Fechar
Publicidade

Sábado, 4 de Julho

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

diarinho@dgabc.com.br | 4435-8396

Por que é importante tomar sol?

Médicos recomendam que banho de raios solares deve ser diário e com tempo entre dez e 20 minutos, mesmo no frio


Luís Felipe Soares
Do Diário do Grande ABC

30/05/2020 | 23:59


O contato com o Sol ajuda em questões biológicas do corpo humano. A exposição contínua é positiva na medida em que é capaz de melhorar o sistema imunológico (que protege contra possíveis infecções) e ajuda no crescimento e fortalecimento dos ossos. 

Grande parte da importância dos raios solares envolve a vitamina D, absorvida pelo corpo de maneira natural por meio desse tipo de exposição. Estudos mostram que ela é essencial para modular as respostas imunológicas contra doenças, a exemplo da gripe, além de atuar para deixar a estrutura óssea mais saudável. Outro ponto positivo é que esse tipo de nutriente ajuda o indivíduo a dormir melhor e consegue reduzir o nível de estresse.

Não existe um cálculo preciso que diga o tempo necessário de contato das pessoas com o Sol para que o corpo produza vitamina D no sangue o suficiente para atender às necessidades do organismo. A maioria das pessoas pode desenvolvê-la em quantidade adequada com exposição, por tempos curtos, de membros como antebraços, mãos ou pernas descobertos e sem protetor solar. Sociedades médicas sugerem que as pessoas ‘tomem’ Sol de dez a 20 minutos diariamente. No horário entre 10h e 15h, os chamados raios UVB (Ultravioleta B) são mais fortes. No verão, o período do meio-dia chega até a ser perigoso. 

Durante estações geladas e em meio à quarentena causada pela pandemia da Covid-19, aproveitar janelas e quintais pode ser solução em dias ensolarados. Vestir uma blusa e shorts por cerca de dez a 30 minutos, três vezes por semana, já é o suficiente para que pessoas de pele bem clara consigam produzir certa quantidade de vitamina D. Já indivíduos com pele mais escura podem precisar de mais tempo.

Exposição excessiva ao Sol é capaz de gerar problemas de saúde, com danos ou morte das células da pele. Entre os sinais de complicações estão vermelhidão, dor local, bolhas e descamação (eliminação de camadas superficiais da pele). O exagero em banhos desse tipo ainda pode desenvolver envelhecimento precoce, apresentando pontos enrugados e manchas escuras. Bebês e crianças possuem pele mais sensível do que pessoas adultas.

Consultoria de Juliana Toma, médica dermatologista pós-graduada em oncologia cutânea de São Paulo. 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Por que é importante tomar sol?

Médicos recomendam que banho de raios solares deve ser diário e com tempo entre dez e 20 minutos, mesmo no frio

Luís Felipe Soares
Do Diário do Grande ABC

30/05/2020 | 23:59


O contato com o Sol ajuda em questões biológicas do corpo humano. A exposição contínua é positiva na medida em que é capaz de melhorar o sistema imunológico (que protege contra possíveis infecções) e ajuda no crescimento e fortalecimento dos ossos. 

Grande parte da importância dos raios solares envolve a vitamina D, absorvida pelo corpo de maneira natural por meio desse tipo de exposição. Estudos mostram que ela é essencial para modular as respostas imunológicas contra doenças, a exemplo da gripe, além de atuar para deixar a estrutura óssea mais saudável. Outro ponto positivo é que esse tipo de nutriente ajuda o indivíduo a dormir melhor e consegue reduzir o nível de estresse.

Não existe um cálculo preciso que diga o tempo necessário de contato das pessoas com o Sol para que o corpo produza vitamina D no sangue o suficiente para atender às necessidades do organismo. A maioria das pessoas pode desenvolvê-la em quantidade adequada com exposição, por tempos curtos, de membros como antebraços, mãos ou pernas descobertos e sem protetor solar. Sociedades médicas sugerem que as pessoas ‘tomem’ Sol de dez a 20 minutos diariamente. No horário entre 10h e 15h, os chamados raios UVB (Ultravioleta B) são mais fortes. No verão, o período do meio-dia chega até a ser perigoso. 

Durante estações geladas e em meio à quarentena causada pela pandemia da Covid-19, aproveitar janelas e quintais pode ser solução em dias ensolarados. Vestir uma blusa e shorts por cerca de dez a 30 minutos, três vezes por semana, já é o suficiente para que pessoas de pele bem clara consigam produzir certa quantidade de vitamina D. Já indivíduos com pele mais escura podem precisar de mais tempo.

Exposição excessiva ao Sol é capaz de gerar problemas de saúde, com danos ou morte das células da pele. Entre os sinais de complicações estão vermelhidão, dor local, bolhas e descamação (eliminação de camadas superficiais da pele). O exagero em banhos desse tipo ainda pode desenvolver envelhecimento precoce, apresentando pontos enrugados e manchas escuras. Bebês e crianças possuem pele mais sensível do que pessoas adultas.

Consultoria de Juliana Toma, médica dermatologista pós-graduada em oncologia cutânea de São Paulo. 

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;