Fechar
Publicidade

Domingo, 16 de Maio

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Nacional

nacional@dgabc.com.br | 4435-8301

Vacinação oficial de cães deve ficar para o fim do ano



17/08/2011 | 10:00


O mês de agosto entrou na segunda quinzena sem que haja uma data marcada para a vacinação antirrábica pública. Depois dos episódios de reações adversas de animais que tomaram a vacina no ano passado, o Ministério da Saúde decidiu mexer no cronograma deste ano, para que análises mais completas sejam feitas antes da distribuição das doses.

Por causa do trauma de 2010 e do medo de esperar demais, os donos de cães e gatos têm se antecipado e procurado hospitais veterinários ou pet shops para vacinar os bichos. E o preço pode chegar a R$ 50. Inicialmente, a previsão era de que a remessa de doses chegasse aos postos públicos em setembro, mas o ministério já admite que a vacinação pode ocorrer somente no fim do ano.

Em 2010, a campanha chegou a ser suspensa depois de mais de 2 mil registros de reações adversas em cães e gatos que haviam sido imunizados. Em nota, o ministério afirma que a pasta ?definiu com o laboratório responsável pelo fornecimento da vacina antirrábica para cães e gatos - o Tecpar - a realização de novas análises laboratoriais desta vacina. Esses novos testes provocaram atrasos em relação ao cronograma de entrega?.

O atraso não é visto com preocupação pelas autoridades de São Paulo, porque o Estado não apresenta casos de raiva humana transmitida por cães desde janeiro de 1997 e casos de transmissão de cachorro para cachorro desde 1998. ?O que norteia a política de vacinação é o risco epidemiológico e, hoje, o risco de uma epidemia de raiva é mínimo?, diz Enrico Lippi Ortolani, professor titular da Faculdade de Veterinária da USP.

O Ministério da Saúde escolheu como prioritários na vacinação 11 Estados - Maranhão, Ceará, Pernambuco, Pará, Piauí, Rio Grande do Norte, Paraíba, Bahia, Alagoas, Sergipe e Mato Grosso do Sul - onde houve casos de raiva nos últimos três anos. São Paulo está incluído na fase seguinte, com os demais Estados. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

AE



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Vacinação oficial de cães deve ficar para o fim do ano


17/08/2011 | 10:00


O mês de agosto entrou na segunda quinzena sem que haja uma data marcada para a vacinação antirrábica pública. Depois dos episódios de reações adversas de animais que tomaram a vacina no ano passado, o Ministério da Saúde decidiu mexer no cronograma deste ano, para que análises mais completas sejam feitas antes da distribuição das doses.

Por causa do trauma de 2010 e do medo de esperar demais, os donos de cães e gatos têm se antecipado e procurado hospitais veterinários ou pet shops para vacinar os bichos. E o preço pode chegar a R$ 50. Inicialmente, a previsão era de que a remessa de doses chegasse aos postos públicos em setembro, mas o ministério já admite que a vacinação pode ocorrer somente no fim do ano.

Em 2010, a campanha chegou a ser suspensa depois de mais de 2 mil registros de reações adversas em cães e gatos que haviam sido imunizados. Em nota, o ministério afirma que a pasta ?definiu com o laboratório responsável pelo fornecimento da vacina antirrábica para cães e gatos - o Tecpar - a realização de novas análises laboratoriais desta vacina. Esses novos testes provocaram atrasos em relação ao cronograma de entrega?.

O atraso não é visto com preocupação pelas autoridades de São Paulo, porque o Estado não apresenta casos de raiva humana transmitida por cães desde janeiro de 1997 e casos de transmissão de cachorro para cachorro desde 1998. ?O que norteia a política de vacinação é o risco epidemiológico e, hoje, o risco de uma epidemia de raiva é mínimo?, diz Enrico Lippi Ortolani, professor titular da Faculdade de Veterinária da USP.

O Ministério da Saúde escolheu como prioritários na vacinação 11 Estados - Maranhão, Ceará, Pernambuco, Pará, Piauí, Rio Grande do Norte, Paraíba, Bahia, Alagoas, Sergipe e Mato Grosso do Sul - onde houve casos de raiva nos últimos três anos. São Paulo está incluído na fase seguinte, com os demais Estados. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

AE

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;