Fechar
Publicidade

Segunda-Feira, 11 de Novembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

soraiapedrozo@dgabc.com.br | 4435-8057

Cidadania recua do destaque sobre mínimo para pensão por morte de servidores



22/10/2019 | 17:22


Em meio às negociações para votação da reforma da Previdência em segundo turno no Senado, o Cidadania recuou da tentativa de apresentar um destaque para garantir o pagamento de um salário mínimo a beneficiários de pensão por morte de servidores públicos. No texto em análise pelo plenário da Casa, esse piso é garantido para contribuintes do Regime Geral de Previdência Social.

No entendimento de técnicos do Senado, a aprovação do dispositivo proposto pelo partido envolvia alteração de mérito, o que exigiria uma nova votação da reforma na Câmara. Após a votação do texto principal da proposta, os senadores ainda devem se debruçar sobre três tentativas de alteração.

Uma dos destaques a serem votados separadamente foi apresentado pelo PDT. O partido tenta manter regras de transição atualmente vigentes. Nos cálculos da equipe econômica, o impacto dessa manutenção seria de R$ 148,6 bilhões em dez anos.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Cidadania recua do destaque sobre mínimo para pensão por morte de servidores


22/10/2019 | 17:22


Em meio às negociações para votação da reforma da Previdência em segundo turno no Senado, o Cidadania recuou da tentativa de apresentar um destaque para garantir o pagamento de um salário mínimo a beneficiários de pensão por morte de servidores públicos. No texto em análise pelo plenário da Casa, esse piso é garantido para contribuintes do Regime Geral de Previdência Social.

No entendimento de técnicos do Senado, a aprovação do dispositivo proposto pelo partido envolvia alteração de mérito, o que exigiria uma nova votação da reforma na Câmara. Após a votação do texto principal da proposta, os senadores ainda devem se debruçar sobre três tentativas de alteração.

Uma dos destaques a serem votados separadamente foi apresentado pelo PDT. O partido tenta manter regras de transição atualmente vigentes. Nos cálculos da equipe econômica, o impacto dessa manutenção seria de R$ 148,6 bilhões em dez anos.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;