Fechar
Publicidade

Segunda-Feira, 27 de Janeiro

|

Max º Min º
Clima da Região Trânsito Assine Clube do Assinante Diário Virtual Login

Setecidades

setecidades@dgabc.com.br | 4435-8319

Ciclofaixa aumenta autoestima em bairros de Diadema


Eliane Souza
Do Diário do Grande ABC

23/07/2012 | 07:00


A bicicleta é meio de transporte divertido, saudável, ecológico e inteligente. Em Diadema, também virou instrumento de inclusão social. A ciclofaixa de cinco quilômetros, que passa pelos bairros Taboão e Campanário, proporciona muito mais do que lazer aos domingos.

A iniciativa em um dos bairros mais carentes da cidade aumentou a autoestima da população, que desempoeirou suas magrelas e aproveitou a tarde ensolarada de domingo para desfrutar de opção de lazer perto de casa.

"Quando a ciclofaixa foi inaugurada, muitos moradores desconfiados perguntaram se o percurso era pago e o porquê da iniciativa num bairro periférico, e não no Centro", conta Rafael Albuquerque, da Williams Bikes, que loca bicicletas na Avenida Amiro Sena Ramos aos domingos.

O aluguel dos equipamentos é alternativa principalmente para os adultos que acompanham as crianças, que já têm bicicletas, na área demarcada para o lazer. O preço para passeio de uma hora é de R$ 6. Chama a atenção o triciclo família, com capacidade para quatro pessoas, que custa R$ 20. Os ciclistas contam também com empréstimo de chaves de roda e bombas para os pneus.

A secretária Luciana Aparecidade de Oliveira Cabral, 37 anos, foi com as filhas gêmeas conferir o circuito pela primeira vez. Para Luciana, não era dia de pedalar e, sim, de acompanhar atentamente as primeiras pedaladas de uma das filhas, que começava a se equilibrar sobre duas rodas. "A iniciativa está mais do que aprovada. As crianças adoram pedalar, mas só o fazem na garagem. Não tenho coragem de deixá-las brincando na rua."

O motorista João Félix, 46, recarregava as baterias sobre os pedais. Acostumado a enfrentar horas no trânsito de carro durante a semana, sonha com o dia em que poderá trabalhar de bicicleta. "Já pedalei até o trabalho, na Vila Liviero. Mas não é seguro. Os veículos não respeitam os ciclistas", desabafa.

As faixas exclusivas para o lazer funcionam aos domingos e feriados das 8h às 16h nas avenidas Amiro Sena Ramos, Luiz Carlos Prestes, Paranapanema e Brasília.

INFRAÇÃO
Na tarde de ontem, o Diário flagrou grupo de motociclistas que cruzaram a ciclofaixa em alta velocidade, sem capacetes e com adesivos camuflando as placas. Após verificar as imagens da infração, agentes de trânsito do local multaram uma das motocicletas.

Policiais do 24º Batalhão da 1ª Companhia no bairro Taboão lamentaram o ocorrido e afirmaram que a Polícia Militar não tem permissão para autuar veículos em infração de solo. "O ideal seria o local contar com uma base da Guarda Civil Municipal, para inibir a ação de motociclistas e evitar acidentes entre os frequentadores do espaço", afirmou um dos policiais.


Kennedy se consolida como área de lazer

Há mais de 10 anos São Caetano conta com ciclovia no canteiro central da Avenida Presidente Kennedy, no bairro Olímpico. O espaço consolidou-se como ponto de diversão e atrai famílias todos os fins de semana. Skatistas, patinadores, ciclistas e frequentadores que não abrem mão de uma boa caminhada, sozinhos ou na companhia dos animais de estimação, ocupam a via arborizada principalmente em dias ensolarados.

O sucesso da área é tão grande que São Caetano ganhou mais um equipamento de lazer, com interdição de uma faixa da Avenida Tijucussu aos domingos. Difícil é explicar aos pedestres que a área é exclusiva para bicicletas, conforme relatos dos agentes de trânsito.

O engenheiro Marcelo Fonseca, 34 anos, ainda não faz da bicicleta o seu meio de transporte principal, mas acompanha o passeio da filha que ainda pedala com auxílio de rodinhas. "Ainda não contamos com ciclofaixas nas avenidas principais, sem contar que sair de carro é muito mais rápido", admite. Quem sabe o engenheiro mude de idéia quando São Caetano passar a contar com 13 quilômetros de circuito cicloviário.



Comentários

Atenção! Os comentários do site são via Facebook. Lembre-se de que o comentário é de inteira responsabilidade do autor e não expressa a opinião do jornal. Comentários que violem a lei, a moral e os bons costumes ou violem direitos de terceiros poderão ser denunciados pelos usuários e sua conta poderá ser banida.

Ciclofaixa aumenta autoestima em bairros de Diadema

Eliane Souza
Do Diário do Grande ABC

23/07/2012 | 07:00


A bicicleta é meio de transporte divertido, saudável, ecológico e inteligente. Em Diadema, também virou instrumento de inclusão social. A ciclofaixa de cinco quilômetros, que passa pelos bairros Taboão e Campanário, proporciona muito mais do que lazer aos domingos.

A iniciativa em um dos bairros mais carentes da cidade aumentou a autoestima da população, que desempoeirou suas magrelas e aproveitou a tarde ensolarada de domingo para desfrutar de opção de lazer perto de casa.

"Quando a ciclofaixa foi inaugurada, muitos moradores desconfiados perguntaram se o percurso era pago e o porquê da iniciativa num bairro periférico, e não no Centro", conta Rafael Albuquerque, da Williams Bikes, que loca bicicletas na Avenida Amiro Sena Ramos aos domingos.

O aluguel dos equipamentos é alternativa principalmente para os adultos que acompanham as crianças, que já têm bicicletas, na área demarcada para o lazer. O preço para passeio de uma hora é de R$ 6. Chama a atenção o triciclo família, com capacidade para quatro pessoas, que custa R$ 20. Os ciclistas contam também com empréstimo de chaves de roda e bombas para os pneus.

A secretária Luciana Aparecidade de Oliveira Cabral, 37 anos, foi com as filhas gêmeas conferir o circuito pela primeira vez. Para Luciana, não era dia de pedalar e, sim, de acompanhar atentamente as primeiras pedaladas de uma das filhas, que começava a se equilibrar sobre duas rodas. "A iniciativa está mais do que aprovada. As crianças adoram pedalar, mas só o fazem na garagem. Não tenho coragem de deixá-las brincando na rua."

O motorista João Félix, 46, recarregava as baterias sobre os pedais. Acostumado a enfrentar horas no trânsito de carro durante a semana, sonha com o dia em que poderá trabalhar de bicicleta. "Já pedalei até o trabalho, na Vila Liviero. Mas não é seguro. Os veículos não respeitam os ciclistas", desabafa.

As faixas exclusivas para o lazer funcionam aos domingos e feriados das 8h às 16h nas avenidas Amiro Sena Ramos, Luiz Carlos Prestes, Paranapanema e Brasília.

INFRAÇÃO
Na tarde de ontem, o Diário flagrou grupo de motociclistas que cruzaram a ciclofaixa em alta velocidade, sem capacetes e com adesivos camuflando as placas. Após verificar as imagens da infração, agentes de trânsito do local multaram uma das motocicletas.

Policiais do 24º Batalhão da 1ª Companhia no bairro Taboão lamentaram o ocorrido e afirmaram que a Polícia Militar não tem permissão para autuar veículos em infração de solo. "O ideal seria o local contar com uma base da Guarda Civil Municipal, para inibir a ação de motociclistas e evitar acidentes entre os frequentadores do espaço", afirmou um dos policiais.


Kennedy se consolida como área de lazer

Há mais de 10 anos São Caetano conta com ciclovia no canteiro central da Avenida Presidente Kennedy, no bairro Olímpico. O espaço consolidou-se como ponto de diversão e atrai famílias todos os fins de semana. Skatistas, patinadores, ciclistas e frequentadores que não abrem mão de uma boa caminhada, sozinhos ou na companhia dos animais de estimação, ocupam a via arborizada principalmente em dias ensolarados.

O sucesso da área é tão grande que São Caetano ganhou mais um equipamento de lazer, com interdição de uma faixa da Avenida Tijucussu aos domingos. Difícil é explicar aos pedestres que a área é exclusiva para bicicletas, conforme relatos dos agentes de trânsito.

O engenheiro Marcelo Fonseca, 34 anos, ainda não faz da bicicleta o seu meio de transporte principal, mas acompanha o passeio da filha que ainda pedala com auxílio de rodinhas. "Ainda não contamos com ciclofaixas nas avenidas principais, sem contar que sair de carro é muito mais rápido", admite. Quem sabe o engenheiro mude de idéia quando São Caetano passar a contar com 13 quilômetros de circuito cicloviário.

Ao acessar você concorda com a nossa Política de Privacidade.


Para continuar, faça o seu login:


  • Aceito receber novidades e ofertas do Diário do Grande ABC e parceiros por
    correio eletrônico, mala direta, SMS ou outros meios de comunicação.


Ou acesse todo o conteúdo de forma ilimitada:

Veja como ter acesso a todo o conteúdo de forma ilimitada:

Copyright © 1995-2017 - Todos direitos reservados

;