Fechar
Publicidade

Sexta-Feira, 28 de Fevereiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Internacional

internacional@dgabc.com.br | 4435-8301

Acusado de espionar para Coréia se declara culpado nos EUA


Da AFP

24/10/2003 | 08:38


Um comerciante sul-coreano, acusado pelo governo americano de espionar para a Coréia do Norte, fechou um acordo com a Justiça e se declarou culpado em Los Angeles (Estados Unidos). Em troca, Yai Joun-woong, 59 anos, receberá uma pena menor, de um a dois anos, quando for sentenciado, em 6 de janeiro próximo.

Yai, detido em fevereiro passado após uma investigação do FBI que durou mais de sete anos, teve a acusação de espionagem transformada em "falta de registro como agente estrangeiro". O acordo foi possível porque as autoridades concluíram que Yai não era uma ameaça importante para a segurança dos Estados Unidos.

O advogado de Yai alegou que seu cliente se limitava a cortar certos artigos da imprensa para enviá-los a Pyongyang, só repassando informação de domínio público.

Em uma audiência realizada nesta sexta-feira, Yai também admitiu três acusações ligadas à entrada de US$ 18 mil nos Estados Unidos sem a devida declaração. Susan, esposa de Yai, foi condenada a um ano de liberdade vigiada por entrar com dinheiro não declarado nos EUA.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Acusado de espionar para Coréia se declara culpado nos EUA

Da AFP

24/10/2003 | 08:38


Um comerciante sul-coreano, acusado pelo governo americano de espionar para a Coréia do Norte, fechou um acordo com a Justiça e se declarou culpado em Los Angeles (Estados Unidos). Em troca, Yai Joun-woong, 59 anos, receberá uma pena menor, de um a dois anos, quando for sentenciado, em 6 de janeiro próximo.

Yai, detido em fevereiro passado após uma investigação do FBI que durou mais de sete anos, teve a acusação de espionagem transformada em "falta de registro como agente estrangeiro". O acordo foi possível porque as autoridades concluíram que Yai não era uma ameaça importante para a segurança dos Estados Unidos.

O advogado de Yai alegou que seu cliente se limitava a cortar certos artigos da imprensa para enviá-los a Pyongyang, só repassando informação de domínio público.

Em uma audiência realizada nesta sexta-feira, Yai também admitiu três acusações ligadas à entrada de US$ 18 mil nos Estados Unidos sem a devida declaração. Susan, esposa de Yai, foi condenada a um ano de liberdade vigiada por entrar com dinheiro não declarado nos EUA.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;