Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 23 de Julho

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Internacional

internacional@dgabc.com.br | 4435-8301

Irã diz que pode exceder limite de enriquecimento de urânio se Europa não agir



26/06/2019 | 20:15


O Irã superará os limites estabelecidos no acordo de 2015 de enriquecimento de urânio, a menos que Reino Unido, França e Alemanha atuem com medidas práticas para preservar a iniciativa, afirmou o embaixador iraniano na Organização das Nações Unidas, Majid Takht Ravanchi, nesta quinta-feira. A autoridade disse que o acordo está "agora em condição crítica".

Fechado em 2015, o acordo prevê que o Irã controle seus níveis de enriquecimento de urânio, em troca da retirada de sanções. Os EUA, porém, abandonaram a iniciativa em maio de 2018 e voltaram a impor sanções contra Teerã. O Reino Unido, a Alemanha, a França e outros três países da União Europeia afirmaram que o Irã deve cumprir o acordo e evitar medidas que possam representar uma escalada.

Ravanchi, por sua vez, disse que a "guerra econômica dos EUA" fazia na prática com que o acordo fosse "respeitado apenas por uma parte", o próprio Irã. Fonte: Associated Press.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Irã diz que pode exceder limite de enriquecimento de urânio se Europa não agir


26/06/2019 | 20:15


O Irã superará os limites estabelecidos no acordo de 2015 de enriquecimento de urânio, a menos que Reino Unido, França e Alemanha atuem com medidas práticas para preservar a iniciativa, afirmou o embaixador iraniano na Organização das Nações Unidas, Majid Takht Ravanchi, nesta quinta-feira. A autoridade disse que o acordo está "agora em condição crítica".

Fechado em 2015, o acordo prevê que o Irã controle seus níveis de enriquecimento de urânio, em troca da retirada de sanções. Os EUA, porém, abandonaram a iniciativa em maio de 2018 e voltaram a impor sanções contra Teerã. O Reino Unido, a Alemanha, a França e outros três países da União Europeia afirmaram que o Irã deve cumprir o acordo e evitar medidas que possam representar uma escalada.

Ravanchi, por sua vez, disse que a "guerra econômica dos EUA" fazia na prática com que o acordo fosse "respeitado apenas por uma parte", o próprio Irã. Fonte: Associated Press.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;