Fechar
Publicidade

Sexta-Feira, 24 de Janeiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Economia

soraiapedrozo@dgabc.com.br | 4435-8057

Redução de estímulos do Fed pode afetar China



05/09/2013 | 05:18


A possível redução de estímulos à economia dos Estados Unidos pelo Federal Reserve (Fed, o banco central dos EUA) pode afetar os planos do governo chinês de acelerar o desmantelamento dos controles de capitais, afirmou Sheng Songcheng , chefe do departamento central de estatísticas do Banco do Povo da China (PBoC, o banco central do país).

Sheng também disse que a valorização do yuan deve ser de longo prazo, em função das perspectivas econômicas favoráveis da China e de seu contínuo superávit em conta corrente. As declarações foram publicadas por meio de um ensaio publicado em todos os principais jornais do país.

O funcionário do PBoC afirmou que os fluxos globais de capital podem ser afetados pela redução do programa de compra de ativos promovido pelo Fed para impulsionar a economia norte-americana. Mas acredita que o impacto seja de curto prazo.

"Nós não devemos mudar a nossa estratégia de desenvolvimento a longo prazo por causa da volatilidade do mercado financeiro internacional a curto prazo", afirmou Sheng. Fonte: Market News International.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Redução de estímulos do Fed pode afetar China


05/09/2013 | 05:18


A possível redução de estímulos à economia dos Estados Unidos pelo Federal Reserve (Fed, o banco central dos EUA) pode afetar os planos do governo chinês de acelerar o desmantelamento dos controles de capitais, afirmou Sheng Songcheng , chefe do departamento central de estatísticas do Banco do Povo da China (PBoC, o banco central do país).

Sheng também disse que a valorização do yuan deve ser de longo prazo, em função das perspectivas econômicas favoráveis da China e de seu contínuo superávit em conta corrente. As declarações foram publicadas por meio de um ensaio publicado em todos os principais jornais do país.

O funcionário do PBoC afirmou que os fluxos globais de capital podem ser afetados pela redução do programa de compra de ativos promovido pelo Fed para impulsionar a economia norte-americana. Mas acredita que o impacto seja de curto prazo.

"Nós não devemos mudar a nossa estratégia de desenvolvimento a longo prazo por causa da volatilidade do mercado financeiro internacional a curto prazo", afirmou Sheng. Fonte: Market News International.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;