Fechar
Publicidade

Sexta-Feira, 19 de Abril

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

diarinho@dgabc.com.br | 4435-8396

Imersão no mundo dos games

Divulgação Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Clara Tiezzi,atriz e integrante brasileira do elenco do seriado ‘Noobees’


Luís Felipe Soares
Diário do Grande ABC

10/02/2019 | 07:00


Clara Tiezzi não tinha familiaridade com videogames e teve que correr atrás de informações sobre esse universo quando foi escalada para o elenco de Noobees, nova série da Nickelodeon que começou a ser apresentada no canal pago no início do mês, de segunda a sexta-feira, sempre às 19h.

A atriz é a única brasileira entre os participantes do seriado latino-americano e vive Laura, melhor amiga da protagonista Silvia, sendo responsável por diversos momentos engraçados ao longo dos episódios. Nascida em Brasília e atual moradora do Rio de Janeiro, a jovem de 19 anos contou ao Diarinho sua experiência com o programa. “Foram as melhores relações que já criei na carreira. Como todos os atores estavam longe de casa, nos unimos para ajudar um ao outro. Essa ligação passa para o seriado e o torna especial.”

Como ocorreu seu início de carreira? O que o mundo da atuação tem de diferente que lhe chamou a atenção?
Sempre falo que foi a profissão que me escolheu. Comecei de brincadeira, com 4 ou 5 anos, no teatro, que eu fazia para ficar mais calma. Aos 7, fiz meu trabalho na TV e foi nesse momento que a brincadeira virou possibilidade de carreira. Nunca fui cobrada em casa. Não me vejo fazendo outra coisa. Talvez fazer outras coisas dentro da área artística, mas não fora do entretenimento.

De que forma seu caminho cruzou com o desenvolvimento de Noobees?
Havia testes para atores brasileiros que falassem espanhol e tive aulas na escola. Fazer testes é sempre nervoso e a Nickelodeon é algo bem icônico, faz parte da minha infância. Senti uma pressão 500 vezes maior. Foi muito bizarro porque queriam um ator brasileiro e ponto. Não havia descrição específica do personagem. Tinham opções para tudo. Quando passei, foi muita alegria e quase não acreditei. Em duas semanas precisei viajar para Bogotá (capital da Colômbia, onde ocorreram as gravações) para começar a trabalhar. Ficamos seis meses por lá.

O que te chamou mais a atenção no universo da série?
Adorei o projeto desde o começo. Acho bem diferente de tudo que existe e trata de uma maneira mais real essa ideia dos gamers atuais. Foge da questão do nerd que se tranca em casa e não tem vida social. Isso já mudou e existem atletas virtuais com performances que vão além. Também tem integração, trabalho em equipe, passar por desafios. Fora que a série trabalha com a questão dos videogames serem algo para meninas jogadoras também.

Como tem sido sua relação com a Laura, sua personagem no seriado?
A Laura é meu xodozinho. Ela é a responsável pela parte cômica, é melhor amiga da Silvia (personagem principal) e, por conta da parceira, entra no meio desse universo dos games. Também gosta muito de jogar basquete e é muito estabanada, assim como eu na vida real. Somos horríveis. Fiz até aulas de basquete para ter melhor noção do esporte. A Laura tenta ser positiva o tempo todo e leva essa vibe para o pessoal. Foi muito maneiro e, como não tinha algumas coisas específicas para se fazer em certos momentos, tive que improvisar.

Você tem algum tipo de contato com videogames e o mundo dos eSports?
Até eu entrar no seriado não tinha proximidade com esses jogos. Tive que fazer pesquisa grande e tínhamos um treinador que ficava explicando questões sobre o League of Legends o tempo inteiro. O jogo que temos no programa não existe de verdade, mas tivemos que criar toda uma vibe inspirada no LOL. Foi uma imersão incrível nesse mundo e eu amei. Achei sensacional. O pessoal se envolve mesmo e vai além de uma simples paixão. Fomos em eventos profissionais para sentir o clima e é muito legal ver a entrega dos jogadores e do público. 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Imersão no mundo dos games

Clara Tiezzi,atriz e integrante brasileira do elenco do seriado ‘Noobees’

Luís Felipe Soares
Diário do Grande ABC

10/02/2019 | 07:00


Clara Tiezzi não tinha familiaridade com videogames e teve que correr atrás de informações sobre esse universo quando foi escalada para o elenco de Noobees, nova série da Nickelodeon que começou a ser apresentada no canal pago no início do mês, de segunda a sexta-feira, sempre às 19h.

A atriz é a única brasileira entre os participantes do seriado latino-americano e vive Laura, melhor amiga da protagonista Silvia, sendo responsável por diversos momentos engraçados ao longo dos episódios. Nascida em Brasília e atual moradora do Rio de Janeiro, a jovem de 19 anos contou ao Diarinho sua experiência com o programa. “Foram as melhores relações que já criei na carreira. Como todos os atores estavam longe de casa, nos unimos para ajudar um ao outro. Essa ligação passa para o seriado e o torna especial.”

Como ocorreu seu início de carreira? O que o mundo da atuação tem de diferente que lhe chamou a atenção?
Sempre falo que foi a profissão que me escolheu. Comecei de brincadeira, com 4 ou 5 anos, no teatro, que eu fazia para ficar mais calma. Aos 7, fiz meu trabalho na TV e foi nesse momento que a brincadeira virou possibilidade de carreira. Nunca fui cobrada em casa. Não me vejo fazendo outra coisa. Talvez fazer outras coisas dentro da área artística, mas não fora do entretenimento.

De que forma seu caminho cruzou com o desenvolvimento de Noobees?
Havia testes para atores brasileiros que falassem espanhol e tive aulas na escola. Fazer testes é sempre nervoso e a Nickelodeon é algo bem icônico, faz parte da minha infância. Senti uma pressão 500 vezes maior. Foi muito bizarro porque queriam um ator brasileiro e ponto. Não havia descrição específica do personagem. Tinham opções para tudo. Quando passei, foi muita alegria e quase não acreditei. Em duas semanas precisei viajar para Bogotá (capital da Colômbia, onde ocorreram as gravações) para começar a trabalhar. Ficamos seis meses por lá.

O que te chamou mais a atenção no universo da série?
Adorei o projeto desde o começo. Acho bem diferente de tudo que existe e trata de uma maneira mais real essa ideia dos gamers atuais. Foge da questão do nerd que se tranca em casa e não tem vida social. Isso já mudou e existem atletas virtuais com performances que vão além. Também tem integração, trabalho em equipe, passar por desafios. Fora que a série trabalha com a questão dos videogames serem algo para meninas jogadoras também.

Como tem sido sua relação com a Laura, sua personagem no seriado?
A Laura é meu xodozinho. Ela é a responsável pela parte cômica, é melhor amiga da Silvia (personagem principal) e, por conta da parceira, entra no meio desse universo dos games. Também gosta muito de jogar basquete e é muito estabanada, assim como eu na vida real. Somos horríveis. Fiz até aulas de basquete para ter melhor noção do esporte. A Laura tenta ser positiva o tempo todo e leva essa vibe para o pessoal. Foi muito maneiro e, como não tinha algumas coisas específicas para se fazer em certos momentos, tive que improvisar.

Você tem algum tipo de contato com videogames e o mundo dos eSports?
Até eu entrar no seriado não tinha proximidade com esses jogos. Tive que fazer pesquisa grande e tínhamos um treinador que ficava explicando questões sobre o League of Legends o tempo inteiro. O jogo que temos no programa não existe de verdade, mas tivemos que criar toda uma vibe inspirada no LOL. Foi uma imersão incrível nesse mundo e eu amei. Achei sensacional. O pessoal se envolve mesmo e vai além de uma simples paixão. Fomos em eventos profissionais para sentir o clima e é muito legal ver a entrega dos jogadores e do público. 

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;