Fechar
Publicidade

Domingo, 15 de Dezembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Esportes

esportes@dgabc.com.br | 4435-8384

Estrelas nacionais, Rebeca Gusmão e Êga reforçam S.Caetano em 2006


Kati Dias
Do Diário do Grande ABC

11/03/2006 | 08:42


São Caetano apresentou sexta-feira oficialmente dois novos reforços para os Jogos Regionais e Abertos de 2006: a nadadora Rebeca Gusmão e a pivô Êga, que jogará no time de basquete feminino Limpol/ São Caetano. Apesar de defenderem esportes distintos, Rebeca e Êga aceitaram representar a cidade por causa da estrutura oferecida a cada uma das modalidades. "Cheguei aqui para poder somar forças com as promessas do Serc/ São Caetano", declarou Rebeca, uma das principais revelações brasileiras. A atleta desembarcou em São Caetano após conquistar quatro ouros no Sul-Americano de Desportos Aquáticos, na Colômbia. Rebeca ainda obteve duas medalhas de ouro na etapa brasileira da Supercopa do Mundo de Natação, disputada em fevereiro, em Belo Horizonte (MG).

A pivô Êga também tem um currículo respeitável. Além de defender a seleção, a jogadora é bicampeã paulista e brasileira. Conquistou os primeiros títulos com a finada equipe de Americana, que encerrou suas atividades no início de 2005, e depois com a imbatível Ourinhos. "Troquei a Europa por São Caetano porque quero fazer um investimento em minha carreira. Terá um Mundial de Basquete Feminino no Brasil e eu quero estar entre as relacionadas. Outro fator que contou foi o fato de trabalhar com o Borracha (Norberto Silva, técnico do Limpol/ São Caetano), que também é auxiliar-técnico da seleção", declarou a atleta.

Êga recebeu diversas propostas para deixar o país, mas a pivô declinou dos convites porque queria estar inteira para os treinamentos da seleção. "Os playoffs da Liga Européia acontecem em meados de maio e junho, por isso, seria complicado estar 100% para a preparação do Mundial", declarou Êga.

Para a atleta, o basquete brasileiro irá recuperar a sua dignidade com a competição. "Tenho certeza que os patrocinadores olharão com mais carinho para o esporte", completou Êga.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Estrelas nacionais, Rebeca Gusmão e Êga reforçam S.Caetano em 2006

Kati Dias
Do Diário do Grande ABC

11/03/2006 | 08:42


São Caetano apresentou sexta-feira oficialmente dois novos reforços para os Jogos Regionais e Abertos de 2006: a nadadora Rebeca Gusmão e a pivô Êga, que jogará no time de basquete feminino Limpol/ São Caetano. Apesar de defenderem esportes distintos, Rebeca e Êga aceitaram representar a cidade por causa da estrutura oferecida a cada uma das modalidades. "Cheguei aqui para poder somar forças com as promessas do Serc/ São Caetano", declarou Rebeca, uma das principais revelações brasileiras. A atleta desembarcou em São Caetano após conquistar quatro ouros no Sul-Americano de Desportos Aquáticos, na Colômbia. Rebeca ainda obteve duas medalhas de ouro na etapa brasileira da Supercopa do Mundo de Natação, disputada em fevereiro, em Belo Horizonte (MG).

A pivô Êga também tem um currículo respeitável. Além de defender a seleção, a jogadora é bicampeã paulista e brasileira. Conquistou os primeiros títulos com a finada equipe de Americana, que encerrou suas atividades no início de 2005, e depois com a imbatível Ourinhos. "Troquei a Europa por São Caetano porque quero fazer um investimento em minha carreira. Terá um Mundial de Basquete Feminino no Brasil e eu quero estar entre as relacionadas. Outro fator que contou foi o fato de trabalhar com o Borracha (Norberto Silva, técnico do Limpol/ São Caetano), que também é auxiliar-técnico da seleção", declarou a atleta.

Êga recebeu diversas propostas para deixar o país, mas a pivô declinou dos convites porque queria estar inteira para os treinamentos da seleção. "Os playoffs da Liga Européia acontecem em meados de maio e junho, por isso, seria complicado estar 100% para a preparação do Mundial", declarou Êga.

Para a atleta, o basquete brasileiro irá recuperar a sua dignidade com a competição. "Tenho certeza que os patrocinadores olharão com mais carinho para o esporte", completou Êga.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;