inscreveram para participar da doação. Segundo o presidente da Cufa São Bernardo, Alex Camburão, como as favelas recebem quantidade alta de doações da entidade, a expectativa é de que a maior parte dos doares seja das comunidades atendidas.

“Depois de um 2020 tão difícil onde a Cufa sempre esteve na linha de frente ajudando mais de 5.000 favelas, notamos que os hemocentros do país estão praticamente zerados e, então, resolvemos fazer essa ação para mostrar que não existe dificuldade quando o bem se une, seja para levar alimentos ou até mesmo o próprio sangue”, afirmou Camburão.

Para doar basta apresentar documento com foto, estar alimentado e em bom estado de saúde. Todas as pessoas passarão por triagem. A idade mínima é de 16 anos, e máxima de 60. Além disso, os doadores tem de pesar mais de 50 kg e não podem ter passado por procedimentos cirúrgicos ou vacinação recente.

NA REGIÃO
Segundo a Colsan (Associação Beneficente de Coleta de Sangue), responsável por quatro pontos de coleta na região (dois em Santo André, um em São Bernardo e um em São Caetano), o estoque do banco de sangue de fevereiro está 30% abaixo do necessário. Até esta sexta-feira (19) a entidade havia recebido 3.926 doadores – o mínimo necessário para o mês seria de 8.684. Além disso, há falta de bolsas de fator RH negativo e de plaquetas (cuja validade é de cinco dias).

Gerente administrativa da regional da Colsan no Grande ABC, Solange Rios contou que a demanda de bolsas nos hospitais está maior, sobretudo de novembro para cá, quando as cirurgias eletivas foram retomadas. “Até outubro, por conta da pandemia, muitos procedimentos ficaram parados e o consumo de sangue foi um pouco mais baixo. Esse mês, especialmente, nosso estoque está muito abaixo do necessário”, lamentou.

Para doar, basta agendar pelo aplicativo Colsan – Doe Sangue, Doe Vidas, disponível para Android e iOS, ou pelo site (https://agendamento-colsan.doevidas.com.br/web).
 

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;