Fechar
Publicidade

Quinta-Feira, 21 de Novembro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Esportes

esportes@dgabc.com.br | 4435-8384

Marco Luque, do CQC, também defendeu o Santo André


Anderson Fattori
Do Diário do Grande ABC

01/05/2010 | 07:00


Outro divertido personagem do humor brasileiro que defendeu as cores do Santo André foi Marco Luque. O apresentador do "CQC - Custe o que Custar", da Band, e que brilhou na Rádio Mix com o quadro do motoboy Jackson Five, esteve por um ano no Ramalhão, em 1997. Depois se profissionalizou e tentou a sorte na Espanha, onde chegou a defender o Rayo Vallecano e o Numancia. No alto dos seus 1m86, era centrovante, mas logo desistiu da carreira.

Agitado, Marco Luque sempre deixa claro nas entrevistas que largou o futebol porque acabou não se acostumando com a rotina de jogador. Chegou a dizer que um dos maiores problemas era suportar as dores nas pernas por conta do inevitável choque físico com os zagueiros adversários.

A aventura nos gramados europeus durou apenas dois anos, quando o humorista não suportou e tomou a decisão de voltar para o Brasil, jogar tudo para o alto e se concentrar exclusivamente no teatro, sua outra paixão.

Procurado pelo Diário, o humorista se negou a dar entrevistas alegando que estava em turnê.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Marco Luque, do CQC, também defendeu o Santo André

Anderson Fattori
Do Diário do Grande ABC

01/05/2010 | 07:00


Outro divertido personagem do humor brasileiro que defendeu as cores do Santo André foi Marco Luque. O apresentador do "CQC - Custe o que Custar", da Band, e que brilhou na Rádio Mix com o quadro do motoboy Jackson Five, esteve por um ano no Ramalhão, em 1997. Depois se profissionalizou e tentou a sorte na Espanha, onde chegou a defender o Rayo Vallecano e o Numancia. No alto dos seus 1m86, era centrovante, mas logo desistiu da carreira.

Agitado, Marco Luque sempre deixa claro nas entrevistas que largou o futebol porque acabou não se acostumando com a rotina de jogador. Chegou a dizer que um dos maiores problemas era suportar as dores nas pernas por conta do inevitável choque físico com os zagueiros adversários.

A aventura nos gramados europeus durou apenas dois anos, quando o humorista não suportou e tomou a decisão de voltar para o Brasil, jogar tudo para o alto e se concentrar exclusivamente no teatro, sua outra paixão.

Procurado pelo Diário, o humorista se negou a dar entrevistas alegando que estava em turnê.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;