Fechar
Publicidade

Sábado, 19 de Outubro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Setecidades

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

Reforma no Carlos Gomes fica para a próxima gestão

Nario Barbosa/DGABC Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Segundo secretário de Cultura, crise afetou captação de recursos da iniciativa privada


Natália Scarabotto
Especial para o Diário

04/07/2016 | 07:00


Promessa de campanha do prefeito Carlos Grana (PT), o projeto de reforma do Cine Teatro Carlos Gomes, na região central de Santo André, permanece no papel. A reabertura do local estava prevista para este ano, mas o processo ainda está em fase de captação de recursos.

A proposta de reformar e modernizar o prédio foi feita em 2013 e logo inscrita na Lei Rouanet (8.313/1991), que incentiva o investimento em projetos culturais. Na época, a Prefeitura deu previsão para que as obras fossem concluídas até junho de 2016. Entretanto, a aprovação na Lei Rouanet só saiu em janeiro deste ano. “Diante das circunstâncias nas quais pegamos o espaço e a situação do município (no começo da gestão), optamos por utilizar o caminho do investimento privado para não necessitar de recursos municipais. Acabou demorando mais do que imaginávamos”, afirma o secretário de Cultura do município, Tiago Nogueira (PT).

Ainda de acordo com ele, mesmo com a aprovação pela Lei Rouanet, a situação política e econômica atual do País são barreiras. “Muitas empresas que contatamos, não toparam o investimento. A crise afeta diretamente porque, por exemplo, não há clima para pedir recursos das empresas estatais”, diz.

A alternativa que está sendo estudada é fazer o projeto em partes, com recursos financeiros do FID (Fundo de Interesses Difusos), do Ministério da Justiça e do Proac (Programa Ação Cultural), do governo estadual. O investimento total está estimado em R$ 10 milhões.

O prédio está fechado desde 2008, quando foi interditado pela Defesa Civil por problemas estruturais. De acordo com o secretário, a única obra feita no cine teatro foi emergencial (no valor de R$ 432 mil). “Mexeram no prédio antes e causaram vários problemas. Estava com risco de desabar e, para evitar isso, arrumamos o que era necessário: acabamos com infiltrações e escoramentos e reconstruímos o telhado”, diz. Tais danos foram causados por obra incompleta feita pelo ex-prefeito Aidan Ravin (PSB).

MOVIMENTO

O Cine Teatro Carlos Gomes sempre foi importante referência cultural para Santo André e seus habitantes, que buscaram se envolver em assuntos ligados ao local. Em 2013, a população apresentou e discutiu propostas sobre a reforma em audiência. Depois, o projeto final seria levado ao público, o que não chegou a acontecer.

A arquiteta e professora adjunta da UFABC (Universidade Federal do ABC) especialista em Planejamento Urbano e Regional Silvia Helena Passarelli foi uma das participantes do movimento. “Depois daquela reunião, nunca mais entraram em contato com a gente. Entendo que a reforma demora e agora estão captando recursos, mas falta transparência.”

Silvia também participou do Movimento SOS Carlos Gomes, que organizou diversos protestos, no ano anterior, para impedir as reformas do ex-prefeito Aidan Ravin (PSB), que não tinha a aprovação do Comdephaapasa (Conselho Municipal de Defesa do Patrimônio Histórico, Artístico, Arquitetônico-Urbanístico e Paisagístico de Santo André). A autorização é necessária porque, desde 1992, a estrela símbolo da fachada e o telhado são tombados.

PROJETO

O projeto atual visa transformar o local em arena multicultural moderna, com capacidade para 600 pessoas e acessibilidade. O telhado, as paredes laterais e o arco da fachada serão mantidos na forma original. Já a parte interna será equipada com cadeiras retráteis, que poderão ser recolhidas para receber diferentes tipos de eventos.

“Vamos transformar o Cine Teatro Carlos Gomes em um dos mais modernos do Brasil. Depois de tantos anos fechado, o lugar merece isso. Quando estiver pronto, vai ser um programa para as famílias de Santo André, referência de cultura na cidade”, garante Tiago Nogueira. 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Reforma no Carlos Gomes fica para a próxima gestão

Segundo secretário de Cultura, crise afetou captação de recursos da iniciativa privada

Natália Scarabotto
Especial para o Diário

04/07/2016 | 07:00


Promessa de campanha do prefeito Carlos Grana (PT), o projeto de reforma do Cine Teatro Carlos Gomes, na região central de Santo André, permanece no papel. A reabertura do local estava prevista para este ano, mas o processo ainda está em fase de captação de recursos.

A proposta de reformar e modernizar o prédio foi feita em 2013 e logo inscrita na Lei Rouanet (8.313/1991), que incentiva o investimento em projetos culturais. Na época, a Prefeitura deu previsão para que as obras fossem concluídas até junho de 2016. Entretanto, a aprovação na Lei Rouanet só saiu em janeiro deste ano. “Diante das circunstâncias nas quais pegamos o espaço e a situação do município (no começo da gestão), optamos por utilizar o caminho do investimento privado para não necessitar de recursos municipais. Acabou demorando mais do que imaginávamos”, afirma o secretário de Cultura do município, Tiago Nogueira (PT).

Ainda de acordo com ele, mesmo com a aprovação pela Lei Rouanet, a situação política e econômica atual do País são barreiras. “Muitas empresas que contatamos, não toparam o investimento. A crise afeta diretamente porque, por exemplo, não há clima para pedir recursos das empresas estatais”, diz.

A alternativa que está sendo estudada é fazer o projeto em partes, com recursos financeiros do FID (Fundo de Interesses Difusos), do Ministério da Justiça e do Proac (Programa Ação Cultural), do governo estadual. O investimento total está estimado em R$ 10 milhões.

O prédio está fechado desde 2008, quando foi interditado pela Defesa Civil por problemas estruturais. De acordo com o secretário, a única obra feita no cine teatro foi emergencial (no valor de R$ 432 mil). “Mexeram no prédio antes e causaram vários problemas. Estava com risco de desabar e, para evitar isso, arrumamos o que era necessário: acabamos com infiltrações e escoramentos e reconstruímos o telhado”, diz. Tais danos foram causados por obra incompleta feita pelo ex-prefeito Aidan Ravin (PSB).

MOVIMENTO

O Cine Teatro Carlos Gomes sempre foi importante referência cultural para Santo André e seus habitantes, que buscaram se envolver em assuntos ligados ao local. Em 2013, a população apresentou e discutiu propostas sobre a reforma em audiência. Depois, o projeto final seria levado ao público, o que não chegou a acontecer.

A arquiteta e professora adjunta da UFABC (Universidade Federal do ABC) especialista em Planejamento Urbano e Regional Silvia Helena Passarelli foi uma das participantes do movimento. “Depois daquela reunião, nunca mais entraram em contato com a gente. Entendo que a reforma demora e agora estão captando recursos, mas falta transparência.”

Silvia também participou do Movimento SOS Carlos Gomes, que organizou diversos protestos, no ano anterior, para impedir as reformas do ex-prefeito Aidan Ravin (PSB), que não tinha a aprovação do Comdephaapasa (Conselho Municipal de Defesa do Patrimônio Histórico, Artístico, Arquitetônico-Urbanístico e Paisagístico de Santo André). A autorização é necessária porque, desde 1992, a estrela símbolo da fachada e o telhado são tombados.

PROJETO

O projeto atual visa transformar o local em arena multicultural moderna, com capacidade para 600 pessoas e acessibilidade. O telhado, as paredes laterais e o arco da fachada serão mantidos na forma original. Já a parte interna será equipada com cadeiras retráteis, que poderão ser recolhidas para receber diferentes tipos de eventos.

“Vamos transformar o Cine Teatro Carlos Gomes em um dos mais modernos do Brasil. Depois de tantos anos fechado, o lugar merece isso. Quando estiver pronto, vai ser um programa para as famílias de Santo André, referência de cultura na cidade”, garante Tiago Nogueira. 

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;