Fechar
Publicidade

Sexta-Feira, 21 de Fevereiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Setecidades

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

Há quase um ano, túnel alagado causa transtornos aos pedestres

Nario Barbosa/ DGABC Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Na altura do km 23 da Via Anchieta, passagem subterrânea está sem iluminação e cheia de lixo


Yasmin Assagra
Do Diário do Grande ABC

21/01/2020 | 14:16


Não é de hoje que pedestres enfrentam dificuldades para atravessar um túnel, que liga a Avenida Dr. José Fornari ao km 23 da Via Anchieta, na proximidades da sede da Volskwagen. Os munícipes que precisam sair do bairro Demarchi e acessar o Ferrazópolis não conseguem pela passagem subterrânea pois está alagada, e este problema já se estende há pelo menos oito meses. 

Além da Volkswagen, o local, que foi construído para facilitar a vida de trabalhadores, também fica próximo ao depósito das Casas Bahia, e o túnel - com em média 50 metros de extensão - está abandonado, cheio de água, escuro, pois já foi alvo de roubos e fios, e cheio de lixos, além de ser um foco para dengue. 

Em maio do ano passado, o Diário publicou uma reportagem sobre a situação da passagem. Na época, a equipe de reportagem conversou com os moradores e presenciou pedestres se arriscando para atravessarem a Via Anchieta, visto que, a passagem segura mais próxima é o Viaduto Padre Fiorente Elena, que fica cerca de um quilômetro longe do túnel, uma média de dez minutos andando. 

Na manhã desta terça-feira (21), o Diário retornou ao local e se deparou com o problema maior. A realidade dos pedestres que se arriscam para atravessarem a via continua e o alagamento no túnel piorou. O motorista Francisco Adalberto de Abreu, 64 anos, precisa pegar dois ônibus para chegar em casa, ao descer em um dos pontos de ônibus na Via Anchieta, é obrigado a atravessar a rodovia para chegar ao próximo ponto.

Com o túnel alagado, ele precisa ir até o Terminal Ferrazópolis para pegar a próxima condução. "Isso é uma vergonha. Um verdadeiro descaso com quem precisa ir e voltar do trabalho. Os responsáveis por essa passagem não fazem ideia do quanto iam nos ajudar se retirassem essa água e arrumassem aqui", destaca. 

A dona de casa Ana Carolina Maroti, 36 anos, frequenta a UPA (Unidade de Pronto Atendimento) Silvina/ Ferrazópolis, próxima ao local, e comenta que não tem esperanças de fazerem algo pela passagem. "Cada vez mais está ficando perigoso pela dengue. Além disso, são duas empresas que existem aqui (Volskwagen e Casas Bahia), ajudaria muito os funcionários", avalia. 

Em nota, a Ecovias - concessionária responsável pelo SAI - destacou que "o túnel em questão não é de responsabilidade da Ecovias e que os problemas verificados são resultao de constantes ações de vandalismo e furtos de equipamentos, que danificam os cabos elétricos e a bomba de sucção", equipamentos necessários para evitar o alagamento da passagem.

A concessionária ainda destaca que realiza constantes serviços de manutenção no local para tentar mantê-lo em condições de uso. Nesta semana, a Ecovias iniciou as providências para a drenagem da água. A previsão é de que até amanhã o local esteja em condições adequadas para circulação dos pedestres.

Também questionada, a Prefeitura de São Bernardo ainda não respondeu a demanda do Diário

Mais informações, amanhã (22) matéria na íntegra no jornal impresso e pelo site www.dgabc.com.br.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Há quase um ano, túnel alagado causa transtornos aos pedestres

Na altura do km 23 da Via Anchieta, passagem subterrânea está sem iluminação e cheia de lixo

Yasmin Assagra
Do Diário do Grande ABC

21/01/2020 | 14:16


Não é de hoje que pedestres enfrentam dificuldades para atravessar um túnel, que liga a Avenida Dr. José Fornari ao km 23 da Via Anchieta, na proximidades da sede da Volskwagen. Os munícipes que precisam sair do bairro Demarchi e acessar o Ferrazópolis não conseguem pela passagem subterrânea pois está alagada, e este problema já se estende há pelo menos oito meses. 

Além da Volkswagen, o local, que foi construído para facilitar a vida de trabalhadores, também fica próximo ao depósito das Casas Bahia, e o túnel - com em média 50 metros de extensão - está abandonado, cheio de água, escuro, pois já foi alvo de roubos e fios, e cheio de lixos, além de ser um foco para dengue. 

Em maio do ano passado, o Diário publicou uma reportagem sobre a situação da passagem. Na época, a equipe de reportagem conversou com os moradores e presenciou pedestres se arriscando para atravessarem a Via Anchieta, visto que, a passagem segura mais próxima é o Viaduto Padre Fiorente Elena, que fica cerca de um quilômetro longe do túnel, uma média de dez minutos andando. 

Na manhã desta terça-feira (21), o Diário retornou ao local e se deparou com o problema maior. A realidade dos pedestres que se arriscam para atravessarem a via continua e o alagamento no túnel piorou. O motorista Francisco Adalberto de Abreu, 64 anos, precisa pegar dois ônibus para chegar em casa, ao descer em um dos pontos de ônibus na Via Anchieta, é obrigado a atravessar a rodovia para chegar ao próximo ponto.

Com o túnel alagado, ele precisa ir até o Terminal Ferrazópolis para pegar a próxima condução. "Isso é uma vergonha. Um verdadeiro descaso com quem precisa ir e voltar do trabalho. Os responsáveis por essa passagem não fazem ideia do quanto iam nos ajudar se retirassem essa água e arrumassem aqui", destaca. 

A dona de casa Ana Carolina Maroti, 36 anos, frequenta a UPA (Unidade de Pronto Atendimento) Silvina/ Ferrazópolis, próxima ao local, e comenta que não tem esperanças de fazerem algo pela passagem. "Cada vez mais está ficando perigoso pela dengue. Além disso, são duas empresas que existem aqui (Volskwagen e Casas Bahia), ajudaria muito os funcionários", avalia. 

Em nota, a Ecovias - concessionária responsável pelo SAI - destacou que "o túnel em questão não é de responsabilidade da Ecovias e que os problemas verificados são resultao de constantes ações de vandalismo e furtos de equipamentos, que danificam os cabos elétricos e a bomba de sucção", equipamentos necessários para evitar o alagamento da passagem.

A concessionária ainda destaca que realiza constantes serviços de manutenção no local para tentar mantê-lo em condições de uso. Nesta semana, a Ecovias iniciou as providências para a drenagem da água. A previsão é de que até amanhã o local esteja em condições adequadas para circulação dos pedestres.

Também questionada, a Prefeitura de São Bernardo ainda não respondeu a demanda do Diário

Mais informações, amanhã (22) matéria na íntegra no jornal impresso e pelo site www.dgabc.com.br.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;