Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 10 de Dezembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Cultura & Lazer

cultura@dgabc.com.br | 4435-8364

Aaron Carter grita com juiz durante audiência após ser ordenado a entregar suas armas de fogo



21/11/2019 | 15:10


Parece que as coisas não andam tão fáceis para Aaron Carter. De acordo com o portal Daily Mail UK, o cantor teria gritado com um juiz em Los Angeles, na Califórnia, Estados Unidos, na última terça-feira, dia 19, quando foi ordenado a entregar suas armas. Além disso, durante a audiência, Aaron também foi notificado de uma ordem de restrição - medida de proteção - apresentada por sua irmã gêmea, Angel Conrad.

A irmã, de 31 anos de idade, conseguiu a ordem de restrição contra o cantor até novembro de 2020. Angel conseguiu a aprovação da medida depois de alegar que Aaron teria dito a ela que tinha pensamentos violentos em relação a bebês e membros da própria família. Depois disso, seus familiares, temendo por sua segurança, teriam chamado a polícia para retirar as armas de fogo que pertenciam a Aaron e se encontravam dentro da casa. Na ocasião, a polícia teria dito que não retiraria as armas da casa a menos que Aaron fosse considerado mentalmente instável.

Porém, na última quarta-feira, dia 20, o juiz que cuida do caso do cantor considerou ele muito perigoso para possuir armas de fogo e que ele deveria desistir de suas coleções. Depois disso, o site afirma que Aaron começou a gritar e teria ameaçado deixar o local, declarando que simplesmente sairia do estado e compraria mais armas de fogo.

No final da tarde da mesma quarta-feira, dia 20, Aaron usou seu Instagram para desabafar. Ele disse que, de fato, obedeceria à ordem do juiz, além de afirmar que teria ficado arrasado com o que aconteceu no tribunal.

Estou triste com minha família e com o que eles fizeram comigo. Suas mentiras partiram meu coração, escreveu.

O cantor alegou novamente que seu irmão mais velho, Nick Carter, de 39 anos de idade, havia assediado sexualmente mulheres - mas Nick desmentiu todas as acusações, de acordo com o mesmo veículo.

Minha irmã mentiu várias vezes em um esforço para tirar meus direitos da 2ª Emenda e fez isso em nome do meu irmão para me silenciar sobre como ele estuprou e agrediu sexualmente várias mulheres. Vou cumprir a ordem do juiz, mas não vou parar de falar em nome de vítimas como Melissa Schuman, continuou.

Após tudo isso, Aaron ainda compartilhou uma foto em seu feed pessoal do Instagram ao lado de Melissa - mulher que acusou seu irmão Nick de estupro em 2017.

Sim! Chega de falsidade por um ano, ele escreveu na legenda, em referência à ordem do juiz para que ele ficasse longe de sua irmã e familiares.

Quanta polêmica, né?



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Aaron Carter grita com juiz durante audiência após ser ordenado a entregar suas armas de fogo


21/11/2019 | 15:10


Parece que as coisas não andam tão fáceis para Aaron Carter. De acordo com o portal Daily Mail UK, o cantor teria gritado com um juiz em Los Angeles, na Califórnia, Estados Unidos, na última terça-feira, dia 19, quando foi ordenado a entregar suas armas. Além disso, durante a audiência, Aaron também foi notificado de uma ordem de restrição - medida de proteção - apresentada por sua irmã gêmea, Angel Conrad.

A irmã, de 31 anos de idade, conseguiu a ordem de restrição contra o cantor até novembro de 2020. Angel conseguiu a aprovação da medida depois de alegar que Aaron teria dito a ela que tinha pensamentos violentos em relação a bebês e membros da própria família. Depois disso, seus familiares, temendo por sua segurança, teriam chamado a polícia para retirar as armas de fogo que pertenciam a Aaron e se encontravam dentro da casa. Na ocasião, a polícia teria dito que não retiraria as armas da casa a menos que Aaron fosse considerado mentalmente instável.

Porém, na última quarta-feira, dia 20, o juiz que cuida do caso do cantor considerou ele muito perigoso para possuir armas de fogo e que ele deveria desistir de suas coleções. Depois disso, o site afirma que Aaron começou a gritar e teria ameaçado deixar o local, declarando que simplesmente sairia do estado e compraria mais armas de fogo.

No final da tarde da mesma quarta-feira, dia 20, Aaron usou seu Instagram para desabafar. Ele disse que, de fato, obedeceria à ordem do juiz, além de afirmar que teria ficado arrasado com o que aconteceu no tribunal.

Estou triste com minha família e com o que eles fizeram comigo. Suas mentiras partiram meu coração, escreveu.

O cantor alegou novamente que seu irmão mais velho, Nick Carter, de 39 anos de idade, havia assediado sexualmente mulheres - mas Nick desmentiu todas as acusações, de acordo com o mesmo veículo.

Minha irmã mentiu várias vezes em um esforço para tirar meus direitos da 2ª Emenda e fez isso em nome do meu irmão para me silenciar sobre como ele estuprou e agrediu sexualmente várias mulheres. Vou cumprir a ordem do juiz, mas não vou parar de falar em nome de vítimas como Melissa Schuman, continuou.

Após tudo isso, Aaron ainda compartilhou uma foto em seu feed pessoal do Instagram ao lado de Melissa - mulher que acusou seu irmão Nick de estupro em 2017.

Sim! Chega de falsidade por um ano, ele escreveu na legenda, em referência à ordem do juiz para que ele ficasse longe de sua irmã e familiares.

Quanta polêmica, né?

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;