Fechar
Publicidade

Quarta-Feira, 8 de Abril

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

|

Antecipação de sobra repercute em Sto.André


Fábio Martins

25/03/2020 | 00:01


Pedido de antecipação da sobra dos duodécimos recebidos pela Câmara de Santo André à Prefeitura, chefiada por Paulo Serra (PSDB), tem repercutido nos bastidores da cidade. O vereador Professor Minhoca (PSDB) protocolou requerimento na segunda-feira à mesa diretora da casa, presidida por Pedrinho Botaro, também tucano, solicitando adiantamento da devolução do saldo de caixa para compra de equipamentos e insumos de saúde necessários para o combate à pandemia do coronavírus. Pedrinho ponderou, contudo, que o Orçamento do Legislativo não é repassado integralmente. E alegou ter, anteriormente ao ofício do correligionário, consultado ao departamento administrativo a viabilidade da medida. “Recebemos até agora apenas duas parcelas (de repasse). A terceira virá nesta semana. Fiz pedido de levantamento do que sobrará entre a projeção orçamentária, aquilo já empenhado e se já houve sobra. Uma tentativa é adiantar o recurso ainda no primeiro semestre para minimizar o impacto das despesas com ações contra o coronavírus.”

BASTIDORES

Eleição adiada
Os integrantes da coordenação executiva do colegiado da Ouvidoria de Santo André e os da comissão fiscalizadora decidiram, em reunião na Câmara, suspender temporariamente as reuniões plenárias do grupo, bem como o processo eleitoral do órgão, pelo período inicial de 30 dias a contar da última quinta-feira. Encerrando esse prazo preliminar, nova avaliação será feita pelos envolvidos, podendo o período ser finalizado ou prorrogado a depender da situação do coronavírus. O Diário já havia antecipado que, por conta do cenário, a ex-vice-prefeita Oswana Fameli (sem partido) teve de deixar o posto de comando, uma vez que terminou o mandato – ela pretende se candidatar à reeleição. Quem ocupa a cadeira nessa transição é Ronaldo Martim (foto), então adjunto.

Fundo antiCovid-19
O deputado federal Alex Manente (Cidadania), com reduto em São Bernardo, tratou como vitória o aval para utilização do fundo da Operação Lava Jato a ações de combate ao novo coronavírus, no valor de R$ 1,6 bilhão. O STF (Supremo Tribunal Federal) autorizou a destinação. “Os recursos recuperados da Petrobras serão usados nas ações de combate à epidemia. A mobilização social é essencial para que medidas como essa sejam tomadas”, alegou Alex, em suas redes sociais. Outro ponto que o parlamentar tem atacado é o uso do fundo eleitoral na saúde, proposta ainda em discussão.

Apoio em segundo plano
Pré-candidato ao Paço de São Bernardo, o ex-prefeito Luiz Marinho (PT) usou as redes sociais para comentar o apoio declarado do Solidariedade ao projeto próprio, mas ponderou que a negociação de adesões está em stand by por conta da pandemia da Covid-19. O petista declarou que recebe com “muita satisfação” o suporte declarado pelo presidente nacional do partido, Paulinho da Força, contudo, enfatizou que há uma guerra prioritária para enfrentar no momento. “Primeiro, (vamos) vencer essa batalha do coronavírus e depois organizar melhor a pré-campanha. Seguramente outros partidos vão anunciar apoio à minha pré-candidatura.”

Cobrança de água
O vereador Marcelo Oliveira (PT), de Mauá, entrou com ofício na Câmara em que pede ao prefeito Atila Jacomussi (PSB) a suspensão temporária – a partir de abril – da cobrança de água, esgoto e taxa de lixo daqueles que pagam tarifa social na cidade. A solicitação tem por objetivo ajudar essa parcela da população em momento de crise por conta dos efeitos do avanço do coronavírus. Vale questionar se essa medida não envolve renúncia de receita por parte do Paço. 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Antecipação de sobra repercute em Sto.André

Fábio Martins

25/03/2020 | 00:01


Pedido de antecipação da sobra dos duodécimos recebidos pela Câmara de Santo André à Prefeitura, chefiada por Paulo Serra (PSDB), tem repercutido nos bastidores da cidade. O vereador Professor Minhoca (PSDB) protocolou requerimento na segunda-feira à mesa diretora da casa, presidida por Pedrinho Botaro, também tucano, solicitando adiantamento da devolução do saldo de caixa para compra de equipamentos e insumos de saúde necessários para o combate à pandemia do coronavírus. Pedrinho ponderou, contudo, que o Orçamento do Legislativo não é repassado integralmente. E alegou ter, anteriormente ao ofício do correligionário, consultado ao departamento administrativo a viabilidade da medida. “Recebemos até agora apenas duas parcelas (de repasse). A terceira virá nesta semana. Fiz pedido de levantamento do que sobrará entre a projeção orçamentária, aquilo já empenhado e se já houve sobra. Uma tentativa é adiantar o recurso ainda no primeiro semestre para minimizar o impacto das despesas com ações contra o coronavírus.”

BASTIDORES

Eleição adiada
Os integrantes da coordenação executiva do colegiado da Ouvidoria de Santo André e os da comissão fiscalizadora decidiram, em reunião na Câmara, suspender temporariamente as reuniões plenárias do grupo, bem como o processo eleitoral do órgão, pelo período inicial de 30 dias a contar da última quinta-feira. Encerrando esse prazo preliminar, nova avaliação será feita pelos envolvidos, podendo o período ser finalizado ou prorrogado a depender da situação do coronavírus. O Diário já havia antecipado que, por conta do cenário, a ex-vice-prefeita Oswana Fameli (sem partido) teve de deixar o posto de comando, uma vez que terminou o mandato – ela pretende se candidatar à reeleição. Quem ocupa a cadeira nessa transição é Ronaldo Martim (foto), então adjunto.

Fundo antiCovid-19
O deputado federal Alex Manente (Cidadania), com reduto em São Bernardo, tratou como vitória o aval para utilização do fundo da Operação Lava Jato a ações de combate ao novo coronavírus, no valor de R$ 1,6 bilhão. O STF (Supremo Tribunal Federal) autorizou a destinação. “Os recursos recuperados da Petrobras serão usados nas ações de combate à epidemia. A mobilização social é essencial para que medidas como essa sejam tomadas”, alegou Alex, em suas redes sociais. Outro ponto que o parlamentar tem atacado é o uso do fundo eleitoral na saúde, proposta ainda em discussão.

Apoio em segundo plano
Pré-candidato ao Paço de São Bernardo, o ex-prefeito Luiz Marinho (PT) usou as redes sociais para comentar o apoio declarado do Solidariedade ao projeto próprio, mas ponderou que a negociação de adesões está em stand by por conta da pandemia da Covid-19. O petista declarou que recebe com “muita satisfação” o suporte declarado pelo presidente nacional do partido, Paulinho da Força, contudo, enfatizou que há uma guerra prioritária para enfrentar no momento. “Primeiro, (vamos) vencer essa batalha do coronavírus e depois organizar melhor a pré-campanha. Seguramente outros partidos vão anunciar apoio à minha pré-candidatura.”

Cobrança de água
O vereador Marcelo Oliveira (PT), de Mauá, entrou com ofício na Câmara em que pede ao prefeito Atila Jacomussi (PSB) a suspensão temporária – a partir de abril – da cobrança de água, esgoto e taxa de lixo daqueles que pagam tarifa social na cidade. A solicitação tem por objetivo ajudar essa parcela da população em momento de crise por conta dos efeitos do avanço do coronavírus. Vale questionar se essa medida não envolve renúncia de receita por parte do Paço. 

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;