Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 22 de Outubro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

|

Dinheiro misturado não faz omelete


Do Diário do Grande ABC

03/06/2019 | 12:50


Sonho de todo trabalhador é ter seu próprio negócio. Ser dono do tempo e de sua boa vontade é encantamento que se culmina quando ficamos de frente com a árdua face da realidade. Conheço gente que se surpreendeu com isso. ‘Estou cheio de chefe’, pensam alguns, esquecendo-se de que, a partir do momento que tocar sozinho sua loja ou escritório, cria perante os clientes relação bem específica, na qual praticamente todos eles passam a ser um tipo de ‘patrão’.

E quanto ao horário de trabalho? Cansado de ‘bater cartão’? Ao inaugurar sua empresa, realmente não existirá mais horário a cumprir. Afinal, qual empresário deixará de atender cliente porque passou das 18h, é sábado ou devido a estar almoçando?

Mas o mais grave, com certeza, trata-se da confusão que novos empresários fazem ao ‘meter as mãos’ no caixa da empresa para pagar contas particulares, ou comprar isso e aquilo.

Estava um dia visitando amigo em sua empresa. Convidei-o para comer pizza e tomar chope, pois já era fim do expediente. Ele, então, ligou para a responsável do financeiro da empresa e perguntou: ‘Tem algum dinheiro no caixa’? Eu tentei explicar a ele sem ser intrometido de que isso não faz bem ao negócio. Se uso o dinheiro dessa maneira, não me aperto nas contas pessoais, mas como terei depois o que necessito para custear as operações da empresa?

Para tudo é preciso orçamento. E o empresário precisa esquematizar valor fixo de retirada, como salário e viver sua vida pessoal dentro dos padrões desse salário. E, claro, não adianta achar que vai ganhar quanto quer. O salário do empresário deve estar dentro do orçamento da empresa.

Em um orçamento devem estar os custos, salários, impostos, giro para compras e manutenção, sem esquecer ainda de reserva para investimentos. Equipamentos, campanhas de marketing, imprevistos... Tudo isso precisa estar protegido ou a empresa ‘quebra’ rapidinho se ficar na dependência constante de capital externo (empréstimos). Sabendo como funciona a ‘cabeça’ da maioria dos empresários, principalmente os novatos, não poderíamos deixar de dar-lhes esse aviso ‘sagrado’. Não misturar o dinheiro pessoal com o da empresa. No treinamento inicial para novos franqueados a matéria é muito importante. Afinal, a mistura de dinheiro na administração de uma empresa tem se confirmado como o principal motivo de sua falência. E não queremos que os franqueados esmoreçam ou fechem suas portas.

O alerta serve para muitos e até mesmo para os mais experientes que insistem em não ficar devendo na pessoa física e, por isso, desviam o tempo todo do caixa de suas empresas.


Carlos Alexandre é diretor executivo do Grupo Seleta Franchising. 

Sardano e a GCM 

Classifico como lamentável a postura do secretário de Segurança de Santo André, Edson Sardano, ao rebater críticas às péssimas condições das viaturas da Guarda Civil Municipal de Santo André. Em vez de acalmar os ânimos, deixou os GCMs mais revoltados ainda. Isso só demonstra que o secretário não conhece os problemas da corporação, subordinada à sua pasta. Sugiro ao mesmo que saia de seu gabinete e vá conhecer a realidade desses valorosos guerreiros, que operam com fardas puídas, adquiridas ainda na gestão Aidan, botas furadas, sistema de radiocomunicação obsoleto, armamento velho e ultrapassado (revólveres 38), postos sem manutenção, defasagem de servidores devido a muitas aposentadorias e falta de concurso para novas contratações! Com tudo isso, atendemos diariamente diversos ofícios e pedidos de vereadores e munícipes para efetuarmos rondas em locais de alto índice de criminalidade na cidade. Mais uma vez perdeu a oportunidade de esclarecer a situação lamentável em que vive a nossa gloriosa GCM! Sinto-me ofendido, como servidor da GCM há 20 anos, com a postura do secretário! 

José Pedro da Silva

Santo André

Reforma

Sobre a reforma do atual Hospital Municipal de Piraporinha, em Diadema (Política, dia 30), não sou técnico especializado nesse ramo, mas como a referida unidade hospitalar já vive superlotada, creio que será difícil a sua reforma geral. Até porque tem muita coisa a ser feita e precisaria, a princípio, desocupar o prédio. Onde colocar todos os pacientes, funcionários e equipamentos? A não ser que as reformas sejam feitas por pavimento e as pessoas internas tenham que suportar o barulho provocado pelos profissionais durante as reformas. Mas é bom deixar claro que o prefeito Lauro Michels não pode ser considerado culpado por essa crise na saúde pública, que vem de governos anteriores há décadas. A única obra de certa relevância foi feita na gestão do ex-prefeito José de Filippi Júnior, cujas obras demoraram quase três anos, no caso, o Quarteirão da Saúde.

Arlindo Ligeirinho Ribeiro

Diadema

Resposta

Em atenção à carta do leitor Mário Campos (Comando, dia 26), o CPA/M-6 (Comandante do Policiamento de Área Metropolitana Seis) esclarece que para execução de bloqueio policial, o principal objetivo a ser avaliado é a segurança, tanto da população quanto de nossos policiais e, para tanto, uma das estratégias é a técnica de estreitamento de via, a qual permite que veículos sejam conduzidos em menor velocidade, sendo mais bem visualizados, cooperando com o bom andamento da ação policial. Foco dos bloqueios policiais é que seja executado em menor tempo em determinado local, pois quanto maior é a duração, menor é sua efetividade. Verificaremos adequação de melhor local mencionado pelo leitor, observando-se critérios de objetividade e segurança, e que atenda à estratégia preventiva. Por fim, enfatizamos que a Polícia Militar está imbuída na missão que é proteger pessoas, fazer cumprir as leis, combater o crime e preservar a ordem pública, motivo pelo qual tem o compromisso e a exclusiva finalidade de atender às expectativas da sociedade do Grande ABC, e mesmo com grande demanda, está sempre pronta a atender o cidadão, a qualquer dia, a qualquer hora e em qualquer lugar. Para tanto, permanecemos à disposição para todo e qualquer esclarecimento ou auxílio.

CPA/M-6

São Bernardo

Essa novela sobre as contas do ex-prefeito Luiz Marinho já cansou (Política, dia 30). Está mais do que na hora de os vereadores de São Bernardo, eleitos democraticamente, colocarem fim a um dos mais tristes episódios da política da nossa cidade. Nada se vota, nada se discute. Como se o município estivesse navegando em mares calmos, como se não houvesse problema na saúde. Basta! Os nossos vereadores precisam parar com esse joguinho liderado pelo prefeito Orlando Morando de tentar barrar potencial adversário eleitoral. E fazer a Câmara voltar a funcionar. Pelo bem da cidade.

Josué Ribeiro Leite

São Bernardo

Papa e Lula

O papa Francisco lamentou as duras provas que Lula vem sofrendo preso em Curitiba, no Paraná. Francisco afirmou acreditar que ‘o bem vencerá o mal’. Pediu que o ex-presidente ‘não desanime e continue acreditando em Deus’, porque, ‘graças a Ele, podemos passar da escuridão para a luz; das escravidões deste mundo para a liberdade da terra prometida; do pecado que nos separa de Deus e dos irmãos para a amizade que nos une a Ele; da incredulidade e do desespero para a alegria serena e profunda de quem acredita que, no final, o bem vencerá o mal, a verdade vencerá a mentira e a salvação vencerá a condenação’. Ou seja, nem o papa acredita na Justiça brasileira e nas acusações ao ex-presidente. Mas tem alguns missivistas desta Palavra do Leitor que insistem em não enxergar e acabam passando por situação vexatória. Antes ‘viúvo’ de Lula do que vítima do massacre promovido pelo inútil Bolsonaro e sua incompetente equipe.

João Arcanjo de Lima

São Caetano

Pesos e medidas

Adoraria ver os ditos experts do PT ético e honesto e do Psol, que adoram black blocs, e a anistia internacional falarem ou se posicionarem em relação à prisão após dez anos do deputado Carli Filho no Paraná, que matou dois jovens cheios de vida e detonou suas famílias. Ele, por ser rico e tendo ótimos advogados, ficou dez anos enrolando a Justiça. Não vi ninguém dos citados acima contestar isso. É esse procedimento que tanto adoram?

Maria Simões

Capital

As cartas para esta seção devem ser encaminhadas pelos Correios (Rua Catequese, 562, bairro Jardim, Santo André, CEP 09090-900) ou por e-mail (palavradoleitor@dgabc.com.br). Necessário que sejam indicados nome e endereço completos e telefone para contato. Não serão publicadas ofensas pessoais. Os assuntos devem versar sobre temas abordados pelo jornal. O Diário se reserva o direito de publicar somente trechos dos textos.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Dinheiro misturado não faz omelete

Do Diário do Grande ABC

03/06/2019 | 12:50


Sonho de todo trabalhador é ter seu próprio negócio. Ser dono do tempo e de sua boa vontade é encantamento que se culmina quando ficamos de frente com a árdua face da realidade. Conheço gente que se surpreendeu com isso. ‘Estou cheio de chefe’, pensam alguns, esquecendo-se de que, a partir do momento que tocar sozinho sua loja ou escritório, cria perante os clientes relação bem específica, na qual praticamente todos eles passam a ser um tipo de ‘patrão’.

E quanto ao horário de trabalho? Cansado de ‘bater cartão’? Ao inaugurar sua empresa, realmente não existirá mais horário a cumprir. Afinal, qual empresário deixará de atender cliente porque passou das 18h, é sábado ou devido a estar almoçando?

Mas o mais grave, com certeza, trata-se da confusão que novos empresários fazem ao ‘meter as mãos’ no caixa da empresa para pagar contas particulares, ou comprar isso e aquilo.

Estava um dia visitando amigo em sua empresa. Convidei-o para comer pizza e tomar chope, pois já era fim do expediente. Ele, então, ligou para a responsável do financeiro da empresa e perguntou: ‘Tem algum dinheiro no caixa’? Eu tentei explicar a ele sem ser intrometido de que isso não faz bem ao negócio. Se uso o dinheiro dessa maneira, não me aperto nas contas pessoais, mas como terei depois o que necessito para custear as operações da empresa?

Para tudo é preciso orçamento. E o empresário precisa esquematizar valor fixo de retirada, como salário e viver sua vida pessoal dentro dos padrões desse salário. E, claro, não adianta achar que vai ganhar quanto quer. O salário do empresário deve estar dentro do orçamento da empresa.

Em um orçamento devem estar os custos, salários, impostos, giro para compras e manutenção, sem esquecer ainda de reserva para investimentos. Equipamentos, campanhas de marketing, imprevistos... Tudo isso precisa estar protegido ou a empresa ‘quebra’ rapidinho se ficar na dependência constante de capital externo (empréstimos). Sabendo como funciona a ‘cabeça’ da maioria dos empresários, principalmente os novatos, não poderíamos deixar de dar-lhes esse aviso ‘sagrado’. Não misturar o dinheiro pessoal com o da empresa. No treinamento inicial para novos franqueados a matéria é muito importante. Afinal, a mistura de dinheiro na administração de uma empresa tem se confirmado como o principal motivo de sua falência. E não queremos que os franqueados esmoreçam ou fechem suas portas.

O alerta serve para muitos e até mesmo para os mais experientes que insistem em não ficar devendo na pessoa física e, por isso, desviam o tempo todo do caixa de suas empresas.


Carlos Alexandre é diretor executivo do Grupo Seleta Franchising. 

Sardano e a GCM 

Classifico como lamentável a postura do secretário de Segurança de Santo André, Edson Sardano, ao rebater críticas às péssimas condições das viaturas da Guarda Civil Municipal de Santo André. Em vez de acalmar os ânimos, deixou os GCMs mais revoltados ainda. Isso só demonstra que o secretário não conhece os problemas da corporação, subordinada à sua pasta. Sugiro ao mesmo que saia de seu gabinete e vá conhecer a realidade desses valorosos guerreiros, que operam com fardas puídas, adquiridas ainda na gestão Aidan, botas furadas, sistema de radiocomunicação obsoleto, armamento velho e ultrapassado (revólveres 38), postos sem manutenção, defasagem de servidores devido a muitas aposentadorias e falta de concurso para novas contratações! Com tudo isso, atendemos diariamente diversos ofícios e pedidos de vereadores e munícipes para efetuarmos rondas em locais de alto índice de criminalidade na cidade. Mais uma vez perdeu a oportunidade de esclarecer a situação lamentável em que vive a nossa gloriosa GCM! Sinto-me ofendido, como servidor da GCM há 20 anos, com a postura do secretário! 

José Pedro da Silva

Santo André

Reforma

Sobre a reforma do atual Hospital Municipal de Piraporinha, em Diadema (Política, dia 30), não sou técnico especializado nesse ramo, mas como a referida unidade hospitalar já vive superlotada, creio que será difícil a sua reforma geral. Até porque tem muita coisa a ser feita e precisaria, a princípio, desocupar o prédio. Onde colocar todos os pacientes, funcionários e equipamentos? A não ser que as reformas sejam feitas por pavimento e as pessoas internas tenham que suportar o barulho provocado pelos profissionais durante as reformas. Mas é bom deixar claro que o prefeito Lauro Michels não pode ser considerado culpado por essa crise na saúde pública, que vem de governos anteriores há décadas. A única obra de certa relevância foi feita na gestão do ex-prefeito José de Filippi Júnior, cujas obras demoraram quase três anos, no caso, o Quarteirão da Saúde.

Arlindo Ligeirinho Ribeiro

Diadema

Resposta

Em atenção à carta do leitor Mário Campos (Comando, dia 26), o CPA/M-6 (Comandante do Policiamento de Área Metropolitana Seis) esclarece que para execução de bloqueio policial, o principal objetivo a ser avaliado é a segurança, tanto da população quanto de nossos policiais e, para tanto, uma das estratégias é a técnica de estreitamento de via, a qual permite que veículos sejam conduzidos em menor velocidade, sendo mais bem visualizados, cooperando com o bom andamento da ação policial. Foco dos bloqueios policiais é que seja executado em menor tempo em determinado local, pois quanto maior é a duração, menor é sua efetividade. Verificaremos adequação de melhor local mencionado pelo leitor, observando-se critérios de objetividade e segurança, e que atenda à estratégia preventiva. Por fim, enfatizamos que a Polícia Militar está imbuída na missão que é proteger pessoas, fazer cumprir as leis, combater o crime e preservar a ordem pública, motivo pelo qual tem o compromisso e a exclusiva finalidade de atender às expectativas da sociedade do Grande ABC, e mesmo com grande demanda, está sempre pronta a atender o cidadão, a qualquer dia, a qualquer hora e em qualquer lugar. Para tanto, permanecemos à disposição para todo e qualquer esclarecimento ou auxílio.

CPA/M-6

São Bernardo

Essa novela sobre as contas do ex-prefeito Luiz Marinho já cansou (Política, dia 30). Está mais do que na hora de os vereadores de São Bernardo, eleitos democraticamente, colocarem fim a um dos mais tristes episódios da política da nossa cidade. Nada se vota, nada se discute. Como se o município estivesse navegando em mares calmos, como se não houvesse problema na saúde. Basta! Os nossos vereadores precisam parar com esse joguinho liderado pelo prefeito Orlando Morando de tentar barrar potencial adversário eleitoral. E fazer a Câmara voltar a funcionar. Pelo bem da cidade.

Josué Ribeiro Leite

São Bernardo

Papa e Lula

O papa Francisco lamentou as duras provas que Lula vem sofrendo preso em Curitiba, no Paraná. Francisco afirmou acreditar que ‘o bem vencerá o mal’. Pediu que o ex-presidente ‘não desanime e continue acreditando em Deus’, porque, ‘graças a Ele, podemos passar da escuridão para a luz; das escravidões deste mundo para a liberdade da terra prometida; do pecado que nos separa de Deus e dos irmãos para a amizade que nos une a Ele; da incredulidade e do desespero para a alegria serena e profunda de quem acredita que, no final, o bem vencerá o mal, a verdade vencerá a mentira e a salvação vencerá a condenação’. Ou seja, nem o papa acredita na Justiça brasileira e nas acusações ao ex-presidente. Mas tem alguns missivistas desta Palavra do Leitor que insistem em não enxergar e acabam passando por situação vexatória. Antes ‘viúvo’ de Lula do que vítima do massacre promovido pelo inútil Bolsonaro e sua incompetente equipe.

João Arcanjo de Lima

São Caetano

Pesos e medidas

Adoraria ver os ditos experts do PT ético e honesto e do Psol, que adoram black blocs, e a anistia internacional falarem ou se posicionarem em relação à prisão após dez anos do deputado Carli Filho no Paraná, que matou dois jovens cheios de vida e detonou suas famílias. Ele, por ser rico e tendo ótimos advogados, ficou dez anos enrolando a Justiça. Não vi ninguém dos citados acima contestar isso. É esse procedimento que tanto adoram?

Maria Simões

Capital

As cartas para esta seção devem ser encaminhadas pelos Correios (Rua Catequese, 562, bairro Jardim, Santo André, CEP 09090-900) ou por e-mail (palavradoleitor@dgabc.com.br). Necessário que sejam indicados nome e endereço completos e telefone para contato. Não serão publicadas ofensas pessoais. Os assuntos devem versar sobre temas abordados pelo jornal. O Diário se reserva o direito de publicar somente trechos dos textos.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;