Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 12 de Novembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Esportes

esportes@dgabc.com.br | 4435-8384

Zé Roberto prevê problema no início da Copa do Mundo: 'Sérvia é uma das melhores'

Reprodução/Instragram Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra


12/09/2019 | 12:30


A seleção brasileira feminina de vôlei começará neste sábado, a partir das 5 horas (de Brasília), a disputa pelo título da Copa do Mundo, no Japão. O time comandado pelo treinador José Roberto Guimarães enfrentará a Sérvia, na cidade de Hamamatsu, iniciando a luta por uma conquista inédita - os melhores resultados são três medalhas de prata (1995, 2003 e 2007).

De olho na estreia, Zé Roberto Guimarães afirmou que o Brasil pode ter problemas em sua estreia por conta da boa fase das rivais. "A Sérvia recentemente participou do Campeonato Europeu e ficou com o título. É hoje um dos melhores times do mundo. Para nós é importante jogarmos contra elas nesse momento para vermos em qual estágio estamos. Nossa equipe busca uma melhor relação entre o bloqueio e a defesa, além do ajuste no nosso contra-ataque com mais velocidade", disse.

O treinador brasileiro ainda destacou a importância da competição, que fecha a temporada de 2019. A seleção conquistou a vaga nos Jogos Olímpicos de Tóquio-2020, foi campeã do Sul-Americano e terminou com o vice da Liga das Nações. "A Copa do Mundo vale pontos para o ranking mundial. Essa pontuação vai influenciar na distribuição das chaves para os Jogos Olímpicos", explicou.

Na Copa do Mundo, 12 seleções se enfrentam em 11 rodadas e a equipe que somar o maior número de pontos se sagrará campeã. A competição conta com a atual campeã mundial (Sérvia), o Japão (país sede) e as duas melhores seleções de cada continente no ranking mundial.

Uma das novidades na seleção, a líbero Camila Brait vive a expectativa de disputar a sua primeira competição oficial pelo time desde o Grand Prix de 2016. "Estou muito feliz de estar de volta. Fazia muito tempo que não representava a seleção. Tinha o sonho de ser mãe e consegui realizá-lo. Depois disso, um dos objetivos que tenho na minha vida é disputar os Jogos Olímpicos. Esse ano voltei para a seleção e fui muito bem recebida pelas jogadoras e a comissão técnica. Quero ajudar o Brasil da melhor forma possível nessa Copa do Mundo", comentou.

No Japão, o elenco do Brasil é formado pelas levantadoras Macris e Roberta; pelas opostas Sheilla e Lorenne; pelas ponteiras Gabi, Drussyla, Amanda e Gabi Cândido; pelas centrais Bia, Mara, Carol e Fabiana; e pelas líberos Léia e Camila Brait.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Zé Roberto prevê problema no início da Copa do Mundo: 'Sérvia é uma das melhores'


12/09/2019 | 12:30


A seleção brasileira feminina de vôlei começará neste sábado, a partir das 5 horas (de Brasília), a disputa pelo título da Copa do Mundo, no Japão. O time comandado pelo treinador José Roberto Guimarães enfrentará a Sérvia, na cidade de Hamamatsu, iniciando a luta por uma conquista inédita - os melhores resultados são três medalhas de prata (1995, 2003 e 2007).

De olho na estreia, Zé Roberto Guimarães afirmou que o Brasil pode ter problemas em sua estreia por conta da boa fase das rivais. "A Sérvia recentemente participou do Campeonato Europeu e ficou com o título. É hoje um dos melhores times do mundo. Para nós é importante jogarmos contra elas nesse momento para vermos em qual estágio estamos. Nossa equipe busca uma melhor relação entre o bloqueio e a defesa, além do ajuste no nosso contra-ataque com mais velocidade", disse.

O treinador brasileiro ainda destacou a importância da competição, que fecha a temporada de 2019. A seleção conquistou a vaga nos Jogos Olímpicos de Tóquio-2020, foi campeã do Sul-Americano e terminou com o vice da Liga das Nações. "A Copa do Mundo vale pontos para o ranking mundial. Essa pontuação vai influenciar na distribuição das chaves para os Jogos Olímpicos", explicou.

Na Copa do Mundo, 12 seleções se enfrentam em 11 rodadas e a equipe que somar o maior número de pontos se sagrará campeã. A competição conta com a atual campeã mundial (Sérvia), o Japão (país sede) e as duas melhores seleções de cada continente no ranking mundial.

Uma das novidades na seleção, a líbero Camila Brait vive a expectativa de disputar a sua primeira competição oficial pelo time desde o Grand Prix de 2016. "Estou muito feliz de estar de volta. Fazia muito tempo que não representava a seleção. Tinha o sonho de ser mãe e consegui realizá-lo. Depois disso, um dos objetivos que tenho na minha vida é disputar os Jogos Olímpicos. Esse ano voltei para a seleção e fui muito bem recebida pelas jogadoras e a comissão técnica. Quero ajudar o Brasil da melhor forma possível nessa Copa do Mundo", comentou.

No Japão, o elenco do Brasil é formado pelas levantadoras Macris e Roberta; pelas opostas Sheilla e Lorenne; pelas ponteiras Gabi, Drussyla, Amanda e Gabi Cândido; pelas centrais Bia, Mara, Carol e Fabiana; e pelas líberos Léia e Camila Brait.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;