Fechar
Publicidade

Quinta-Feira, 19 de Setembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

soraiapedrozo@dgabc.com.br | 4435-8057

Equipe econômica joga a toalha ao colocar CPMF na agenda tributária, diz Limonji

Divulgação/Agência Brasil Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra


11/09/2019 | 14:16


A colocação na agenda do governo de um imposto similar à extinta Contribuição Provisória sobre Movimentações Financeiras (CPMF) é uma prova de que a equipe econômica do presidente da República, Jair Bolsonaro, comandada pelo ministro da Economia, Paulo Guedes, "jogou a toalha" em relação aos discursos iniciais de que buscaria a eficiência tributária sem aumentar a carga.

A afirmação foi feita nesta quarta-feira, 11, pelo cientista político e professor do Departamento de Ciências Políticas da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo (USP), Fernando Limonji, que participou do Seminário FGV Ibre - Estadão, na sede da Fundação Getúlio Vargas (FGV), em São Paulo.

"A colocação da CPMF na agenda mostra que eles equipe econômica estão jogando a toalha", disse Limonji.

Para ele, o governo está precisando de arrecadação. "A promessa de substituição e de compensação não vai ocorrer porque, na verdade, o caixa não está fechando", comentou o cientista político.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Equipe econômica joga a toalha ao colocar CPMF na agenda tributária, diz Limonji


11/09/2019 | 14:16


A colocação na agenda do governo de um imposto similar à extinta Contribuição Provisória sobre Movimentações Financeiras (CPMF) é uma prova de que a equipe econômica do presidente da República, Jair Bolsonaro, comandada pelo ministro da Economia, Paulo Guedes, "jogou a toalha" em relação aos discursos iniciais de que buscaria a eficiência tributária sem aumentar a carga.

A afirmação foi feita nesta quarta-feira, 11, pelo cientista político e professor do Departamento de Ciências Políticas da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas da Universidade de São Paulo (USP), Fernando Limonji, que participou do Seminário FGV Ibre - Estadão, na sede da Fundação Getúlio Vargas (FGV), em São Paulo.

"A colocação da CPMF na agenda mostra que eles equipe econômica estão jogando a toalha", disse Limonji.

Para ele, o governo está precisando de arrecadação. "A promessa de substituição e de compensação não vai ocorrer porque, na verdade, o caixa não está fechando", comentou o cientista político.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;