Fechar
Publicidade

Sexta-Feira, 17 de Janeiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Internacional

internacional@dgabc.com.br | 4435-8301

Furacão Juliette ainda representa perigo para o México


Das Agências

26/09/2001 | 09:55


O furacão Juliette continua representando perigo latente para vários estados mexicanos, informou o Sistema Nacional de Proteção Civil (Sinaproc).

Juliette já deixou um morto em Acapulco e voltou a categoria IV na escala Saffir Saimpson.

Após causar inundações em várias regiões, o ciclone segue seu curso sobre o oceano Pacífico com direção oeste-noroeste a 18 km/h, próximo às costas de Colima e Jalisco.

No boletim das 19h locais (21h de Brasília), o Serviço Meteorológico Nacional informou que Juliette estava a 470 km a Oeste-Sudoeste do porto de Manzanillo, mas não se espera que se aproxime do continente.

O fenômeno mantém ventos de 230 km por hora com rajadas de 270 kms e ventos de 110 km.

Em declarações à imprensa, a coordenadora-geral de Proteção Civil, Carmen Segura Rangel, disse que o fenômeno vai apresentar mais perigo na quinta e na sexta-feira, mas não deve atingir o continente.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Furacão Juliette ainda representa perigo para o México

Das Agências

26/09/2001 | 09:55


O furacão Juliette continua representando perigo latente para vários estados mexicanos, informou o Sistema Nacional de Proteção Civil (Sinaproc).

Juliette já deixou um morto em Acapulco e voltou a categoria IV na escala Saffir Saimpson.

Após causar inundações em várias regiões, o ciclone segue seu curso sobre o oceano Pacífico com direção oeste-noroeste a 18 km/h, próximo às costas de Colima e Jalisco.

No boletim das 19h locais (21h de Brasília), o Serviço Meteorológico Nacional informou que Juliette estava a 470 km a Oeste-Sudoeste do porto de Manzanillo, mas não se espera que se aproxime do continente.

O fenômeno mantém ventos de 230 km por hora com rajadas de 270 kms e ventos de 110 km.

Em declarações à imprensa, a coordenadora-geral de Proteção Civil, Carmen Segura Rangel, disse que o fenômeno vai apresentar mais perigo na quinta e na sexta-feira, mas não deve atingir o continente.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;