Fechar
Publicidade

Domingo, 22 de Maio

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

economia@dgabc.com.br | 4435-8057

Sem acordo, metalúrgico pode voltar a parar Volks


Eric Fujita
Do Diário do Grande ABC

29/09/2005 | 08:20


Sem conseguir acordo sobre PLR (Participação nos Lucros ou Resultados) para este ano, os funcionários da Volkswagen, de São Bernardo, ameaçam retomar nesta quinta-feira uma série de paralisações na fábrica. O movimento deverá recomeçar em razão de persistir o impasse nas negociações entre montadora e categoria sobre o benefício, mesmo após 16 horas de uma reunião de negociação em duas partes, iniciada na terça-feira e concluída quarta-feira.

O reinício do movimento será decidido em assembléia programada para as 15h de quinta-feira na Volkswagen. A expectativa é que aproximadamente 9 mil trabalhadores do primeiro e segundo turnos aprovem uma nova mobilização, como prevê o Sindicato dos Metalúrgicos do ABC (ligado à CUT).

A retomada das paralisações está sendo organizada porque não houve avanços na negociação iniciada às 14h de terça-feira e suspensas às 2h de quarta-feira. Nesse período, a montadora chegou a ampliar sua proposta, para um teto máximo de R$ 4,6 mil de PLR. Antes, a empresa oferecia até R$ 4,4 mil, de acordo com o total de carros produzidos neste ano.

No entanto, a nova proposta foi recusada pelos sindicalistas na mesa de negociação. O sindicato pede participação de R$ 5,5 mil sem cumprimento de metas. A primeira parcela da PLR, de R$ 2 mil, já foi paga em abril.

As conversações foram reabertas às 15h de quarta-feira mas se encerraram às 19h, sem acordo, explicou o coordenador da Comissão de Fábrica em São Bernardo e um dos negociadores, Valdir Freire Dias, o Chalita. A Volkswagen informou que não vai se manifestar enquanto durarem as negociações.

"Mesmo com essa ampliação, a proposta é muito baixa e fica abaixo das expectativas da categoria", disse Chalita. No ano passado, a Volks pagou R$ 4,2 mil de PLR para os 12,4 mil funcionários de São Bernardo.

Se aprovadas, as paralisações deverão recomeçar seis dias depois da primeira suspensão das atividades devido ao impasse sobre a PLR. A primeira parada ocorreu na última sexta e durou todo o dia. Nesse dia, 950 carros deixaram de ser produzidos.

Daimler – Cerca de 2,5 mil funcionários do setor administrativo e da produção da DaimlerChrysler (fabricante de caminhões e ônibus Mercedes-Benz), de São Bernardo, aprovaram quarta-feira a prorrogação por mais seis meses do contrato de trabalho de 686 funcionários temporários da produção. Um acordo prevendo essa medida foi assinado quarta-feira entre empresa e sindicato. Funcionários de outros dois turnos já tinham aprovado a prorrogação terça-feira. A montadora apenas confirmou a renovação do contrato, que venceria em outubro. Com a iniciativa, esse contingente ficará até 10 de abril na fábrica.



Quer receber em primeira mão as notícias das sete cidades do Grande ABC?

Entre no nosso grupo de WhatsApp. 
Clique aqui.
 

Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.


Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;