Fechar
Publicidade

Segunda-Feira, 16 de Dezembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Setecidades

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

Loja do McDonalds e shopping atravancam obra em S.Bernardo


Rita Camacho
Do Diário do Grande ABC

21/11/2004 | 11:40


O verdadeiro McDia Feliz para o prefeito de São Bernardo, William Dib, será a data em que ele conseguir inaugurar por completo o complexo viário que tem como principal eixo a avenida Lauro Gomes. Mas está difícil agendar a festa. Uma ação judicial que envolve o McDonald’s e o Shopping Metrópole mantém uma loja desativada da rede norte-americana de fast-food no meio do caminho entre a praça Samuel Sabatini, onde está o Paço Municipal, e a avenida Aldino Pinotti. É exatamente nesse ponto que o complexo viário se unirá ao Centro da cidade, consolidando a proposta de desafogar o tráfego principalmente nas avenidas Pereira Barreto e Senador Vergueiro. As intervenções que consomem R$ 50 milhões prometem facilitar a vida do motorista da cidade, com ganho de tempo especialmente para quem faz o vai-e-volta para Santo André ou São Caetano.

A avenida Aldino Pinotti – via de 1,1 km com quatro pistas por sentido – começa na avenida Lauro Gomes, na divisa com Santo André e onde o ribeirão dos Meninos encontra o afluente córrego Taioica (veja mapa ao lado). Corre paralela à Pereira Barreto, atrás das terras de propriedade da empresa Tognato, e está pronta até a entrada para o estacionamento descoberto do shopping. Nesse ponto, onde resistem as ruínas da loja de sanduíches escondidas por tapumes, a empreiteira a serviço da Prefeitura é obrigada a parar as máquinas. Por isso, os 200 m finais da Aldino Pinotti não podem sair do papel. Todo o resto do complexo está em fase final de obras, com abertura ao tráfego prevista para o final do mês.

Os responsáveis pelo Metrópole preferem não se pronunciar enquanto durar a pendência, e o McDonald’s informa em nota que “aguarda definição por parte da administração do shopping sobre o local para onde será transferido o restaurante”. Os valores envolvidos na transação também não foram revelados. A rede possui uma unidade ativa na praça de alimentação do shopping, mas a loja do estacionamento era de maior porte e incluía serviço drive-thru.

Parte interessada no assunto, o secretário de Obras do município, Otávio Manente, está empenhada em desenrolar o caso, que se arrasta há um ano. “Marcamos uma reunião para a semana que vem”, afirma. O desafio é sensibilizar os envolvidos sobre a importância do término dos trabalhos. O secretário argumenta que a obra, além de beneficiar o trânsito, vai melhorar o sistema de drenagem daquela área e evitar enchentes, uma vez que a intervenção permitirá o uso de galerias maiores e curso mais próximo do natural para o ribeirão dos Meninos, vilão na época das chuvas.

Os proprietários do Metrópole já concordaram em ceder à Prefeitura a área por onde passará a extensão da avenida Aldino Pinotti, tendo como contrapartida um terreno ao lado do shopping e linear à avenida José Versolato, que desemboca na avenida Pereira Barreto. É em direção à nova área que o shopping deve crescer, com novas lojas e vagas para carros.

A permuta foi aprovada pela Câmara Municipal no ano passado e autorizou também o deslocamento da rua José Versolato. Ou seja, as faixas que eram públicas passaram a ser privadas e só têm agora uso local (carga e descarga do shopping). E a nova José Versolato – uma via de 300 m com três pistas em cada sentido – foi traçada mais próxima ao terreno da Tognato.

Um outro empecilho para a finalização do complexo viário – mas com poderes financeiro e de pressão muito menores – é uma pequena favela de cerca de 20 barracos localizada num terreno particular próximo ao Supermercado Sonda, na avenida Pereira Barreto. “A reintegração de posse está próxima”, explica o secretário. A favela dará lugar à continuação da Lauro Gomes, depois de esta transpor a avenida Pereira Barreto. Quando a favela deixar o local, a Lauro Gomes seguirá até a rua Tales dos Santos Freire. O benefício será o acesso mais rápido ao bairro Baeta Neves.

O complexo viário da Lauro Gomes é parte do pacote de 800 obras que serão financiadas por empréstimo de US$ 72 milhões concedido pelo BID (Banco Interamericano de Desenvolvimento) à Prefeitura de São Bernardo, que aguarda aprovação no Senado. Os recursos usados na obra fazem parte da contrapartida exigida da Prefeitura, de US$ 182 milhões do Orçamento municipal. Além de intervenções viárias de grande porte, fazem parte do pacote mil unidades habitacionais e três parques ecológicos.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Loja do McDonalds e shopping atravancam obra em S.Bernardo

Rita Camacho
Do Diário do Grande ABC

21/11/2004 | 11:40


O verdadeiro McDia Feliz para o prefeito de São Bernardo, William Dib, será a data em que ele conseguir inaugurar por completo o complexo viário que tem como principal eixo a avenida Lauro Gomes. Mas está difícil agendar a festa. Uma ação judicial que envolve o McDonald’s e o Shopping Metrópole mantém uma loja desativada da rede norte-americana de fast-food no meio do caminho entre a praça Samuel Sabatini, onde está o Paço Municipal, e a avenida Aldino Pinotti. É exatamente nesse ponto que o complexo viário se unirá ao Centro da cidade, consolidando a proposta de desafogar o tráfego principalmente nas avenidas Pereira Barreto e Senador Vergueiro. As intervenções que consomem R$ 50 milhões prometem facilitar a vida do motorista da cidade, com ganho de tempo especialmente para quem faz o vai-e-volta para Santo André ou São Caetano.

A avenida Aldino Pinotti – via de 1,1 km com quatro pistas por sentido – começa na avenida Lauro Gomes, na divisa com Santo André e onde o ribeirão dos Meninos encontra o afluente córrego Taioica (veja mapa ao lado). Corre paralela à Pereira Barreto, atrás das terras de propriedade da empresa Tognato, e está pronta até a entrada para o estacionamento descoberto do shopping. Nesse ponto, onde resistem as ruínas da loja de sanduíches escondidas por tapumes, a empreiteira a serviço da Prefeitura é obrigada a parar as máquinas. Por isso, os 200 m finais da Aldino Pinotti não podem sair do papel. Todo o resto do complexo está em fase final de obras, com abertura ao tráfego prevista para o final do mês.

Os responsáveis pelo Metrópole preferem não se pronunciar enquanto durar a pendência, e o McDonald’s informa em nota que “aguarda definição por parte da administração do shopping sobre o local para onde será transferido o restaurante”. Os valores envolvidos na transação também não foram revelados. A rede possui uma unidade ativa na praça de alimentação do shopping, mas a loja do estacionamento era de maior porte e incluía serviço drive-thru.

Parte interessada no assunto, o secretário de Obras do município, Otávio Manente, está empenhada em desenrolar o caso, que se arrasta há um ano. “Marcamos uma reunião para a semana que vem”, afirma. O desafio é sensibilizar os envolvidos sobre a importância do término dos trabalhos. O secretário argumenta que a obra, além de beneficiar o trânsito, vai melhorar o sistema de drenagem daquela área e evitar enchentes, uma vez que a intervenção permitirá o uso de galerias maiores e curso mais próximo do natural para o ribeirão dos Meninos, vilão na época das chuvas.

Os proprietários do Metrópole já concordaram em ceder à Prefeitura a área por onde passará a extensão da avenida Aldino Pinotti, tendo como contrapartida um terreno ao lado do shopping e linear à avenida José Versolato, que desemboca na avenida Pereira Barreto. É em direção à nova área que o shopping deve crescer, com novas lojas e vagas para carros.

A permuta foi aprovada pela Câmara Municipal no ano passado e autorizou também o deslocamento da rua José Versolato. Ou seja, as faixas que eram públicas passaram a ser privadas e só têm agora uso local (carga e descarga do shopping). E a nova José Versolato – uma via de 300 m com três pistas em cada sentido – foi traçada mais próxima ao terreno da Tognato.

Um outro empecilho para a finalização do complexo viário – mas com poderes financeiro e de pressão muito menores – é uma pequena favela de cerca de 20 barracos localizada num terreno particular próximo ao Supermercado Sonda, na avenida Pereira Barreto. “A reintegração de posse está próxima”, explica o secretário. A favela dará lugar à continuação da Lauro Gomes, depois de esta transpor a avenida Pereira Barreto. Quando a favela deixar o local, a Lauro Gomes seguirá até a rua Tales dos Santos Freire. O benefício será o acesso mais rápido ao bairro Baeta Neves.

O complexo viário da Lauro Gomes é parte do pacote de 800 obras que serão financiadas por empréstimo de US$ 72 milhões concedido pelo BID (Banco Interamericano de Desenvolvimento) à Prefeitura de São Bernardo, que aguarda aprovação no Senado. Os recursos usados na obra fazem parte da contrapartida exigida da Prefeitura, de US$ 182 milhões do Orçamento municipal. Além de intervenções viárias de grande porte, fazem parte do pacote mil unidades habitacionais e três parques ecológicos.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;