Fechar
Publicidade

Segunda-Feira, 6 de Abril

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Política

politica@dgabc.com.br | 4435-8391

Com reviravolta, Frank
é o vice de Luiz Marinho

Tunico Vieira permaneceu 48 horas na dobrada com o petista
de S.Bernardo, que o rejeitou; parceria será homologada hoje


Rogério Santos
Do Diário do Grande ABC

30/06/2012 | 07:34


Dois dias após perder a queda de braço com o vereador Tunico Vieira (PMDB), que foi escolhido vice na quarta-feira pelos presidentes dos partidos que compõem a base governista do prefeito Luiz Marinho (PT), Frank Aguiar (PTB), que ocupa o posto atualmente, reverteu a situação e foi mantido na chapa de reeleição do petista. A dobrada será homologada hoje, durante a convenção municipal do PT, junto com as demais legendas do bloco.

Em mais um dia de intensas reuniões, os representantes do arco de alianças do petista que haviam optado por Tunico por dez votos a sete, voltaram atrás e decidiram por unanimidade pela permanência de Frank.

Enquanto os dirigentes partidários estavam reunidos no diretório do PT, o prefeito conversava no Paço com Frank e Tunico. Após a decisão, Marinho e depois o Cãozinho dos Teclados foram à sede do diretório municipal do PT para o anúncio oficial.

Segundo o prefeito, a sociedade e os partidos da base reagiram negativamente à indicação de Tunico como vice. "O PMDB nunca se colocou na base para a reeleição, mas reivindicava a vice ou sairia com candidatura própria. Talvez esse tenha sido o grande erro", justificou o chefe do Executivo. Nos bastidores comenta-se que o petebista é um vice que não incomoda, pois não teria, neste momento, pretensões de concorrer ao Executivo em curto prazo. E o peemedebista poderia se fortalecer até 2016 e disputar o Paço.

Apesar da dispensa de Tunico, o prefeito espera contar com os peemedebistas na eleição. "Serão bem-vindos caso desejem. Conversei com o Tunico sobre a situação e ele me pediu para ter liberdade para tocar o seu caminho."

Ovacionado pelos aliados, Frank disse que não tinha dúvidas da repetição da parceria vencedora em 2008. "Eu acreditava nisso pelo nosso trabalho e por tudo aquilo que conversamos", disse. Segundo ele, o presidente estadual do PTB, Campos Machado, foi fundamental na reviravolta. "Ele articulou, não desistiu em nenhum momento."

CANDIDATURA AO PAÇO?

Alijado da aliança com o PT, Tunico Vieira endureceu o discurso sobre os rumos do PMDB no pleito. O parlamentar disse que o partido vai decidir se mantém apoio ao projeto de reeleição de Marinho ou se terá candidatura própria após conversas com o presidente estadual da legenda, Baleia Rossi, e com o vice-presidente da República, Michel Temer (PMDB).

Apesar da indecisão, Tunico dá sinais de que pode engrossar a lista de adversários de Marinho. "Não serei candidato a vereador nem quero participar do governo (caso o petista seja reeleito)", disparou. A convenção do PMDB também será realizada hoje, a partir das 14h, no auditório do Teatro Cacilda Becker.

A reviravolta na chapa governista também deixou uma incógnita sobre a participação do PMDB na eleição para vereador. Os aliados de Marinho definiram as coligações proporcionais. Além da chapa entre PT e PSDC fechada desde abril, as coligações governistas serão: PTB e PSB, DEM e PSL, PCdoB e PRB, PTdoB, PDT e PTC, PV e PSD, além de PR e PP.

A indefinição ficou por conta do PSL, que tem apenas um postulante a vereador e pode ser integrado na coligação petista.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Com reviravolta, Frank
é o vice de Luiz Marinho

Tunico Vieira permaneceu 48 horas na dobrada com o petista
de S.Bernardo, que o rejeitou; parceria será homologada hoje

Rogério Santos
Do Diário do Grande ABC

30/06/2012 | 07:34


Dois dias após perder a queda de braço com o vereador Tunico Vieira (PMDB), que foi escolhido vice na quarta-feira pelos presidentes dos partidos que compõem a base governista do prefeito Luiz Marinho (PT), Frank Aguiar (PTB), que ocupa o posto atualmente, reverteu a situação e foi mantido na chapa de reeleição do petista. A dobrada será homologada hoje, durante a convenção municipal do PT, junto com as demais legendas do bloco.

Em mais um dia de intensas reuniões, os representantes do arco de alianças do petista que haviam optado por Tunico por dez votos a sete, voltaram atrás e decidiram por unanimidade pela permanência de Frank.

Enquanto os dirigentes partidários estavam reunidos no diretório do PT, o prefeito conversava no Paço com Frank e Tunico. Após a decisão, Marinho e depois o Cãozinho dos Teclados foram à sede do diretório municipal do PT para o anúncio oficial.

Segundo o prefeito, a sociedade e os partidos da base reagiram negativamente à indicação de Tunico como vice. "O PMDB nunca se colocou na base para a reeleição, mas reivindicava a vice ou sairia com candidatura própria. Talvez esse tenha sido o grande erro", justificou o chefe do Executivo. Nos bastidores comenta-se que o petebista é um vice que não incomoda, pois não teria, neste momento, pretensões de concorrer ao Executivo em curto prazo. E o peemedebista poderia se fortalecer até 2016 e disputar o Paço.

Apesar da dispensa de Tunico, o prefeito espera contar com os peemedebistas na eleição. "Serão bem-vindos caso desejem. Conversei com o Tunico sobre a situação e ele me pediu para ter liberdade para tocar o seu caminho."

Ovacionado pelos aliados, Frank disse que não tinha dúvidas da repetição da parceria vencedora em 2008. "Eu acreditava nisso pelo nosso trabalho e por tudo aquilo que conversamos", disse. Segundo ele, o presidente estadual do PTB, Campos Machado, foi fundamental na reviravolta. "Ele articulou, não desistiu em nenhum momento."

CANDIDATURA AO PAÇO?

Alijado da aliança com o PT, Tunico Vieira endureceu o discurso sobre os rumos do PMDB no pleito. O parlamentar disse que o partido vai decidir se mantém apoio ao projeto de reeleição de Marinho ou se terá candidatura própria após conversas com o presidente estadual da legenda, Baleia Rossi, e com o vice-presidente da República, Michel Temer (PMDB).

Apesar da indecisão, Tunico dá sinais de que pode engrossar a lista de adversários de Marinho. "Não serei candidato a vereador nem quero participar do governo (caso o petista seja reeleito)", disparou. A convenção do PMDB também será realizada hoje, a partir das 14h, no auditório do Teatro Cacilda Becker.

A reviravolta na chapa governista também deixou uma incógnita sobre a participação do PMDB na eleição para vereador. Os aliados de Marinho definiram as coligações proporcionais. Além da chapa entre PT e PSDC fechada desde abril, as coligações governistas serão: PTB e PSB, DEM e PSL, PCdoB e PRB, PTdoB, PDT e PTC, PV e PSD, além de PR e PP.

A indefinição ficou por conta do PSL, que tem apenas um postulante a vereador e pode ser integrado na coligação petista.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;