Fechar
Publicidade

Quinta-Feira, 24 de Setembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Esportes

esportes@dgabc.com.br | 4435-8384

Nonato joga favoritismo para o Flamengo

Marina Brandão/DGABC  Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Meia do Azulinho acredita que cariocas têm responsabilidade maior na Chave 23


Felipe Simões

31/12/2016 | 07:00


Assim como o companheiro Matheus, o meia Nonato, 18 anos, tem larga experiência na Copa São Paulo de Futebol Júnior. A edição 2017 será sua quarta, e ele mostra saber o caminho das pedras. Afinal, já participou tanto da melhor campanha do Azulinho na história, em 2015, quando a equipe chegou às quartas, quanto de uma das piores – ano passado, o time caiu na primeira fase. Por isso, ele pede que a equipe entre ligada e preparada para bater São Bento, Central-PE e Flamengo no Grupo 23.

“O favoritismo é do Flamengo e toda a mídia vai estar em cima deles. Mas queremos vencer os três jogos. É jogar contra o Flamengo para ganhar, temos capacidade para isso. Não adianta querer e não fazer por onde, temos que nos esforçar. Nosso objetivo é ir longe”, afirmou o meia, que fez três partidas durante a Série A-2 desta temporada e quer passar a experiência aos companheiros.

“Do profissional a gente traz tranquilidade e experiência de jogar com os mais velhos. É positiva para os caras que estão jogando no sub-20. Este ano de treino foi produtivo, evoluí bastante. Mesmo não atuando muito eu estava ao lado de caras que já passaram por diversos times, têm história no futebol. O que passo é tranquilidade, calma, não ter pressa para concluir as jogadas. Mesmo quando estiver perdendo, em momentos difíceis, é importante manter a calma e a paciência.”

Além disso, Nonato considera que atuar no Anacleto Campanella pela primeira vez na história faz com que o Azulinho largue na frente dos adversários na competição.

“O essencial é conhecer onde você está atuando. É a primeira vez que sediamos, e a gente jogando e treinando lá, é um passo à frente dos outros times, que vão estranhar. Vejo como um ponto positivo ter a torcida perto também”, destacou. 



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Nonato joga favoritismo para o Flamengo

Meia do Azulinho acredita que cariocas têm responsabilidade maior na Chave 23

Felipe Simões

31/12/2016 | 07:00


Assim como o companheiro Matheus, o meia Nonato, 18 anos, tem larga experiência na Copa São Paulo de Futebol Júnior. A edição 2017 será sua quarta, e ele mostra saber o caminho das pedras. Afinal, já participou tanto da melhor campanha do Azulinho na história, em 2015, quando a equipe chegou às quartas, quanto de uma das piores – ano passado, o time caiu na primeira fase. Por isso, ele pede que a equipe entre ligada e preparada para bater São Bento, Central-PE e Flamengo no Grupo 23.

“O favoritismo é do Flamengo e toda a mídia vai estar em cima deles. Mas queremos vencer os três jogos. É jogar contra o Flamengo para ganhar, temos capacidade para isso. Não adianta querer e não fazer por onde, temos que nos esforçar. Nosso objetivo é ir longe”, afirmou o meia, que fez três partidas durante a Série A-2 desta temporada e quer passar a experiência aos companheiros.

“Do profissional a gente traz tranquilidade e experiência de jogar com os mais velhos. É positiva para os caras que estão jogando no sub-20. Este ano de treino foi produtivo, evoluí bastante. Mesmo não atuando muito eu estava ao lado de caras que já passaram por diversos times, têm história no futebol. O que passo é tranquilidade, calma, não ter pressa para concluir as jogadas. Mesmo quando estiver perdendo, em momentos difíceis, é importante manter a calma e a paciência.”

Além disso, Nonato considera que atuar no Anacleto Campanella pela primeira vez na história faz com que o Azulinho largue na frente dos adversários na competição.

“O essencial é conhecer onde você está atuando. É a primeira vez que sediamos, e a gente jogando e treinando lá, é um passo à frente dos outros times, que vão estranhar. Vejo como um ponto positivo ter a torcida perto também”, destacou. 

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;