Fechar
Publicidade

Sábado, 5 de Dezembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Esportes

esportes@dgabc.com.br | 4435-8384

Autuori critica gestão do Santos e evita falar sobre futuro de Sampaoli

Fotos Públicas Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra


30/10/2019 | 11:38


Em mais uma entrevista coletiva para prestar esclarecimentos sobre a situação do Santos, o superintendente de futebol Paulo Autuori fez críticas à gestão do clube em tom de desabafo nesta quarta-feira, afirmou que a temporada 2020 do time será "dura" e evitou falar sobre o futuro do técnico Jorge Sampaoli na equipe.

Autuori disse que, por questões de confidencialidade, não revelaria informações sobre o contrato do treinador. Mas ressaltou que "nada mudou" no vínculo de Sampaoli em relação ao início. Recentemente, rumores apontavam que o treinador teria pedido para retirar a multa rescisória do contrato, com o objetivo de deixar o clube no início de 2020.

"Não está em causa multa, premiação. Isso é algo que já vem desde o início, desde que o Sampaoli entrou no clube. Estamos tendo conversas para preparar 2020, com a possibilidade de fazer isso com antecipação. Seria lindo ter continuidade no trabalho. Não há nada de novo sobre o assunto", disse Autuori, no CT Rei Pelé.

A novidade no caso, segundo o superintendente, é que hoje Sampaoli está melhor informado sobre como será o próximo ano no clube. "O fator novo é que o Sampaoli hoje, diferentemente do início do ano, tem completamente claro o que vai ser 2020 para o clube. Com a antecipação necessária, fiz questão de mostrar para ele qual será a realidade do Santos em 2020. A realidade não será fácil, será dura, diante das dificuldades que o clube vai enfrentar", afirmou, sem entrar em detalhes.

Em tom de desabafo, Autuori poupou o presidente José Carlos Peres e disse estar "incomodado" com a "covardia" de uma "uma pessoa do Comitê Gestor", sem citar nomes. "O que a mim me incomoda muito, é a falta de coragem de pessoas para que quando estão no fórum certo, respeitando aquilo: ''quem'', as pessoas que são envolvida, ''quando'', aquilo que vai acontecer e ''onde'', lugar que vai acontecer. Há covardia, tentam de alguma maneira soltar algo através da mídia. Não existe uma lógica clara", reclamou.

O superintendente de futebol disse estar "desapontado" com a gestão do clube. "Estou extremamente desapontado com a maneira com que as coisas estão ocorrendo em relação à gestão. Como meu pai sempre dizia: os incomodados é que se mudem", afirmou, antes de ressaltar: "não estou falando em saída. Estou deixando claro o meu posicionamento".

Autuori também reconheceu falhas da gestão do futebol do clube. "Houve um erro de planejamento, não tenho dificuldade de ratificar isso. Precisamos corrigir essa rota. É uma situação que não pode acontecer. É ruim quando o clube tem jogadores para treinar em horários distintos. É ruim para todos. Jogador precisa jogar, estar à disposição. 2020 será terrível também, porque tem vários jogadores em empréstimos que vão regressar. Precisamos trabalhar desde agora."



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Autuori critica gestão do Santos e evita falar sobre futuro de Sampaoli


30/10/2019 | 11:38


Em mais uma entrevista coletiva para prestar esclarecimentos sobre a situação do Santos, o superintendente de futebol Paulo Autuori fez críticas à gestão do clube em tom de desabafo nesta quarta-feira, afirmou que a temporada 2020 do time será "dura" e evitou falar sobre o futuro do técnico Jorge Sampaoli na equipe.

Autuori disse que, por questões de confidencialidade, não revelaria informações sobre o contrato do treinador. Mas ressaltou que "nada mudou" no vínculo de Sampaoli em relação ao início. Recentemente, rumores apontavam que o treinador teria pedido para retirar a multa rescisória do contrato, com o objetivo de deixar o clube no início de 2020.

"Não está em causa multa, premiação. Isso é algo que já vem desde o início, desde que o Sampaoli entrou no clube. Estamos tendo conversas para preparar 2020, com a possibilidade de fazer isso com antecipação. Seria lindo ter continuidade no trabalho. Não há nada de novo sobre o assunto", disse Autuori, no CT Rei Pelé.

A novidade no caso, segundo o superintendente, é que hoje Sampaoli está melhor informado sobre como será o próximo ano no clube. "O fator novo é que o Sampaoli hoje, diferentemente do início do ano, tem completamente claro o que vai ser 2020 para o clube. Com a antecipação necessária, fiz questão de mostrar para ele qual será a realidade do Santos em 2020. A realidade não será fácil, será dura, diante das dificuldades que o clube vai enfrentar", afirmou, sem entrar em detalhes.

Em tom de desabafo, Autuori poupou o presidente José Carlos Peres e disse estar "incomodado" com a "covardia" de uma "uma pessoa do Comitê Gestor", sem citar nomes. "O que a mim me incomoda muito, é a falta de coragem de pessoas para que quando estão no fórum certo, respeitando aquilo: ''quem'', as pessoas que são envolvida, ''quando'', aquilo que vai acontecer e ''onde'', lugar que vai acontecer. Há covardia, tentam de alguma maneira soltar algo através da mídia. Não existe uma lógica clara", reclamou.

O superintendente de futebol disse estar "desapontado" com a gestão do clube. "Estou extremamente desapontado com a maneira com que as coisas estão ocorrendo em relação à gestão. Como meu pai sempre dizia: os incomodados é que se mudem", afirmou, antes de ressaltar: "não estou falando em saída. Estou deixando claro o meu posicionamento".

Autuori também reconheceu falhas da gestão do futebol do clube. "Houve um erro de planejamento, não tenho dificuldade de ratificar isso. Precisamos corrigir essa rota. É uma situação que não pode acontecer. É ruim quando o clube tem jogadores para treinar em horários distintos. É ruim para todos. Jogador precisa jogar, estar à disposição. 2020 será terrível também, porque tem vários jogadores em empréstimos que vão regressar. Precisamos trabalhar desde agora."

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;