Fechar
Publicidade

Domingo, 20 de Outubro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Internacional

internacional@dgabc.com.br | 4435-8301

Ernesto Araújo formalizou saída da Unasul, destaca Bolsonaro no Twitter

Alan Santos/PR  Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra


16/04/2019 | 09:22


Após nota do governo brasileiro oficializando a saída do País da União de Nações Sul-Americanas (Unasul), o presidente Jair Bolsonaro anunciou a medida na manhã desta terça-feira (16) por meio de sua conta no Twitter. Bolsonaro também destacou o Fórum para o Progresso da América do Sul (Prosul), previsto em declaração assinada durante a viagem do presidente ao Chile, em março.

"O Ministro das Relações Exteriores, @ernestofaraujo, formalizou saída da União das Nações Sul-Americanas (Unasul) e constituir o Fórum para o Progresso da América do Sul (Prosul). Fazendo parte do novo bloco Argentina, Brasil, Chile, Colômbia, Equador, Guiana, Paraguai e Peru", disse Bolsonaro na rede social.

O chefe do Executivo fez ainda uma menção ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva no comunicado. "Os únicos membros que seguem ativos na Unasul são Uruguai, Guiana, Bolívia, Suriname e Venezuela. A Unasul nasceu em 2008 como um projeto do então presidente da Venezuela, Hugo Chávez, sendo apoiado por Lula", completou Bolsonaro.

O anúncio da saída do Brasil foi feito poucos dias depois de a Argentina e o Uruguai anunciarem que também deixariam a Unasul. A decisão do Brasil foi comunicada oficialmente ao governo do Equador, país depositário do acordo, segundo um comunicado do Ministério das Relações Exteriores.

A proposta pelo Prosul foi assinada pelos presidentes do Brasil, Argentina, Chile, Colômbia, Equador, Paraguai, Peru e um representante do governo da Guiana.

Recentemente, ao comentar sobre a criação do fórum, Bolsonaro afirmou que o Prosul marca o lançamento das bases para um novo espaço de diálogo e integração da América do Sul. "Os principais pilares serão a democracia, a prosperidade e o respeito às soberanias, opostos ao avanço totalitário observado no continente nos últimos anos com a Unasul (União de Nações Sul-Americanas)", disse o presidente em postagem feita em março.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Ernesto Araújo formalizou saída da Unasul, destaca Bolsonaro no Twitter


16/04/2019 | 09:22


Após nota do governo brasileiro oficializando a saída do País da União de Nações Sul-Americanas (Unasul), o presidente Jair Bolsonaro anunciou a medida na manhã desta terça-feira (16) por meio de sua conta no Twitter. Bolsonaro também destacou o Fórum para o Progresso da América do Sul (Prosul), previsto em declaração assinada durante a viagem do presidente ao Chile, em março.

"O Ministro das Relações Exteriores, @ernestofaraujo, formalizou saída da União das Nações Sul-Americanas (Unasul) e constituir o Fórum para o Progresso da América do Sul (Prosul). Fazendo parte do novo bloco Argentina, Brasil, Chile, Colômbia, Equador, Guiana, Paraguai e Peru", disse Bolsonaro na rede social.

O chefe do Executivo fez ainda uma menção ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva no comunicado. "Os únicos membros que seguem ativos na Unasul são Uruguai, Guiana, Bolívia, Suriname e Venezuela. A Unasul nasceu em 2008 como um projeto do então presidente da Venezuela, Hugo Chávez, sendo apoiado por Lula", completou Bolsonaro.

O anúncio da saída do Brasil foi feito poucos dias depois de a Argentina e o Uruguai anunciarem que também deixariam a Unasul. A decisão do Brasil foi comunicada oficialmente ao governo do Equador, país depositário do acordo, segundo um comunicado do Ministério das Relações Exteriores.

A proposta pelo Prosul foi assinada pelos presidentes do Brasil, Argentina, Chile, Colômbia, Equador, Paraguai, Peru e um representante do governo da Guiana.

Recentemente, ao comentar sobre a criação do fórum, Bolsonaro afirmou que o Prosul marca o lançamento das bases para um novo espaço de diálogo e integração da América do Sul. "Os principais pilares serão a democracia, a prosperidade e o respeito às soberanias, opostos ao avanço totalitário observado no continente nos últimos anos com a Unasul (União de Nações Sul-Americanas)", disse o presidente em postagem feita em março.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;