Fechar
Publicidade

Sexta-Feira, 3 de Dezembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

esportes@dgabc.com.br | 4435-8384

Brasil revive 'pesadelo' em Paris e perde para Camarões


Fernão Silveira
Do Diário OnLine

19/06/2003 | 19:15


O estádio de Saint-Denis e a equipe de Camarões estão virando 'tabu' para o Brasil. A Seleção teve uma estréia pífia na Copa das Confederações/2003 e perdeu por 1 a 0 para os 'Leões' africanos, nesta quinta-feira, em Paris, pela primeira rodada do Grupo B. O gol da vitória de Camarões foi marcado por Samuel Eto'o (37 do 2º tempo). Além do vexame em campo, a Seleção amarga o último lugar da chave.

A derrota complicou a situação do Brasil na Copa das Confederações, pois apenas os dois primeiros colocados do grupo se classificam para a semifinal. Turquia e Camarões somam três pontos (os europeus estão na frente por terem marcado dois gols), enquanto Brasil e EUA não pontuaram (a Seleção está em 4º lugar porque não marcou gol). A próxima rodada do Grupo B ocorre sábado (21), com Turquia x Camarões (14h, em Saint-Denis) e Brasil x EUA (16h, em Lyon). "A situação está muito bem definida. Temos de vencer os dois próximos jogos para pensar em chegar na semifinal", afirmou o técnico Carlos Alberto Parreira.

Depois de conseguir a primeira vitória na atual 'era Parreira', há exatos sete dias (3 x 0 contra a Nigéria, em amistoso), a Seleção Brasileira regrediu e não foi nem sombra da equipe aplaudida pelo público africano em Abuja. Penso para o lado esquerdo e sem opções de jogadas pela direita, o Brasil foi presa fácil para a marcação da equipe de Camarões, comandada pelo alemão Winfried Schaefer. Os africanos dominaram todo o segundo tempo e chegaram ao merecido gol da vitória numa falha de posicionamento da defesa brasileira, que foi pega de surpresa num veloz contra-ataque.

O trio canhoto Kléber-Ricardinho-Gil, menina dos olhos de Parreira, simplesmente desapareceu na marcação dos africanos. O atacante Adriano, outro que teve atuação destacada no amistoso contra a Nigéria, também foi facilmente anulado. Parreira demorou a mexer no time e, quando o fez, não teve sucesso. Ilan substituiu Adriano e nada fez. Adriano Sousa substituiu Kléberson e nada acrescentou. O único destaque brasileiro foi Dida, que promoveu importantes defesas e impediu uma derrota ainda mais vexatória.

O primeiro tempo foi sonolento. A primeira boa chance surgiu aos 18 minutos, quando Lúcio desceu ao ataque e serviu Adriano, que chutou forte em cima do goleiro Kameni. O troco camaronês saiu aos 32. Numa bola perdida por Belleti no meio, Idrissou desceu ao ataque e cruzou na medida para Eto'o. Livre, o camisa 9 cabeceou e Dida fez boa defesa. Dez minutos mais tarde, Ndoumbe recebeu de Geremi pela direita e cruzou na área. Marcado por dois brasileiros, Foe tentou a bicicleta e furou. Mas a bola sobrou limpa para Idrissou, que tentou pegar de primeira e acabou recuando para Dida. A última grande chance do Brasil na partida surgiu nos descontos, aos 46. Ronaldinho Gaúcho fez fila na defesa camaronesa e chutou prensado no canto esquerdo, mas Kameni desviou para escanteio.

A fase final foi ainda pior para o Brasil. Sem conseguir sair da marcação africana, a Seleção ficou perdida no meio-campo e praticamente não ameaçou o goleiro Kameni. Dominante na partida, Camarões começou a se soltar mais e criou boas oportunidades para abrir o placar. A primeira delas foi aos 16 minutos, quando Idrissou aproveitou a bobeada da zaga brasileira e finalizou em cima de Dida. Aos 27, o goleiro brasileiro voltou a trabalhar e impediu o gol de Job, que disparou em contragolpe após uma bola perdida por Ilan no meio.

Dez minutos mais tarde, os africanos fizeram o gol da vitória. Dida cobrou tiro de meta, um defensor de Camarões afastou a bola de cabeça no meio-campo e ainda lançou Eto'o para o contragolpe. O camisa 9 ganhou de Lúcio na corrida e acertou um petardo da intermediária. Dida, adiantado, não conseguiu desviar. 1 a 0 Camarões, aos 37.

O árbitro russo Valentin Ivanov até tentou ajudar o Brasil, dando cinco minutos de desconto, mas a Seleção não conseguiu desfazer o vexame. O único chute a gol do Brasil na fase final só saiu aos 46, com Belleti. Vaiado pelo público que compareceu ao Stade de France, o time do Brasil assistiu à festa africana em Paris.



Quer receber em primeira mão as notícias das sete cidades do Grande ABC?

Entre no nosso grupo de WhatsApp. 
Clique aqui.
 

Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;