Fechar
Publicidade

Quarta-Feira, 23 de Setembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Internacional

internacional@dgabc.com.br | 4435-8301

Dados de desemprego nos Estados Unidos "vão piorar", diz secretário do Tesouro

 Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra


10/05/2020 | 15:39


O secretário do Tesouro dos Estados Unidos, Steven Mnuchin, disse que a taxa de desemprego no país, que chegou a 14,7% em abril, ainda pode piorar. "Os números relatados provavelmente vão piorar antes de melhorarem", afirmou, em entrevista à Fox News. "Mas é por isso que estamos focados na reconstrução dessa economia. Nós teremos um terceiro trimestre melhor, um quarto trimestre melhor e o próximo ano será um ótimo ano." Segundo ele, o desempenho de viagens, varejo e lazer influenciou negativamente a taxa em abril. "Isso não é uma surpresa. Fechamos grande parte da economia", afirmou.

Questionado se o número real não estaria mais próximo de 25%, similar ao observado na Grande Depressão, Mnunchin admitiu que isso é "possível". "Ao contrário da Grande Depressão, quando tivemos problemas econômicos que levaram a isso, nós fechamos a economia. Não seria uma surpresa, se você fechasse a economia, que metade da força de trabalho, metade das pessoas não trabalhasse", afirmou. "Isso não é culpa das empresas norte-americanas, não é culpa dos trabalhadores norte-americanos, isso é resultado do vírus." Mais 3,2 milhões de trabalhadores dos EUA solicitaram auxílio-desemprego na semana passada, elevando o total nas últimas sete semanas para 33,5 milhões.

Segundo Mnuchin, os EUA devem ter um segundo trimestre "muito, muito ruim" mas haverá uma recuperação na sequência, a partir de um ponto de referência baixo. Conforme o secretário, essa expectativa se baseia na taxa de reabertura, em relatos sobre vacinas e medicamentos em teste e na testagem para covid-19, que darão a confiança para uma reabertura "de forma cuidadosa e deliberada".

Ao ser questionado se não haveria risco em uma reabertura da economia, o secretário afirmou que há "um risco considerável em não reabrir", o que poderia causar "um dano econômico permanente para o público norte-americano". "Vamos reabrir de uma maneira muito ponderada", afirmou.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Dados de desemprego nos Estados Unidos "vão piorar", diz secretário do Tesouro


10/05/2020 | 15:39


O secretário do Tesouro dos Estados Unidos, Steven Mnuchin, disse que a taxa de desemprego no país, que chegou a 14,7% em abril, ainda pode piorar. "Os números relatados provavelmente vão piorar antes de melhorarem", afirmou, em entrevista à Fox News. "Mas é por isso que estamos focados na reconstrução dessa economia. Nós teremos um terceiro trimestre melhor, um quarto trimestre melhor e o próximo ano será um ótimo ano." Segundo ele, o desempenho de viagens, varejo e lazer influenciou negativamente a taxa em abril. "Isso não é uma surpresa. Fechamos grande parte da economia", afirmou.

Questionado se o número real não estaria mais próximo de 25%, similar ao observado na Grande Depressão, Mnunchin admitiu que isso é "possível". "Ao contrário da Grande Depressão, quando tivemos problemas econômicos que levaram a isso, nós fechamos a economia. Não seria uma surpresa, se você fechasse a economia, que metade da força de trabalho, metade das pessoas não trabalhasse", afirmou. "Isso não é culpa das empresas norte-americanas, não é culpa dos trabalhadores norte-americanos, isso é resultado do vírus." Mais 3,2 milhões de trabalhadores dos EUA solicitaram auxílio-desemprego na semana passada, elevando o total nas últimas sete semanas para 33,5 milhões.

Segundo Mnuchin, os EUA devem ter um segundo trimestre "muito, muito ruim" mas haverá uma recuperação na sequência, a partir de um ponto de referência baixo. Conforme o secretário, essa expectativa se baseia na taxa de reabertura, em relatos sobre vacinas e medicamentos em teste e na testagem para covid-19, que darão a confiança para uma reabertura "de forma cuidadosa e deliberada".

Ao ser questionado se não haveria risco em uma reabertura da economia, o secretário afirmou que há "um risco considerável em não reabrir", o que poderia causar "um dano econômico permanente para o público norte-americano". "Vamos reabrir de uma maneira muito ponderada", afirmou.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;