Fechar
Publicidade

Quarta-Feira, 20 de Janeiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Setecidades

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

Número de casos pode ser cinco vezes maior em S.Caetano

Nario Barbosa/DGABC Diário do Grande ABC - Notícias e informações do Grande ABC: Santo André, São Bernardo, São Caetano, Diadema, Mauá, Ribeirão Pires e Rio Grande da Serra

Inquérito epidemiológico aponta que 11.241 munícipes já tiveram contato com o coronavírus, mas apenas 2.294 foram confirmados


Flavia Kurotori
Do Diário do Grande ABC

18/07/2020 | 00:01


De acordo com a quarta fase do inquérito epidemiológico elaborado pela USCS (Universidade Municipal de São Caetano) em parceria com a Prefeitura, 6,98% da população são-caetanense já teve contato ou foi contaminada pelo novo coronavírus. Isso significa que 11.241 moradores possuem anticorpos para a doença, número cinco vezes maior do que os 2.294 casos confirmados oficialmente. A pesquisa, divulgada ontem pela administração, apontou que a letalidade na cidade é de 0,89%.

Ainda que o percentual de pessoas que já tiveram contato com a Covid-19 possa subir ainda mais nas próximas semanas, seguindo a tendência de outras localidades, o prefeito José Auricchio Júnior (PSDB) descartou a possibilidade da imunidade de rebanho a nível global, quando boa parte da população já teve contato com a doença e fica imune, dificultando a transmissão do vírus.

“Tem 9.000 pessoas que ainda não tiveram o diagnóstico, esta é a nossa procura para conhecer a imunidade (da doença), esta epidemia é muito pouco conhecida”, destacou, lembrando que São Caetano ultrapassou 30 mil testes aplicados, sendo a cidade do País com maior testagem per capta.

Secretária municipal da Saúde, Regina Maura afirmou que não há informações sobre por quanto tempo os anticorpos agem. “Já tivemos relatos de uma pessoa que pegou no começo de abril e agora, no início de julho, se contaminou de novo”, exemplificou. “Nossa maior esperança é a vacina, não só a que está sendo pesquisada pela USCS, que os testes devem ser iniciados nas próximas semanas, mas que possamos ter o maior número possível de vacinas e imunizar a humanidade até o fim do ano”, completou Auricchio.

Até que a população não esteja totalmente imunizada, a orientação é que as pessoas que podem continuem em casa, principalmente os indivíduos com mais de 60 anos e que tenham doenças preexistentes. Na cidade, a curva epidemiológica voltou a subir. Há 14 dias, a média móvel de casos era de 18,3, passou a 18,7 há sete dias e, nesta semana, está em 23,3. Já a média de mortes pela Covid nas mesmas datas foi de 1,29, para um e, até ontem, 1,57. Por este motivo, a Prefeitura anunciou na quinta-feira que irá postergar o fechamento do hospital de campanha pelo menos até agosto.

Além disso, Regina Maura relatou que o quadro de saúde dos pacientes internados na UTI (Unidade de Terapia Intensiva) piorou – de 14, 12 estão entubados, oito a mais do que na semana passada. “Precisamos ter todo cuidado em, primeiro, preservar vidas e, depois, não perder tudo o que fizemos nos últimos dias. Precisamos entender que a flexibilização (da quarentena) é absolutamente rigorosa, se (a população) entender que a flexibilização liberou geral, teremos que tomar medidas duras”, assinalou o prefeito.

EDUCAÇÃO
Em transmissão ao vivo realizada ontem nas redes sociais, Auricchio esclareceu que a Prefeitura está preparando plano de retomada próprio, independentemente do governo do Estado. “É fundamental dizer que este plano não tem data para entrar em vigor, será quando a curva epidemiológica estiver decrescente e estiver seguro para as crianças voltarem para a escola”, disse. Embora o município esteja acompanhando as diretrizes do Plano São Paulo para retomar as atividades, o prefeito afirmou que com a educação será diferente.  



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Número de casos pode ser cinco vezes maior em S.Caetano

Inquérito epidemiológico aponta que 11.241 munícipes já tiveram contato com o coronavírus, mas apenas 2.294 foram confirmados

Flavia Kurotori
Do Diário do Grande ABC

18/07/2020 | 00:01


De acordo com a quarta fase do inquérito epidemiológico elaborado pela USCS (Universidade Municipal de São Caetano) em parceria com a Prefeitura, 6,98% da população são-caetanense já teve contato ou foi contaminada pelo novo coronavírus. Isso significa que 11.241 moradores possuem anticorpos para a doença, número cinco vezes maior do que os 2.294 casos confirmados oficialmente. A pesquisa, divulgada ontem pela administração, apontou que a letalidade na cidade é de 0,89%.

Ainda que o percentual de pessoas que já tiveram contato com a Covid-19 possa subir ainda mais nas próximas semanas, seguindo a tendência de outras localidades, o prefeito José Auricchio Júnior (PSDB) descartou a possibilidade da imunidade de rebanho a nível global, quando boa parte da população já teve contato com a doença e fica imune, dificultando a transmissão do vírus.

“Tem 9.000 pessoas que ainda não tiveram o diagnóstico, esta é a nossa procura para conhecer a imunidade (da doença), esta epidemia é muito pouco conhecida”, destacou, lembrando que São Caetano ultrapassou 30 mil testes aplicados, sendo a cidade do País com maior testagem per capta.

Secretária municipal da Saúde, Regina Maura afirmou que não há informações sobre por quanto tempo os anticorpos agem. “Já tivemos relatos de uma pessoa que pegou no começo de abril e agora, no início de julho, se contaminou de novo”, exemplificou. “Nossa maior esperança é a vacina, não só a que está sendo pesquisada pela USCS, que os testes devem ser iniciados nas próximas semanas, mas que possamos ter o maior número possível de vacinas e imunizar a humanidade até o fim do ano”, completou Auricchio.

Até que a população não esteja totalmente imunizada, a orientação é que as pessoas que podem continuem em casa, principalmente os indivíduos com mais de 60 anos e que tenham doenças preexistentes. Na cidade, a curva epidemiológica voltou a subir. Há 14 dias, a média móvel de casos era de 18,3, passou a 18,7 há sete dias e, nesta semana, está em 23,3. Já a média de mortes pela Covid nas mesmas datas foi de 1,29, para um e, até ontem, 1,57. Por este motivo, a Prefeitura anunciou na quinta-feira que irá postergar o fechamento do hospital de campanha pelo menos até agosto.

Além disso, Regina Maura relatou que o quadro de saúde dos pacientes internados na UTI (Unidade de Terapia Intensiva) piorou – de 14, 12 estão entubados, oito a mais do que na semana passada. “Precisamos ter todo cuidado em, primeiro, preservar vidas e, depois, não perder tudo o que fizemos nos últimos dias. Precisamos entender que a flexibilização (da quarentena) é absolutamente rigorosa, se (a população) entender que a flexibilização liberou geral, teremos que tomar medidas duras”, assinalou o prefeito.

EDUCAÇÃO
Em transmissão ao vivo realizada ontem nas redes sociais, Auricchio esclareceu que a Prefeitura está preparando plano de retomada próprio, independentemente do governo do Estado. “É fundamental dizer que este plano não tem data para entrar em vigor, será quando a curva epidemiológica estiver decrescente e estiver seguro para as crianças voltarem para a escola”, disse. Embora o município esteja acompanhando as diretrizes do Plano São Paulo para retomar as atividades, o prefeito afirmou que com a educação será diferente.  

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;