Fechar
Publicidade

Segunda-Feira, 30 de Novembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Setecidades

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

Justiça proíbe que restaurantes abram após as 17h em Sto.André e S.Bernardo

Celso Luiz/DGABC Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

MP pede suspensão do decreto andreense, enquanto TJ-SP derruba liminar obtida por sindicato são-bernardense; estabelecimentos deverão seguir horário do Plano São Paulo


Flavia Kurotori
Do Diário do Grande ABC

26/07/2020 | 17:53


A Justiça determinou que bares e restaurantes de Santo André e São Bernardo estão proibidos de funcionar após às 17h, conforme determinado pelo Plano São Paulo, que determina diretrizes para a retomada gradual da economia. Ambas cidades estão na Fase 3 (amarela), permitindo que os estalecimentos do setor atendam ao público por até seis horas, com limite de 40% da capacidade e adoção das devidas ações de higiene.

O Paço andreense havia autorizado, via decreto publicado em 6 de julho, que bares, restaurantes e similares funcionassem até às 23h30. No entanto, o MP (Ministério Público) de São Paulo pediu a suspensão, na sexta-feira, da decisão, sob a justificativa que a administração teria relaxado “indevidamente as medidas voltadas ao isolamento social” na cidade. 

No caso de São Bernardo, o Sinhores SBC (Sindicato de Hotéris, Restaurantes, Bares e Similares de São Bernardo) havia conseguido na 2ª Vara da Fazenda Pública da cidade, na quinta-feira, aval para que o setor pudesse operar até às 23h30. Porém, o TJ-SP (Tribunal de Justiça de São Paulo) derrubou a liminar neste domingo. O sindicato informou que tomará as medidas cabíveis para assegurar o “direito de livre atividade”.

O Diário noticiou que a Prefeitura de São Caetano publicou decreto ontem retirando a obrigatoriedade do funcionamento de bares e restaurantes até às 17h. Inclusive, o Sehal (Sindicato das Empresas de Hospedagem e Alimentação do Grande ABC) ingressou com ação contra as prefeituras do Grande ABC pela permissão de funcionamento até às 23h30 em toda região. A medida cautelar de urgência foi enviada a Diadema, Mauá, RIbeirão Pires e Rio Grande da Serra.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Justiça proíbe que restaurantes abram após as 17h em Sto.André e S.Bernardo

MP pede suspensão do decreto andreense, enquanto TJ-SP derruba liminar obtida por sindicato são-bernardense; estabelecimentos deverão seguir horário do Plano São Paulo

Flavia Kurotori
Do Diário do Grande ABC

26/07/2020 | 17:53


A Justiça determinou que bares e restaurantes de Santo André e São Bernardo estão proibidos de funcionar após às 17h, conforme determinado pelo Plano São Paulo, que determina diretrizes para a retomada gradual da economia. Ambas cidades estão na Fase 3 (amarela), permitindo que os estalecimentos do setor atendam ao público por até seis horas, com limite de 40% da capacidade e adoção das devidas ações de higiene.

O Paço andreense havia autorizado, via decreto publicado em 6 de julho, que bares, restaurantes e similares funcionassem até às 23h30. No entanto, o MP (Ministério Público) de São Paulo pediu a suspensão, na sexta-feira, da decisão, sob a justificativa que a administração teria relaxado “indevidamente as medidas voltadas ao isolamento social” na cidade. 

No caso de São Bernardo, o Sinhores SBC (Sindicato de Hotéris, Restaurantes, Bares e Similares de São Bernardo) havia conseguido na 2ª Vara da Fazenda Pública da cidade, na quinta-feira, aval para que o setor pudesse operar até às 23h30. Porém, o TJ-SP (Tribunal de Justiça de São Paulo) derrubou a liminar neste domingo. O sindicato informou que tomará as medidas cabíveis para assegurar o “direito de livre atividade”.

O Diário noticiou que a Prefeitura de São Caetano publicou decreto ontem retirando a obrigatoriedade do funcionamento de bares e restaurantes até às 17h. Inclusive, o Sehal (Sindicato das Empresas de Hospedagem e Alimentação do Grande ABC) ingressou com ação contra as prefeituras do Grande ABC pela permissão de funcionamento até às 23h30 em toda região. A medida cautelar de urgência foi enviada a Diadema, Mauá, RIbeirão Pires e Rio Grande da Serra.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;