Fechar
Publicidade

Quinta-Feira, 29 de Julho

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Esportes

esportes@dgabc.com.br | 4435-8384

Santos não segura o Grêmio na Vila e cai na Copa Libertadores


Analy Cristofani
Raphael Ramos
Do Diário do Grande ABC

07/06/2007 | 00:29


O Santos não resistiu ao futebol competitivo do Grêmio e caiu na semifinal da Copa Libertadores na noite desta quarta, quando venceu por 3 a 1, mas não foi suficiente para ficar com a vaga. O Peixe precisava de mais um gol, já que perdeu por 2 a 0 em Porto Alegre e levou um gol em casa.

A derrota veio na Vila Belmiro lotada e com o apoio dos torcedores do Peixe, que acreditavam na reação do time, seguindo o discurso do técnico Vanderlei Luxemburgo de que quem manda na Vila é o Santos. Não foi.

Zé Roberto, que pode ter feito sua despedida, se emocionou ao final da partida, foi ao alambrado, agradeceu a torcida e ouviu seu nome homenageado. “Tenho até o final do mês para cumprir meu contrato. Saio muito agradecido pela temporada, é um período que vai marcar a minha carreira e agora é esperar para ver se ainda vou ter oportunidade de defender o Santos. Ainda não é uma despedida”, disse.

A decepção de, mais uma vez, ficar próximo do título da competição sul-americana tomou conta de todos. A última vez que o time ganhou a Libertadores foi em há 44 anos, com Pelé em campo. O Rei do Futebol acompanhou de seu camarote na Vila a eliminação do Peixe. Ele, inclusive, já havia dito antes da derrota por 2 a 0, lá no Sul, que temia o confronto com os gremistas.

E apesar de entrar em campo ontem à noite precisando reverter a vantagem do Grêmio, o Santos confiava na classificação. Luxemburgo chegou a pedir para o técnico da seleção brasileira, Dunga, que adiasse a apresentação de Zé Roberto e Kléber para os treinos preparatórios para a Copa América caso o Santos chegasse à final da Libertadores. O pedido, no entanto, foi em vão.

Para Cléber Santana, o mais importante foi a determinação que a equipe mostrou. “Nossa equipe foi determinada, mas não conseguimos. O apoio da torcida mostrou que fomos aguerridos durante todo o jogo”.

Do outro lado, o meia Tcheco reconheceu a grande partida do adversário que, segundo ele, valorizou a semifinal brasileira disputada ontem. “Nosso time não é o mais técnico do torneio, mas é o mais competitivo, tenho certeza. O Santos merece também os nossos aplausos”, afirmou.


Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;