Fechar
Publicidade

Quinta-Feira, 18 de Julho

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

soraiapedrozo@dgabc.com.br | 4435-8057

MME diz que País terá de ter aumento de 35% na geração de energia em 10 anos

Pixabay Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra


24/06/2019 | 20:03


O ministro das Minas e Energia, Bento Albuquerque, considerou que a nova política para o mercado de gás brasileiro, aprovada nesta segunda-feira, 24, pelo Conselho Nacional de Política Energética (CNPE), visa promover livre concorrência e reduzir preço da energia no Brasil. "Vamos permitir a abertura do mercado de gás hoje concentrado basicamente na Petrobras. O País terá de ter aumento de 35% na geração de energia em 10 anos e (a medida) vai permitir novos investimentos" afirmou o ministro.

As propostas preveem que Estados quebrem o monopólio do insumo e privatizem as companhias, muitas delas controladas pela Petrobras, propiciando a maior concorrência no setor, segundo Albuquerque. "Num esforço coordenado com entes federativos, vamos propiciar maior concorrência e a expectativa é que em dois ou três anos o preço do gás tenha forte redução", explicou. Simulações indicam redução de 10% no preço do gás, disse o ministro, juntamente com o colega da pasta da Economia, Paulo Guedes, em coletiva em Brasília (DF).

Assim como Guedes, Albuquerque avaliou que o Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) e a Petrobras não se oporão às medidas. As diretrizes do novo mercado do gás, de acordo com o ministro das Minas e Energia, serão apresentadas nesta terça-feira ao Congresso Nacional e possíveis mudanças em leis serão feitas pela Câmara e o Senado. "Vamos apresentar o que entendemos que a legislação tem de ser aperfeiçoada", concluiu.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

MME diz que País terá de ter aumento de 35% na geração de energia em 10 anos


24/06/2019 | 20:03


O ministro das Minas e Energia, Bento Albuquerque, considerou que a nova política para o mercado de gás brasileiro, aprovada nesta segunda-feira, 24, pelo Conselho Nacional de Política Energética (CNPE), visa promover livre concorrência e reduzir preço da energia no Brasil. "Vamos permitir a abertura do mercado de gás hoje concentrado basicamente na Petrobras. O País terá de ter aumento de 35% na geração de energia em 10 anos e (a medida) vai permitir novos investimentos" afirmou o ministro.

As propostas preveem que Estados quebrem o monopólio do insumo e privatizem as companhias, muitas delas controladas pela Petrobras, propiciando a maior concorrência no setor, segundo Albuquerque. "Num esforço coordenado com entes federativos, vamos propiciar maior concorrência e a expectativa é que em dois ou três anos o preço do gás tenha forte redução", explicou. Simulações indicam redução de 10% no preço do gás, disse o ministro, juntamente com o colega da pasta da Economia, Paulo Guedes, em coletiva em Brasília (DF).

Assim como Guedes, Albuquerque avaliou que o Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) e a Petrobras não se oporão às medidas. As diretrizes do novo mercado do gás, de acordo com o ministro das Minas e Energia, serão apresentadas nesta terça-feira ao Congresso Nacional e possíveis mudanças em leis serão feitas pela Câmara e o Senado. "Vamos apresentar o que entendemos que a legislação tem de ser aperfeiçoada", concluiu.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;