Fechar
Publicidade

Quarta-Feira, 28 de Outubro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Esportes

esportes@dgabc.com.br | 4435-8384

Gols no fim castigam o Santo André: 2 a 0

FPF/Divulgação Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Palmeiras avança às semifinais, enquanto Ramalhão aguarda definição por ‘prêmio de consolação’


Dérek Bittencourt
Do Diário do Grande ABC

30/07/2020 | 00:16


O Santo André não conseguiu passar pelo Palmeiras e teve interrompido o sonho de chegar à semifinal do Campeonato Paulista. Ontem à noite, no Allianz Parque, o Ramalhão foi valente, criou oportunidades, mas não foi eficaz e viu o Palmeiras marcar duas vezes no fim, com Felipe Melo, aos 42, e Marcos Rocha, aos 48 minutos da segunda etapa, avançando para a terceira fase do Estadual.

Para os andreenses, agora, resta ficar na torcida pela classificação do Red Bull Bragantino sobre o Corinthians (jogam hoje, às 19h) para ainda disputar a semifinal do Troféu do Interior (que dá ao campeão vaga na Copa do Brasil) no fim de semana. Caso a equipe de Bragança Paulista seja eliminada, aí o Santo André pode ter realizado o último jogo desta temporada, tendo em vista que o clube não confirmou se participará ou não da Copa Paulista – a partir do fim de setembro. Já o Verdão espera a conclusão dos jogos de hoje para saber qual será o adversário na próxima etapa, que será disputada em jogo único, no domingo. Já as finais serão em dois jogos, na quarta-feira e no sábado, dia 8.

O favoritismo do Palmeiras por ser um dos grandes clubes do País e com um orçamento estratosférico não se refletiu em campo. Quando a bola rolou, o duelo foi bastante equilibrado e o Santo André assumiu a posição daquele que não havia perdido para nenhum grande no Paulistão até então. Tanto que, no geral, foram 14 finalizações ramalhinas contra 13 alviverdes.

Depois de a arbitragem anular acertadamente um gol de Luiz Adriano por impedimento logo no começo, foi o Ramalhão quem criou duas boas chances de abrir o placar. Aos 14 minutos, após bola alçada na área, Ramon cabeceou no canto e obrigou Weverton a realizar grande defesa. Já aos 17, Douglas Baggio foi à linha de fundo e cruzou rasteiro, mas Rondinelly chegou atrasado, ficando no quase.

Tão questionado pelas atuações nos jogos anteriores, o goleiro Ivan apareceu bem aos 26 minutos. No primeiro lance, saiu bem nos pés de Willian, evitando drible que certamente resultaria em gol; na sequência, a bola sobrou para Rony e mais uma vez o camisa 1 andreense interferiu, fazendo a defesa com o pé

O melhor momento do Santo André na partida foi no fim do primeiro tempo. Primeiro, aos 43, Branquinho ganhou de Felipe Melo, avançou em direção à área e bateu de bico, exigindo defesa de Weverton. Praticamente no lance seguinte, aos 44, Douglas Baggio pegou na intermediária, chegou à frente da área, ajeitou e bateu no canto, mas o goleiro palmeirense apareceu bem.

Na segunda etapa, as equipes pareciam temerosas em não se expor excessivamente, para não permitir espaços ao adversário. Tanto que o Santo André não deu trabalho a Weverton. E a partir do momento em que Paulo Roberto precisou mexer no time, já cansado, o Ramalhão mostrou a fragilidade de um elenco limitado. Do outro lado, Vanderlei Luxemburgo trocou peças, renovou o fôlego palmeirense, que sobrou no fim. Aos 42, em bola levantada, Felipe Melo cabeceou e desvio em Rodrigo tirou de Ivan: 1 a 0.

Já aos 48, Zé Rafael chutou, Ivan defendeu e Marcos Rocha definiu: 2 a 0.
 

Caímos de cabeça erguida, afirma o zagueiro Rodrigo

Líder do Paulistão durante quase toda a primeira fase, classificado para as quartas de final com uma rodada de antecedência, mas eliminado ontem para o Palmeiras em derrota por 2 a 0. Mas, apesar de não avançar no torneio, a avaliação andreense é de que foi feito grande trabalho.

“Caímos de cabeça erguida pelo jogo e pela campanha. Ficamos chateados com a situação, levamos (o primeiro) gol quase nos acréscimos, mas lutamos até o fim. Jogamos contra grande equipe, que dispensa apresentações e foi jogo de superação”, disse o zagueiro Rodrigo. “Tivemos oportunidades e infelizmente não aproveitamos. Mesmo assim, o grupo todo está de parabéns.”

Segundo ele, hoje haverá torcida por vitória do Red Bull Bragantino. “Dependendo do resultado disputamos o Troféu do Interior, que é muito importante para nós e para o clube. Vamos estar na torcida. Se for para jogarmos, vamos forte para passar pela semifinal e disputar o título”, concluiu.

Os próprios palmeirenses elogiaram a qualidade do Ramalhão após a partida. “Sabíamos que seria muito difícil. Eles (Santo André) mudaram o time durante a paralisação, mas mantiveram time equilibrado”, disse o técnico Vanderlei Luxemburgo. 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Gols no fim castigam o Santo André: 2 a 0

Palmeiras avança às semifinais, enquanto Ramalhão aguarda definição por ‘prêmio de consolação’

Dérek Bittencourt
Do Diário do Grande ABC

30/07/2020 | 00:16


O Santo André não conseguiu passar pelo Palmeiras e teve interrompido o sonho de chegar à semifinal do Campeonato Paulista. Ontem à noite, no Allianz Parque, o Ramalhão foi valente, criou oportunidades, mas não foi eficaz e viu o Palmeiras marcar duas vezes no fim, com Felipe Melo, aos 42, e Marcos Rocha, aos 48 minutos da segunda etapa, avançando para a terceira fase do Estadual.

Para os andreenses, agora, resta ficar na torcida pela classificação do Red Bull Bragantino sobre o Corinthians (jogam hoje, às 19h) para ainda disputar a semifinal do Troféu do Interior (que dá ao campeão vaga na Copa do Brasil) no fim de semana. Caso a equipe de Bragança Paulista seja eliminada, aí o Santo André pode ter realizado o último jogo desta temporada, tendo em vista que o clube não confirmou se participará ou não da Copa Paulista – a partir do fim de setembro. Já o Verdão espera a conclusão dos jogos de hoje para saber qual será o adversário na próxima etapa, que será disputada em jogo único, no domingo. Já as finais serão em dois jogos, na quarta-feira e no sábado, dia 8.

O favoritismo do Palmeiras por ser um dos grandes clubes do País e com um orçamento estratosférico não se refletiu em campo. Quando a bola rolou, o duelo foi bastante equilibrado e o Santo André assumiu a posição daquele que não havia perdido para nenhum grande no Paulistão até então. Tanto que, no geral, foram 14 finalizações ramalhinas contra 13 alviverdes.

Depois de a arbitragem anular acertadamente um gol de Luiz Adriano por impedimento logo no começo, foi o Ramalhão quem criou duas boas chances de abrir o placar. Aos 14 minutos, após bola alçada na área, Ramon cabeceou no canto e obrigou Weverton a realizar grande defesa. Já aos 17, Douglas Baggio foi à linha de fundo e cruzou rasteiro, mas Rondinelly chegou atrasado, ficando no quase.

Tão questionado pelas atuações nos jogos anteriores, o goleiro Ivan apareceu bem aos 26 minutos. No primeiro lance, saiu bem nos pés de Willian, evitando drible que certamente resultaria em gol; na sequência, a bola sobrou para Rony e mais uma vez o camisa 1 andreense interferiu, fazendo a defesa com o pé

O melhor momento do Santo André na partida foi no fim do primeiro tempo. Primeiro, aos 43, Branquinho ganhou de Felipe Melo, avançou em direção à área e bateu de bico, exigindo defesa de Weverton. Praticamente no lance seguinte, aos 44, Douglas Baggio pegou na intermediária, chegou à frente da área, ajeitou e bateu no canto, mas o goleiro palmeirense apareceu bem.

Na segunda etapa, as equipes pareciam temerosas em não se expor excessivamente, para não permitir espaços ao adversário. Tanto que o Santo André não deu trabalho a Weverton. E a partir do momento em que Paulo Roberto precisou mexer no time, já cansado, o Ramalhão mostrou a fragilidade de um elenco limitado. Do outro lado, Vanderlei Luxemburgo trocou peças, renovou o fôlego palmeirense, que sobrou no fim. Aos 42, em bola levantada, Felipe Melo cabeceou e desvio em Rodrigo tirou de Ivan: 1 a 0.

Já aos 48, Zé Rafael chutou, Ivan defendeu e Marcos Rocha definiu: 2 a 0.
 

Caímos de cabeça erguida, afirma o zagueiro Rodrigo

Líder do Paulistão durante quase toda a primeira fase, classificado para as quartas de final com uma rodada de antecedência, mas eliminado ontem para o Palmeiras em derrota por 2 a 0. Mas, apesar de não avançar no torneio, a avaliação andreense é de que foi feito grande trabalho.

“Caímos de cabeça erguida pelo jogo e pela campanha. Ficamos chateados com a situação, levamos (o primeiro) gol quase nos acréscimos, mas lutamos até o fim. Jogamos contra grande equipe, que dispensa apresentações e foi jogo de superação”, disse o zagueiro Rodrigo. “Tivemos oportunidades e infelizmente não aproveitamos. Mesmo assim, o grupo todo está de parabéns.”

Segundo ele, hoje haverá torcida por vitória do Red Bull Bragantino. “Dependendo do resultado disputamos o Troféu do Interior, que é muito importante para nós e para o clube. Vamos estar na torcida. Se for para jogarmos, vamos forte para passar pela semifinal e disputar o título”, concluiu.

Os próprios palmeirenses elogiaram a qualidade do Ramalhão após a partida. “Sabíamos que seria muito difícil. Eles (Santo André) mudaram o time durante a paralisação, mas mantiveram time equilibrado”, disse o técnico Vanderlei Luxemburgo. 

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;