Fechar
Publicidade

Domingo, 13 de Junho

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Esportes

esportes@dgabc.com.br | 4435-8384

Brasil atropela Japão e pega EUA na decisão


Do Diário do Grande ABC

10/08/2012 | 07:18


A Seleção Brasileira Feminina de Vôlei não tomou conhecimento do Japão, ontem, pela semifinal dos Jogos Olímpicos de Londres, venceu fácil por 3 sets a 0 (parciais de 25/18, 25/15 e 25/18) e vai pegar os Estados Unidos (bateram a Coréia do Sul) pela decisão do ouro - sábado, às 14h30 -, na busca de devolver a derrota da primeira fase, quando, apática, caiu por 3 a 0.

Diferentemente das dificuldades que enfrentou em outras partidas - quando lidou inclusive com erros individuais -, o jogo das brasileiras encaixou desde o primeiro set. Apesar do equilíbrio inicial, aos poucos as jogadas tupiniquins sobressaíram às das nipônicas e o Brasil fechou com tranquilidade.

Mais facilidade ainda as comandadas de José Roberto Guimarães (que ontem comemorou 20 anos da conquista do ouro com a Seleção Masculina na Olimpíada de 1992, na Espanha) encontraram na segunda parcial, quando os bloqueios de Thaísa e Fernanda Garay (terminaram o jogo com quatro pontos cada no fundamento) funcionaram. Para o terceiro set, foi só manter o bom volume de jogo, com boas e sortidas bolas distribuídas pela levantadora Dani Lins, ataques precisos de Sheilla e Fabiana (13 pontos na partida cada uma), para fechar a vitória que põe a Seleção na segunda final seguida, em busca do bi.

"Merecemos a vitória. Agora queremos a medalha de ouro. Vamos enfrentar os Estados Unidos e podemos ter boa atuação", disse José Roberto Guimarães.

Homens medem força com Itália por vaga na luta pelo ouro

Um dos duelos mais tradicionais do vôlei masculino vai decidir quem vai à decisão da medalha de ouro, às 15h30, em Londres. Frente a frente, Brasil e Itália medem forças e, quem triunfar, encara o vencedor de Bulgária e Rússia.

A única dúvida do técnico Bernardinho é Leandro Vissotto, com dores na virilha direita. Em tratamento intensivo, o jogador não está descartado. "Lutei muito para defender o Brasil na Olimpíada. Agora, o jeito é me dedicar ao máximo para poder jogar e ajudar a equipe a conquistar mais uma medalha para nosso País", disse Vissotto.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;