Fechar
Publicidade

Terça-Feira, 17 de Maio

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

Bolsonaro desiste de ir à cúpula de países da América do Sul; Mourão é escalado



24/01/2022 | 21:22


O presidente Jair Bolsonaro desistiu de comparecer à cúpula do Fórum para o Progresso e Desenvolvimento da América do Sul (Prosul), marcado para quinta-feira, 27, em Cartagena das Índias, na Colômbia, e escalou o vice-presidente Hamilton Mourão (PRTB) para representá-lo.

A desistência do evento internacional ocorre após Bolsonaro cancelar sua agenda oficial para o dia. Conforme apurou o Estadão/Broadcast Político (sistema de notícias em tempo real do Grupo Estado) com uma fonte ligada ao Palácio do Planalto, o presidente está abalado com a morte de sua mãe, Olinda, ocorrida na última sexta-feira, e quer ficar no Brasil para participar da missa de sétimo dia, prevista para quinta-feira. A mudança de planos para a cúpula de líderes sul-americanos foi confirmada ao Estadão/Broadcast Político pela Vice-Presidência da República.

O cancelamento dos compromissos acabou provocando boatos de que Bolsonaro pudesse estar com algum problema de saúde; no início do ano, ele foi internado para tratar uma obstrução intestinal. À reportagem, o médico do presidente, Antônio Macedo, descartou essa hipótese e afirmou que Bolsonaro está bem de saúde.

Prosul

Por iniciativa dos líderes conservadores Sebastián Piñera, presidente do Chile (eleito em 2021, Gabriel Boric tomará posse em março) , e Iván Duque, presidente da Colômbia, o Prosul foi criado em março de 2019 na tentativa de consolidar um espírito mais à direita na América do Sul e isolar a Venezuela.

Após a adesão ao grupo, o Brasil deixou a União de Nações Sul-Americanas (Unasul), fundada em 2008, no momento em que a região era governada majoritariamente por partidos de esquerda. À época, o Brasil era comandado pelo ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), pré-candidato ao Palácio do Planalto em 2022.

Agenda

Ainda que tenha passado todo o dia no Palácio do Planalto, o presidente cancelou sua agenda oficial prevista para esta segunda-feira.

A agenda oficial de hoje foi atualizada com o informe "Sem compromisso oficial". Não houve, contudo, aviso à imprensa sobre a atualização por parte do governo nem foi divulgado o motivo da alteração. Antes da atualização, o documento informava que Bolsonaro participaria, às 16h30, de cerimônia de lançamento do Programa Nacional de Prestação de Serviço Civil Voluntário, no Palácio do Planalto. Com participação do vice-presidente Mourão e do ministro do Trabalho, Onyx Lorenzoni, o evento foi adiado para sexta-feira, às 9h30.

Além disso, Bolsonaro se reuniria hoje com o presidente da Caixa, Pedro Guimarães, com o subchefe para Assuntos Jurídicos da Secretaria-Geral, Pedro Cesar Sousa, e com o ministro da Secretaria-Geral da Presidência, Luiz Eduardo Ramos.

O presidente chegou a conversar com apoiadores em frente ao Palácio da Alvorada durante a manhã, antes de ir ao Planalto. Por volta das 17h30, deixou a sede do Executivo e voltou à residência oficial.



Quer receber em primeira mão as notícias das sete cidades do Grande ABC?

Entre no nosso grupo de WhatsApp. 
Clique aqui.
 

Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;