Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 7 de Dezembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

esportes@dgabc.com.br | 4435-8384

Timão prega respeito ao Vasco

Para equipe, classificação à semi da Libertadores no Pacaembu não será fácil


Da redação

18/05/2012 | 07:00


Apesar do domínio do Corinthians sobre o Vasco, em São Januário, no empate (0 a 0) de quarta-feira, no jogo de ida das quartas de final da Copa Libertadores, o Timão garante que o duelo está em aberto. O confronto de volta será no Pacaembu, quarta-feira.

 

Para se classificar, a equipe do Parque São Jorge precisa vencer, enquanto empate com gols dá classificação aos cariocas. O mesmo resultado de São Januário leva a decisão aos pênaltis.

Segundo o técnico Tite, o objetivo do Corinthians não foi cumprido no Rio. "Está aberto (o duelo). Por isso que coloquei que a nossa proposta era fazer gols (na casa deles). Claro que era também não perder. A escala é vencer, empatar com gols e, na pior delas, empatar para decidir na nossa casa. Está aberto. Será um grande jogo", prevê o treinador. "Vencer fora de casa é fundamental. Fazer gols também. Dos três benefícios, conseguimos o terceiro, que é jogar diante do nosso torcedor no Pacaembu", frisou.

Quem adota o mesmo discurso do técnico é o meia Danilo. O jogador admitiu que o Corinthians está com os pés no chão. "Não foi mau resultado, mas não podemos comemorar. Está tudo em aberto ainda", garantiu.

 

GOL ANULADO

O duelo ainda gera controvérsias em relação ao gol anulado de Alecsandro no segundo tempo. A arbitragem, comandada por Sandro Meira Ricci (Fifa-PE), assinalou impedimento em lance polêmico, mesmo com imagens de TV.

A Ferj (Federação de Futebol do Estado do Rio de Janeiro) divulgou nota questionando as seguidas escalações de Ricci entre jogos de times paulistas e cariocas. O presidente da entidade, Rubens Lopes, ressaltou que o Vasco teve gol anulado contra o Timão também no Brasileiro de 2011.

Já o presidente do Vasco, Roberto Dinamite, aumentou o tom contra Ricci. "Mais uma vez este árbitro e mais uma vez o Corinthians. Está difícil, cada vez mais complicado. Não quero ficar reclamando, mas peço apenas lealdade e igualdade para brigar dentro de campo", criticou.

Por outro lado, o presidente do Corinthians, Mário Gobbi, preferiu não comentar a arbitragem, diferentemente do que fez após o duelo entre Timão e Emelec, no Equador, pelas oitavas de final.

Ele criticou bastante o juiz da partida, José Buitrago, da Colômbia. O cartola chegou a falar que ele deveria ser afastado da Conmembol (Confederação Sul-Americana de Futebol).



Quer receber em primeira mão as notícias das sete cidades do Grande ABC?

Entre no nosso grupo de WhatsApp. 
Clique aqui.
 

Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;