Fechar
Publicidade

Domingo, 24 de Março

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

|

Violação de intimidade


Do Diário do Grande ABC

05/01/2019 | 11:13


A volta às aulas será estimulante por causa da polarização do Escola Sem Partido e as linhas de atuação de um Ministério da Educação com viés partidário diferente da era Lula, recortes da agenda que interessa a Brasília e à mídia. Onde sobrevivem educadores e gestores de escolas públicas e privadas, a realidade é distinta. Com escassez de recursos e orientação, boas intenções e atitudes pedagógicas dispersas têm se mostrado ineficientes para temas sensíveis, como os casos que envolvem estudantes em nudes. A experiência judicial demonstra que tais situações, muitas vezes, envolvem o bullying e a pornografia de vingança, na maioria dos casos contra a figura feminina, enquadrando os fatos na Lei Maria da Penha. Infelizmente, os casos têm potencial de destruir relações humanas, separar comunidades, colocar a todos sob o julgo da lei. 

A preocupação é relevante é ato ilícito a divulgação em sites, aplicativos e redes sociais imagens com cenas de intimidade, nudez, sexo a dois ou grupal, com o único objetivo de colocar a pessoa em situação vexatória e constrangedora diante da sociedade, escola, parentes e amigos. Essa forma torpe de violência é uma das principais causas de bullying e cyberbullying nas escolas brasileiras, independentemente de credos, classe social, condição econômica. As escolas precisam agir mais e melhor agora. A disseminação de informações é essencial para se reforçar a função dos pais na orientação das crianças, do apoio aos profissionais das escolas para lidar com esses temas (inclusive capacitando-os para agir dentro de seus próprios lares) e, sobretudo, ter plena consciência do dado que deve basear todas as ações, mesmo entre estudantes adultos.

No Brasil, 24,7 milhões de crianças portam celulares para acessar a internet, projeta pesquisa do Cetic.br (Centro Regional de Estudos para o Desenvolvimento da Sociedade da Informação). Essa informação pode, de um lado, suscitar inúmeras ações de bom uso dos dispositivos e aplicativos, acompanhado de discurso sobre seu papel na Educação e no fortalecimento das relações sociais. No front da sala de aula, a pegada vai além. Por inúmeras razões que não cabem neste espaço, o que se ressalta é o mau uso. Jovens que não se desconectam, com uso abusivo e viciado, incapazes de foco nos estudos, torturados por ansiedades além do normal, desatendidos por pais, necessitados, no fundo, que se importem por eles com eles.

Na Educação Fundamental e Ensino Médio formamos e deformamos crianças e adolescentes – é importante que a escola se posicione a favor dos alunos e da lei, sob pena de responsabilização civil da instituição de ensino e criminal dos administradores escolares.

Ana Paula Siqueira Lazzareschi de Mesquita é sócia do escritório SLM Advogados e coordenadora do programa jurídico educacional Proteja-se contra prejuízos do Cyberbullying.

Palavra do leitor

Muda, Brasil!

 O presidente Bolsonaro, com seus ministros e aliados, tem pela frente grande desafio e a confiança da população nele depositada. E, como ele mesmo afirmou, esta foi nossa última oportunidade de passarmos o País a limpo, livrando-nos dessa corja, que, desde a saída dos militares – a quem tanto criticam –, sistematicamente esqueceram-se do Brasil, defendendo seus próprios interesses, ignorando milhões de brasileiros, que, explorados, cansados de tanta roubalheira e canalhice, agora nas urnas deram sua resposta. Fora, cambada! Todavia, apenas combater a corrupção e a violência não basta. É imoral e injusto pagarmos tão altos salários, gordas aposentadorias e inúmeros privilégios ao poder público, quando nos faltam hospitais, escolas, transportes, saneamento básico etc. E tudo com Segurança zero. É claro que políticos e ministros do Supremo decidindo seus próprios salários e reajustes elogiem a Constituição Cidadã de 1988 (bonito nome!), enquanto nós, cidadãos comuns, eternos pagadores de impostos, que nada temos, ficamos com as obrigações. E eles só com as vantagens. 

Nilson Martins Altran

São Caetano

Azul ou rosa?

 Todo casal, ao esperar um filho, decora o quarto de azul ou rosa, de acordo com a criança esperada. Por mais que queiram achar normal a homossexualidade, a maioria sabe que a preferência sexual só se manifestará muito mais tarde. Então, é muito triste ver a mídia pegar no pé da ministra Damares por afirmar que ‘menino veste azul e menina, rosa’ (Política, ontem). Como não têm o que falar dos outros ministros escolhidos por seu perfil técnico, pegaram no pé da ministra dos Direitos Humanos desde sua nomeação. A mais simples, de origem humilde, tendo sofrido abuso sexual desde os 6 anos de idade, foi a escolhida pela grande mídia para ser enforcada. Onde foi parar a seriedade do jornalismo brasileiro, já que temos tantos problemas graves a enfrentar? O único problema do Brasil é azul e rosa para merecer tantos comentários? 

Beatriz Campos

Capital

Troco tucano?

 Alberto Goldman, tucano que já foi filiado ao PCB, está juntando forças com Geraldo Alckmin para tentar impedir que João Doria tome o controle da executiva do PSDB na convenção de maio. Tudo porque Doria fez severas críticas ao PSDB, que, no meu entender, está mesmo estertorando! Geraldo pretende, na convenção, se posicionar como candidato ao governo paulista em 2022, e isso não me parece boa estratégia, sabendo que muito antes disso Alckmin terá que se ver com o Ministério Público, que o acusa de ter recebido suposto caixa dois em campanha de 2014 e também por suposto favorecimento de familiares na construção de rodovia em São Roque, Interior de São Paulo. Segundo se noticiou, duas desapropriações, em 2013 e 2014, incorporaram propriedades de Othon Cesar Ribeiro, sobrinho de Alckmin, que teria recebido cerca de R$ 3,8 milhões em indenizações. Portanto, antes de se candidatar a algo terá que se explicar à Justiça. Tudo isso sem contar que Geraldo Alckmin saiu politicamente desidratado nesta última eleição como nunca antes, vale dizer! 

Mara Montezuma Assaf

Capital

Dias sombrios 

 Pelo jeito, a tônica do governo do ‘Bozo’ vai ser ministro falando uma coisa e o presidente desmentindo. E vice-versa. Parabéns aos que votaram no fascista.

Maria Aparecida Flores

 Rio Grande da Serra

Casa Amarela 

 Eu, morador de Santo André, venho, no sentido de ajudar nossa cidade e o prefeito Paulo Serra, alertar que está cada vez pior o Centro, próximo ao Terminal Oeste, em frente à estação da CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos) e arredores, com invasão de mendigos, jovens sujos, drogados e bêbados. Em frente à Casa Amarela está um absurdo, cheio de carrinhos de supermercados repletos de tudo. Essas pessoas ficam dentro do terminal, dormem nos bancos e até fazem necessidades no local. Relaxo total. Prefeito, tudo isso por causa da Casa Amarela. Mude esse estabelecimento para outro bairro que tudo fica melhor. Cada dia aparece mais, que vem de outras cidades. Também há muitos camelôs, o que dificulta a passagem de pedestres. Sei que essas pessoas precisam de ajuda, mas cabe à assistência social resolver isso.

Maurício Goduto

 Santo André



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Violação de intimidade

Do Diário do Grande ABC

05/01/2019 | 11:13


A volta às aulas será estimulante por causa da polarização do Escola Sem Partido e as linhas de atuação de um Ministério da Educação com viés partidário diferente da era Lula, recortes da agenda que interessa a Brasília e à mídia. Onde sobrevivem educadores e gestores de escolas públicas e privadas, a realidade é distinta. Com escassez de recursos e orientação, boas intenções e atitudes pedagógicas dispersas têm se mostrado ineficientes para temas sensíveis, como os casos que envolvem estudantes em nudes. A experiência judicial demonstra que tais situações, muitas vezes, envolvem o bullying e a pornografia de vingança, na maioria dos casos contra a figura feminina, enquadrando os fatos na Lei Maria da Penha. Infelizmente, os casos têm potencial de destruir relações humanas, separar comunidades, colocar a todos sob o julgo da lei. 

A preocupação é relevante é ato ilícito a divulgação em sites, aplicativos e redes sociais imagens com cenas de intimidade, nudez, sexo a dois ou grupal, com o único objetivo de colocar a pessoa em situação vexatória e constrangedora diante da sociedade, escola, parentes e amigos. Essa forma torpe de violência é uma das principais causas de bullying e cyberbullying nas escolas brasileiras, independentemente de credos, classe social, condição econômica. As escolas precisam agir mais e melhor agora. A disseminação de informações é essencial para se reforçar a função dos pais na orientação das crianças, do apoio aos profissionais das escolas para lidar com esses temas (inclusive capacitando-os para agir dentro de seus próprios lares) e, sobretudo, ter plena consciência do dado que deve basear todas as ações, mesmo entre estudantes adultos.

No Brasil, 24,7 milhões de crianças portam celulares para acessar a internet, projeta pesquisa do Cetic.br (Centro Regional de Estudos para o Desenvolvimento da Sociedade da Informação). Essa informação pode, de um lado, suscitar inúmeras ações de bom uso dos dispositivos e aplicativos, acompanhado de discurso sobre seu papel na Educação e no fortalecimento das relações sociais. No front da sala de aula, a pegada vai além. Por inúmeras razões que não cabem neste espaço, o que se ressalta é o mau uso. Jovens que não se desconectam, com uso abusivo e viciado, incapazes de foco nos estudos, torturados por ansiedades além do normal, desatendidos por pais, necessitados, no fundo, que se importem por eles com eles.

Na Educação Fundamental e Ensino Médio formamos e deformamos crianças e adolescentes – é importante que a escola se posicione a favor dos alunos e da lei, sob pena de responsabilização civil da instituição de ensino e criminal dos administradores escolares.

Ana Paula Siqueira Lazzareschi de Mesquita é sócia do escritório SLM Advogados e coordenadora do programa jurídico educacional Proteja-se contra prejuízos do Cyberbullying.

Palavra do leitor

Muda, Brasil!

 O presidente Bolsonaro, com seus ministros e aliados, tem pela frente grande desafio e a confiança da população nele depositada. E, como ele mesmo afirmou, esta foi nossa última oportunidade de passarmos o País a limpo, livrando-nos dessa corja, que, desde a saída dos militares – a quem tanto criticam –, sistematicamente esqueceram-se do Brasil, defendendo seus próprios interesses, ignorando milhões de brasileiros, que, explorados, cansados de tanta roubalheira e canalhice, agora nas urnas deram sua resposta. Fora, cambada! Todavia, apenas combater a corrupção e a violência não basta. É imoral e injusto pagarmos tão altos salários, gordas aposentadorias e inúmeros privilégios ao poder público, quando nos faltam hospitais, escolas, transportes, saneamento básico etc. E tudo com Segurança zero. É claro que políticos e ministros do Supremo decidindo seus próprios salários e reajustes elogiem a Constituição Cidadã de 1988 (bonito nome!), enquanto nós, cidadãos comuns, eternos pagadores de impostos, que nada temos, ficamos com as obrigações. E eles só com as vantagens. 

Nilson Martins Altran

São Caetano

Azul ou rosa?

 Todo casal, ao esperar um filho, decora o quarto de azul ou rosa, de acordo com a criança esperada. Por mais que queiram achar normal a homossexualidade, a maioria sabe que a preferência sexual só se manifestará muito mais tarde. Então, é muito triste ver a mídia pegar no pé da ministra Damares por afirmar que ‘menino veste azul e menina, rosa’ (Política, ontem). Como não têm o que falar dos outros ministros escolhidos por seu perfil técnico, pegaram no pé da ministra dos Direitos Humanos desde sua nomeação. A mais simples, de origem humilde, tendo sofrido abuso sexual desde os 6 anos de idade, foi a escolhida pela grande mídia para ser enforcada. Onde foi parar a seriedade do jornalismo brasileiro, já que temos tantos problemas graves a enfrentar? O único problema do Brasil é azul e rosa para merecer tantos comentários? 

Beatriz Campos

Capital

Troco tucano?

 Alberto Goldman, tucano que já foi filiado ao PCB, está juntando forças com Geraldo Alckmin para tentar impedir que João Doria tome o controle da executiva do PSDB na convenção de maio. Tudo porque Doria fez severas críticas ao PSDB, que, no meu entender, está mesmo estertorando! Geraldo pretende, na convenção, se posicionar como candidato ao governo paulista em 2022, e isso não me parece boa estratégia, sabendo que muito antes disso Alckmin terá que se ver com o Ministério Público, que o acusa de ter recebido suposto caixa dois em campanha de 2014 e também por suposto favorecimento de familiares na construção de rodovia em São Roque, Interior de São Paulo. Segundo se noticiou, duas desapropriações, em 2013 e 2014, incorporaram propriedades de Othon Cesar Ribeiro, sobrinho de Alckmin, que teria recebido cerca de R$ 3,8 milhões em indenizações. Portanto, antes de se candidatar a algo terá que se explicar à Justiça. Tudo isso sem contar que Geraldo Alckmin saiu politicamente desidratado nesta última eleição como nunca antes, vale dizer! 

Mara Montezuma Assaf

Capital

Dias sombrios 

 Pelo jeito, a tônica do governo do ‘Bozo’ vai ser ministro falando uma coisa e o presidente desmentindo. E vice-versa. Parabéns aos que votaram no fascista.

Maria Aparecida Flores

 Rio Grande da Serra

Casa Amarela 

 Eu, morador de Santo André, venho, no sentido de ajudar nossa cidade e o prefeito Paulo Serra, alertar que está cada vez pior o Centro, próximo ao Terminal Oeste, em frente à estação da CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitanos) e arredores, com invasão de mendigos, jovens sujos, drogados e bêbados. Em frente à Casa Amarela está um absurdo, cheio de carrinhos de supermercados repletos de tudo. Essas pessoas ficam dentro do terminal, dormem nos bancos e até fazem necessidades no local. Relaxo total. Prefeito, tudo isso por causa da Casa Amarela. Mude esse estabelecimento para outro bairro que tudo fica melhor. Cada dia aparece mais, que vem de outras cidades. Também há muitos camelôs, o que dificulta a passagem de pedestres. Sei que essas pessoas precisam de ajuda, mas cabe à assistência social resolver isso.

Maurício Goduto

 Santo André

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;